Designers Brasileiros completa 6 anos e apresenta novo logo

Fala galera, belê?

A convite do Design.com.br vim escrever exclusivamente para vocês sobre o nosso processo de mudança de identidade. Como muitos puderam acompanhar no final da semana passada, o Designers Brasileiros, portal onde sou diretor executivo, apresentou uma nova identidade.

O processo de criação da nova identidade começou em julho de 2016 junto ao planejamento de ações para divulgação dos 6 anos do Designers Brasileiros. Matheus Tobaldini, diretor de conteúdo, foi o responsável por liderar a equipe que apresentou ideias e execuções.

Os conceitos para construção da nova identidade foram: aplicabilidade, leveza e confiança. Decidimos desde o começo que iríamos abandonar a cor vermelha, que nos acompanhou desde o início do portal, em 2011. O objetivo que pretendemos alcançar em 2017 é de aumentar ainda mais a nossa audiência, que em 2016 foi de mais de 176 mil acessos mensais, crescimento de 1000% no Instagram e 400% no Facebook.

No Behance do Matheus vocês poderão conferir como ficou a nossa nova identidade e as suas aplicações.

Distribua

Record lança novo logo e muda o nome para Record TV

Parece que a Record não gostou tanto assim do logo antigo e em tempos que a TV está ficando cada vez mais distante de nós. Pra aproximar (ou pelo menos tentar) o departamento de criação da emissora resolve mudar o nome para Record TV.  O anuncio do reposicionamento de marca foi divulgado em pleno “jornal nacional” da emissora e você confere abaixo.

O telejornal exibiu uma reportagem sobre a mudança da marca e do slogan da emissora, que agora passa a ser “Reinventar é a nossa marca”. O nome da emissora também foi alterado para Record TV.

A logomarca adota a cor prateada, rompendo a tradição de uso do azul, verde e vermelho, combinação padrão nas transmissões de monitores, utilizada em vários logos da emissora desde a adoção TV a cores no Brasil, no início dos anos 1970.

Segundo eles, no anuncio oficial a logomarca atual não apresenta mais a imagem da América do Sul, como forma de reafirmar que há muito sua atuação está além das fronteiras do Brasil e hoje chega com seu sinal a mais de 150 países. Além disso, produtos como novelas e minisséries são exportados para países de todos os continentes.

“Reinventar é a nossa marca”

É o que eles querem que você acredite na campanha publicitária já está rolando em vários sites, já flagrei vários bannerzinhos assim.

A emissora também convidou artistas do seu casting para gravar mensagens, que já estão no ar.

Distribua

Vídeo tenta explicar em 2 minutos o que é branding

David Brier resolveu tentar responder o que é branding? e em parceria com o motion designer Saar Oz, explicou de forma rasteira um pouco do que é o branding. Mas vale lembrar que esse video não retrata o real valor da marca que o branding traduz. É bem minimal!

 

E você, o que achou?

Distribua

Redesign: NOVO LOGO DA GLOBO 2014

Hoje no lançamento da programação 2014, da emissora Globo, foi lançado o redesign do logo que deverá aparecer nas vinhetas, programas e no tradicional plim-plim. Ao longo do ano será adotada também em todos os ambientes da Globo, crachás, fachadas, material e papelaria, carros e uniformes, entre outras aplicações.

Evolução do logotipo da Globo (1965-2014) no Videolog.tv.

Segundo a própria globo, a marca criada por Hans Donner é sinônimo de televisão no Brasil…  Do traço simples à esfera em terceira dimensão, o símbolo se transformou ao longo dos anos, refletindo vários momentos da vida da empresa e do país: a TV a cores, a expansão até chegar a 98,6% dos lares brasileiros e a TV digital.

Hans Donner, o austríaco que trabalha no novo desenho desde o ano passado (lembram-se que o logo vazou ano passado?) explica que o branco que prevalece na nova versão é síntese da pluralidade que sempre esteve presente na tela da Globo.

O branco é a soma de todas as cores e a que melhor representa uma emissora de televisão que busca o tempo todo mostrar o Brasil e a sua diversidade.

O diretor de Comunicação da Globo, Sergio Valente, que conduziu os estudos da nova marca, afirma que “estar em movimento é o combustível da Globo” e é o que permite à empresa se manter por tanto tempo na liderança de um mercado dinâmico e competitivo. “Somos uma televisão que reflete a sociedade e sua vitalidade” complementa.

nova marca da rede globo

Eu achei que o branco lembra muito os produtos da Apple e que esse redesign não necessariamente tinha necessidade. Seria mais legal voltar pro logo de 1988 ou de 1975 a usar esse. E você? o que achou?
globo-appleA Melissa Biscaia, também acredita que o logo da Globo lembra mesmo o da Apple e montou a prova para nós.

 

Distribua

O domínio dos gamers

Quem nunca jogou um jogo e pensou ou gerou a discussão entre os amigos para saber se o o site do jogo era .com? Pois é eu resolvi compilar uma lista de 10 nomes relacionados a jogos com alguns detalhes do registrante e do ano de registro.


  • 1. Diablo.com
    Site  oficial do jogo diablo criado em 1996 e online desde 2001.

  • 2. doom.com – registrado em 1995 é da empresa id Software que o criou em 1993. E aproveitou para registrar o 3. quake.com em 1997, um ano após seu lançamento (1996). Dá pra ter ideia de como eles já estavam ligados na world wide web.

  • 4. mario.com
    Famoso personagem criado pela Nintendo em 1981, teve seu nome “roubado” em 1995 por outro Mario que avisa para quem visita o site que o dominio não está a venda.


  • 5. topgear.com
    Top Gear é uma revista e programa de televisão dedicado a automóveis, produzido pela BBC e transmitido desde 1977. O jogo no entanto se tornou conhecido, sem ter relação alguma com a BBC, por causa do costume da KONAMI de modificar os títulos dos seus jogos.
    Top Racer (Japão), para Top Gear nos estados unidos.


  • 6. GTA.com
    A famosa tag para “Grand Theft Auto” não existia em 1992, nessa epôca foi criada a empresa de firewall Global Technology Associates Inc e passou a utilizar ela (a tag), o GTA  só foi lançado em 1997 e passou a utilizar grandtheftauto.com.


  • Nem mesmo a palavra Hadouken ??? (ou Hadoken) e o Shoryuken (Punho do dragão nascente) também famoso grito de ataque dos personagens Ryu, Ken, Sakura, Gouki na série dos jogos de luta Street Fighter produzido pela Capcom em 1987.

  •  8. Hadouken.com foi registrado em 2005 pela banda britânica de mesmo nome com influências em grindie, new rave, dance-punk.


  • 10. Ryu.com está registrado desde 2000, pela empresa de roupas esportivas que utiliza a marca TAG para a frase “Respect Your Universe”. Sua principal referência é japonesa, coicidência?



  • 11. FIFA.com

    federação internacional de futebol (FIFA) fundado em 1904, e com o dominio registrado em 1995 cedeu os direitos para o uso do famoso jogo da EA SPORTS de mesmo nome. Porém seu site não tem qualquer referência ao jogo. Site oficial do jogo é um subdominio do criador EA.com (EA SPORTS).

 

E você? sabe a história ou lembra de outro dominio que possa ser interessante? Comente que eu descubro!


Distribua

Branding Minas 2011

O valor da sua marca está em pauta no Branding Minas 2011

Evento de gestão de marcas acontece pela primeira vez em Minas sob coordenação da 2DA Branding & Design

Anote na agenda. O dia 02 de julho vai deixar marcas indeléveis na mentalidade do empresariado mineiro. Belo Horizonte recebe o primeiro evento de gestão de marcas de sua história. Uma marca importante para a capital do estado que já vem se destacando no cenário nacional há muito tempo. À exceção do período da crise internacional (dois trimestres de 2008 e outros dois em 2009), a economia de Minas Gerais, cresceu acima da média nacional nos últimos 10 anos. E tem potencial para crescer muito mais. Entre os investimentos vitais que se colocam no desafio do crescimento está o investimento em Branding. “As pessoas passam anos relacionando branding, posicionamento de marca a design. Nosso evento vai mostrar que a estratégia e a gestão de marca é muito mais do que isso e como este entendimento será fundamental para promover e aumentar o nível de competitividade das empresas mineiras no cenário nacional e internacional”, diz Daniel Guimarães, sócio-diretor da 2DA Branding & Design, que organiza o evento em parceria com a CoolHow Creative Lab.

A associação da marca da 2DA ao nome do evento não é por acaso. A agência é uma das pioneiras no segmento de gestão de marcas no território mineiro. Com sede em Belo Horizonte e representação em São Paulo, a 2DA cria e desenvolve estratégias de branding há mais de 10 anos.

Para o evento, que acontece no espaço Amadeus Business Tower (Av. do Contorno,6.594 – Lourdes), palestrantes de renome nacional vão mostrar, por exemplo, como que empresas do porte de Usiminas, Oi, Boticário, Grupo Algar deram um salto de qualidade em sua gestão de marca e se tornaram mais preparadas e competitivas para enfrentar a concorrência de um mercado cada vez mais globalizado e exigente.

O Branding Minas não quer com isso dissociar a idéia de branding do design. Quem pensa assim não está totalmente errado. Mas é preciso ampliar seu entendimento. Em recente passagem pelo Brasil, o CEO de uma das principais empresas de Branding do mundo, Jez Frampton, CEO da Interbrand, apontou Brasil e China como dois mercados onde o assunto vai ser pauta do dia nos próximos anos. O argumento do executivo é simples. Depois da crise, os países seguem crescendo em ritmo acelerado e precisam se reforçar. Seja nas estruturas de vendas, finanças, marketing, seja na produção. Para tanto, as empresas desses países estão começando a perceber que gerir sua marca, principalmente em momento de retomada é fundamental. É preciso estratégias relacionadas ao reposicionamento e gerenciamento de marca.
O Branding Minas vai tratar ainda de uma função nova, mas imperativa para o desenvolvimento das empresas mineiras. A do gestor de marcas. A carreira existeno Brasil há pouco mais de dez anos e é o principal objetivo da indústria chinesa no momento. Há algum tempo o governo chinês anunciou a criação de mais de 300 novas escolas de design com foco em gestão de marcas. Que mostra que do outro lado do mundo já estão abrindo os olhos para a questão. No Brasil, as coisas ainda caminham devagar e era preciso alguém dar o pontapé inicial. É isso que a 2DA está propondo como lançamento do Branding Minas.

Serviço
Evento: Branding Minas 2011

Data: dia 02 de julho
Horário: das 8h30 às 18h
Onde: Amadeus Business Tower
Endereço: Av. do Contorno, 6.594 – Lourdes – Belo Horizonte
Inscrições e informações podem ser encontradas no
site do evento
www.brandingminas.com.br

Distribua

Branding na prática – Wolff Olins – Supermercados Tesco

A maior rede de supermercados britânica queria aumentar a venda de produtos de marca própria. Para fazer isso, a Tesco escolheu reinventar o conceito de marca própria. Tradicionalmente, a abordagem para esse tipo de produto é tática: os supermercados tratam cada categoria como um campo de batalha e acabam imitando as embalagens das grandes marcas.

Ao invés disso, a Tesco decidiu criar uma única marca própria com um design consistente para cada linha de produto.

A Wolff Olins criou uma marca para expressar a personalidade amigável da Tesco, dividindo-a em Premium (chamada de Finest) e econômica (chamada de Value). Ao invés de ver a marca própria como um substituto barato, os consumidores iriam querer a marca da Tesco.

Foi criado um posicionamento e um estilo de embalagem – usando confiantemente o logo da Tesco e uma tipografia simples – que funcionaria para os 37 mil produtos da empresa. Foi também criado um sistema de gerenciamento online para todas as agências de design que trabalham para a Tesco.

Resultados
Essa abordagem radical funcionou. Em um ano, a Tesco aumentou a venda de centenas de categorias de produtos – em alguns casos atingindo 70% de aumento. Com menos designs e agências para gerenciar, a companhia economizou três milhões de libras em custos. Ao invés de lutarem uns contra os outros, os produtos da Tesco estavam ganhando em
equipe.

Há mais de dez anos, os produtos da Tesco chamam a atenção do consumidor. O varejo de alimentos continua sendo a maior fonte de renda da Tesco, compreendendo 46% do total das vendas, que atingiram 53 bilhões em 2008.

Texto adaptado da Wolff Olins®

Para conhecer mais de perto a metodologia, as abordagens criativas e os resultados efetivos dos trabalhos da Wolff Olins (e aprender muito com eles), basta comparecer ao abcDesign Conference Wolff Olins em 11 de maio.

Informações – ESPM e abcDesign realizam a abcDesign Conference com Wolff Olins
Palestrantes: Marina Willer (diretora de criação) e Karl Heiselman (CEO)
Quando: 11 de maio, quarta-feira, das 11h às 14h.
Onde: ESPM – São Paulo (Rua Dr. Álvaro Alvim, 123 – Vila Mariana)
Quanto: R$ 350,00 não assinantes, R$ 290,00 assinantes

Distribua

Entrevista com Wally Olins na D2B

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Wolff Olins é o que é hoje por conta de seus fundadores, Micheal Wolff e Wally Olins. Ambos hoje apenas emprestam seus nomes à consultoria (atualmente Olins é diretor da Saffron Brand), mas ainda são alguns dos nomes mais importantes da área de branding.

Aliás, Wally Olins é um dos principais mentores do conceito de branding. Ele e Wolff ampliaram o conceito de identidade visual além do logo, criando sistemas de identidade que compõem todo um sistema visual que apoia a comunicação da empresa, hoje um conceito muito comum entre os designers.

Em seu primeiro livro, “The Corporate Personality: na inquiry into the nature fo corporate identity” ele ampliou ainda mais essa ideia, constatando que a identidade visual é apenas uma parte da identidade da empresa como um todo, sua razão essencial de ser.

Sim. Wally Olins é uma figura-chave para os conceitos de branding que tanto queremos aprender e aplicar como diferenciais para as empresas brasileiras. Contudo, embora estejamos avançando imensamente, o Brasil ainda não está não chegou ao nível de países como a Inglaterra no que diz respeito a design estratégico.

Como muitos já sabem, em 11 de maio, teremos a oportunidade de ouvir e aprender com aqueles que estão dando continuidade ao trabalho de Wally e Michael na Wolff Olins. Marina Willer, diretora de criação, e Karl Heiselman, CEO, prometem desvendar muito da filosofia e  processos que norteiam os trabalhos da consultoria no abcDesign Conference.

Mas, até lá, você conhece a maneira de pensar de um dos seus fundadores nessa entrevista exclusiva feita para João de Souza Leite publicada na revista D2B, do GAD’. Para ler, basta baixar aqui: D2B Visualização_amarelas_BX2, vale cada palavra.

Aliás, a revista é gratuita e muito boa. Quer receber uma cópia? mande um email para ive.ruiz@gad.com.br

Fonte:

http://abcdesign.com.br/por-area/branding/entrevista-com-wally-olins-na-d2b/

Distribua

Branding e fusão de empresas – Parte 1e2

Entrevista com Marcos Machado, sócio da cosnsultoria TopBrands e professor de gestão de marcas da ESPM, que relata o que acontece com as marcas quando duas empresas se unem.

Parte 1

Parte 2

Fonte: http://www.hsm.com.br

Distribua

Como gerir marcas inovadoras?

Wolff Olins, uma das mais admiradas agências de branding do mundo, estará no Brasil para a abcDesign Conference, dia 11 de maio, para falar sobre como aliar estratégia, inovação, engajamento e comunicação de forma eficaz na gestão de marcas.

Inovar quando o assunto é marcas é a especialidade da agência Wolff Olins. Baseada em quatro alicerces – estratégia, inovação, engajamento e comunicação – a agência tem sido responsável por criar e reposicionar algumas das marcas com melhor desempenho e visibilidade dos últimos tempos, como Unilever, Tate Modern, Oi, Vivo, AOL., e Olimpíadas de 2012.

Dia 11 de maio, na abcDesign Conference, criativos brasileiros poderão conhecer com mais detalhes como a Wolff Olins cria, desenvolve e gere esses projetos que vêm obtendo resultados como lucratividade em apenas três meses, dois milhões de clientes no primeiro mês de vida da marca e inserção de cultura criativa dentro de uma organização.

Marina Willer, diretora geral de criação, e Karl Heiselman, CEO da Wolff Olins, serão os representantes da agência no evento que é realizado anualmente pela revista abcDesign e, em 2011, tem parceria com a ESPM.

Heiselman vai explicar o modelo de negócios da Wolff Olins e o relacionamento com os clientes, enquanto Willer vai compartilhar detalhes da criação dos projetos em que participou, como Tate Modern, (RED), Oi, Ambev e Anistia Internacional.

No site do http://abcdesign.com.br/conference/ estão disponíveis a descrição de alguns dos cases da Wolff Olins em português.

Marina Willer

Willer é brasileira, mas mora em Londres desde 1998. Logo depois da pós-graduação em Design Gráfico na Royal College of Arts, a mais conceituada universidade britânica na área, ela foi convidada a fazer parte da Wolff Olins, onde cresceu até chegar ao posto de diretora de criação de toda a sede londrina.

A designer também tem uma carreira paralela como diretora de curtas. Seu foco são trabalhos de cunho pessoal e poético, como os trabalhos experimentais veiculados na MTV Europa, filmes artísticos para museus como George Pompidou, e documentários, como “Cartaz à mãe” sobre o cartunista Henfil feito junto com o diretor Fernando Kinas.

 

 

 

 

Karl Heiselman

Heiselman é CEO da Wolff Olins desde 2007. Antes disso, teve um papel central nos trabalhos desenvolvidos para clientes como GE, Unicef, PepsiCo, Citibank, etc., competência conseguida em seus 20 anos de experiência em branding e design experience.

Antes de se unir à agência na sede de Nova York, foi consultor criativo para a Landor
Associates, diretor de design na Apple e diretor de criação na Swatch em Nova York e Milão.

Heiselman é conhecido como sendo a força por trás da crença da Wolff Olins de que marcas responsáveis podem criar um mundo melhor.

 

 

Serviço
O quê: abcDesign Conference Wolff Olins
Palestrantes: Marina Willer (diretora de criação) e Karl Heiselman (CEO)
Quando: 11 de maio de 2011, a partir das 08h
Onde: ESPM – São Paulo (Rua Dr. Álvaro Alvim, 123 – Vila Mariana)
Quanto: preço em março (R$ 310,00 não assinantes, R$ 250,00 assinantes).

Wolff Olins

A Wolff Olins foi fundada em Camdem Town, em Londres, no ano de 1965 por Michael Wolff e Wally Olins, cuja reputação de inovar nos conceitos de identidade visual começou cedo. Seus trabalhos chegavam a ser recebidos com certo ceticismo, mas a agência ganhou visibilidade por conta da consistência e eficiência dos resultados.

Hoje, a Wolff Olins possui em seu portfólio projetos que viraram referência no mundo corporativo. Apple Records (gravadora dos Beatles), Camden Town, Renault Orange, Tesco, Oi, Unilever, New Museum e mais recentemente Olimpíadas de 2012 e AOL são alguns dos clientes que não passaram despercebidos depois de contratarem o escritório.

Nestes 40 anos de história, a Wolff Olins teve sedes em diversos países, França, Estados Unidos, Espanha e Portugal, ficando estabelecida atualmente apenas em Londres, Nova York e Dubai. Mesmo com a saída dos sócios originais (Michael Wolff, em 1983, e Wally Olins, em 2001), a agência seguiu consistentemente aplicando e evoluindo a metodologia que a tornou uma das principais consultorias em branding do mundo.

A essência do trabalho da Wolff Olins está em desenvolver projetos que criem novos negócios, experiências, relacionamentos e desafios que provoquem e reinventem as organizações, sempre visando o crescimento e fortalecimento dessas marcas. Seus alicerces são a estratégia para gerenciar; inovação para criar experiências únicas; melhor desempenho e engajamento interno por meio da transformação; e comunicação para moldar a presença da marca no mercado.

abcDesign

A revista abcDesign nasceu em 2001, a partir da vontade de se criar um meio de informação que abordasse a história e os valores do design, bem como refletir sobre a prática, a teoria da atividade e sua importância cultural para a sociedade.

Quase 10 anos depois, a aposta não poderia ter sido mais acertada. O mercado só tem crescido, o número de profissionais aumentado e a demanda por meios que ajudem a fomentar os profissionais segue cada vez mais alta.

Editada trimestralmente e com abrangência nacional, a revista está sempre a evoluir. Sua última grande investida foi a abcDesign Conference, um evento anual que tem como principal objetivo debater a criatividade e a gestão do design.

Distribua

Descubra sua cidade

Estou fazendo pesquisas sobre placing branding e recebi esse belo vídeo sobre Belo Horizonte do Gustavo Santos, que comanda o Isotipo.labs. Bons cliques pra todos!

Distribua

A diferença que a cor faz na vida das pessoas

Faça uma pequena análise e veja quantas vezes, você usou cores e tintas, para levantar sua autoestima. Provavelmente muitas. Mulher então, nem se fala! Mudam a cor do cabelo, das unhas, das paredes! E tudo, como num passe de mágica, ganha uma grande força de renovação. O Cheirinho de tinta fresca (não tão forte) dá aquela sensação gostosa de coisa bem cuidada, quase um banho tomado. É com base nesse espírito que a Coral da AkzoNobel, vem desde agosto de 2009, levando cor para a vida das pessoas.

Cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Olinda, Santarém já foram impactadas por esse que é o principal projeto socioambiental da marca.

Existe o respeito e a preocupação de manter as características arquitetônicas dos edifícios históricos para preservar as particularidades regionais. A ação em cada cidade acontece em cerca de 30 dias, mobilizando moradores, voluntários e funcionários que se tornam agentes multiplicadores dessa mensagem carregada de alegria, descontração e sobretudo cidadania e combate a degradação.

Distribua

Rio 2016 – Uma marca escultura para a cidade escultura

Detalhe pra criança dentro da marca!

Bom dia leitores. Feliz 2011! Feliz 2016!

Escrevo direto do Rio. Ontem eu estava nas areias de Copacabana durante a festa do Reveillon 2011, no exato momento da apresentação da marca para as Olimpíadas Rio 2016. Nossa! Que expectativa! Que alívio no peito! Como é bom espantar a desconfiança referente ao que seria essa marca. Muito obrigado Tátil.

Não quero aqui manter o discurso na rasa análise dos atributos estéticos da marca Rio 2016. O vídeo abaixo, da carioquíssima e competentíssima equipe da Tátil, mostra toda o desafio, superação e felicidade de um projeto com tamanha complexidade. A estratégia do place branding do Rio de Janeiro está perfeitamente coerente. Infelizmente a marca da Copa 2014 não foi tratada com a mesma transparência.

Rio 2016 from Tátil Design de Ideias on Vimeo.

União, Acolhimento e Simpatia

Foi emocionante ver e participar da receptividade positiva em relação a marca das Olimpídas Rio 2016 quando a galera, destaco aqui jovens e crianças, num movimento automático, instintivo, deu as mãos e começou a formar rodas e dançar como numa grande ciranda, mostrando já ter se encantado com a marca.

Estou rodando o Youtube em busca de um vídeo amador para transmitir como o movimento foi espontâneo! É impressionante presenciar a força de uma marca bem aceita. O povo todo elogiando e refletindo encantamento. Seja o ambulante vendendo cerveja, sejam os gringos falando “I can see sugar loaf!” É indescritível o gostinho da marra carioca vendo os ingleses que estavam na praia falando “Much better than London 2012“. Sentimentos totalmente opostos, referente a baixa aceitação da muito criticada marca para as olimpíadas do ano que vem, London 2012. Hoje consigo ver a força, coerência e ousadia do projeto da Wolff Olins.

Otimismo transformador

Essa marca será o combustível para impulsionar a transformação estrutural e cultural, pela qual a cidade do Rio de Janeiro passará para ser capaz de realizar o melhor jogos olímpicos da história. Acredito que a marca tem força e complexidade de sobra para polinizar os corações dos cariocas e multiplicar esse sentimento pelo Brasil e o mundo.

Eu como carioca, morador de Belo Horizonte, aprendi a sentir saudades do Rio. Sentimento só desenvolvido quando há ausência. Sempre que visito a cidade, percebo meu olhar cada vez mais contemplativo. Fico mais atento a tudo que a cidade me causa. Consegui tangibilizar o tal “carioquês”. O modo como o carioca lida com a vida e o sentimento de alegria sempre presente, tornou-se finalmente evidentes pra mim.

Foi de arrepiar! Resumo a sensação com a frase de Fred Gelli, sócio-diretor do escritório Tátil design, responsável pelo projeto.

“Uma marca escultura para a cidade escultura.”

Agora é aguardarmos o desdobramento do projeto, marca paraolímpica, mascote, pictogramas. Já imaginou as possibilidades das formas das medalhas?

Estou louco para pegá-la na mão e poder girá-la vendo-a por de todos os ângulos além desse da imagem principal. Parabéns a todos os envolvidos.

[update 1]
Listo abaixo alguns links interessantes para você compreender globalmente o assunto. E perceber que a competência mostrada no projeto, ajuda a enterrar de uma vez por todas o complexo de vira-lata, em relação a grandes projetos de design que não foram realizados pelos escritórios locais por desdenharem de suas competências.

Políticas de design: Rio 2016 X Copa 2014, pelo ex-diretor da ESDi, Gabriel Patrocinio.

#prontofalei – Caro amigo desinformado, precisamos esclarecer algumas coisas quanto à design, ok? @doocavendish

Manifesto Rio 2016 – Por Uno de Oliveira do Caligraffiti

Análise: Símbolo da Rio-2016 é chance de trazer qualidade de vida pelo design por Elianne Jobim e Rodolfo Capeto (@rcapeto)

Rio 2016 por Marcilon Almeida (@neuralbrand)

Holding Hands in Rio – Brand New (Under Consideration) por Eli Carrico

RJ TV – 1ª Edição – 3-janeiro-2011 – Criadores do símbolo das Olimpíadas de 2016 falam sobre o processo de criação. (desconsidere a repórter falando insistentemente “logomarca”)

Rio 2016 – Logo Design Love – lista de clipping internacional

– Rio 2016 x Brazil 2014 – o duelo, by @vini_guimaraes: http://is.gd/k2RRS

[update 2]
Primeiro comentário com boas críticas construtivas não exatamente ao conceito da marca, mas críticas relacionadas as formas e cores.

Rio 2016 mais um triunfo da banalidade – Different Thinker – Mario Amaya

Distribua

Branding: o que faz uma marca acontecer?

Uma marca não acontece por acaso, mas sim decorrente de uma série de fatores. Planejamento estratégico é o principal? Também. Se pararmos para pensar nessas marcas seculares e que hoje têm valor estimado muito alto, dá pra se perguntar: quando esses produtos foram lançados, existia planejamento e posicionamento da marca?

Os tempos são outros, e hoje é impossível entrar no mercado sem prévia avaliação da onde se está inserindo. Demanda a análise de concorrência, forças, fraquezas, a chamada análise SWOT – do inglês, Strengths (forças), Weaknesses (fraquezas), Opportunities (oportunidades) e Threats (ameaças). Quando uma marca é gerenciada por um profissional de branding, existem alguns aspectos que, se bem trabalhados, fazem com que ela apareça no mercado na frente de seus concorrentes.

A qualidade do produto oferecido (seja um objeto palpável ou um serviço prestado) hoje está sob constante julgamento dos clientes, especialmente quando estes estão em redes e mídias sociais, onde a propagação de informações é alta. A qualidade também não diz respeito somente ao que é entregue, mas a todo o processo de venda, desde à oferta, os prazos de entrega, facilidades, dinâmica do serviço (no e-commerce, por exemplo), o produto em si  e também o pós-venda. Hoje não é mais somente o ato de vender, mas toda a relação que é criada com o cliente objetivando satisfazê-lo. Um cliente satisfeito é garantia de feedbacks positivos.

O foco no cliente é outro aspecto. Para posicionar uma marca é importante saber que o cliente é quem faz a sua marca acontecer. É ele quem compra suas ideias, quem paga pelo que você oferece e também é quem tem o poder de voz e vai dizer por aí tudo de bom (ou ruim) que ele tiver de impressão sobre a sua marca. Como disse o autor e designer Marty Neumeier, “sua marca não é o que você pensa que ela é, mas sim o que dizem que ela é”.

Porque oferecer a mesma coisa, da mesma forma que o seu concorrente? Diferenciar é preciso senão ambos acabam se tornando commodities para o mercado. Ir em busca da diferenciação vai delimitar seu espaço no mercado e te fará menos vulnerável às investidas da concorrência a longo prazo.

Por último, é importante inovar. Diferente de diferenciar, que é oferecer o mesmo serviço de outra forma, inovar é trazer uma proposta diferente para os seus clientes. Com uma visão diferenciada e consciência de que se voltar para o design é importante para se destacar no mercado, para criar novas necessidades e por consequência criar novos nichos de mercado.

As empresas ainda estão aprendendo a usar o design como ferramenta de posicionamento no mercado, mas já estão atentos a quesitos básicos como estes, que mostram a preocupação em atender o cliente da melhor forma possível, mantendo o foco nele e oferecendo um serviço de qualidade, inovador e de forma diferenciada. Depois disso, cabe aos empreendedores entender a importância da experiência de design para a aquisição de novos (e satisfeitos) clientes e, posteriormente, a fidelização dos mesmos.

Texto: Luisa Moratori http://twitter.com/#!/luisamoratori

Fonte: http://migre.me/2vz6e

Distribua

Designers vs Micreiros

É comum ver um aluno da graduação de Design reclamar do salário que está sendo pago pelas agências. Muitos acusam que são explorados e que fazem muitos “serviços”, e vai além. Culpam os “micreiros” dessa sua crise existencial. Mas afinal. Você tem medo de micreiro?

Você sabe o que é um micreiro?

O termo popular micreiro serve  pra designer aqueles primos/sobrinhos/amigos/vizinhos e etc. que, mesmo sem um diploma técnico ou acadêmico prestam algum tipo de serviço de design por muito pouco ou quase nenhum custo. Estes são acusados pelo designers legítimos de apresentar um resultado muito abaixo do esperado e de roubar os seus jobs. Vamos voltar a questão anterior: você acredita que os micreiros realmente roubam, injustamente, as vagas do designers e seus resultados são mesmo abaixo do esperado?

O designer tem como alguns dos seus muitos objetivos atender o público-alvo e fixar o conceito da marca. Eles fazem um estudo minuncioso e trabalhan duro para atender. Mas e os micreiros? Sim, eles fazer exatamente o mesmo! Mas a grande difereça, meus companheiros de profissão, é: As marcas pelo qual eles trabalham pede, sim, esse tipo de conceito. Sim, tenham medo!

Os micreiros normalmente trabalham com “marcas” menores, micro-negócios locais, pequenos empreendimentos familiares que atendem o bairro e é comum inciar campanhas com peças simples simples, barata e de muita tiragem. Na semiótica, aprendemos que certos símbolos definem a sofisticação de um negócio. No exemplo abaixo vemos exatamente a diferença. Consegue perceber quem é o público-alvo das capas abaixo?

Não estou defendendo que os trabalhos devem ser desenvolvidos por micreiros. Quero e me esforço para que as peças, sites, produtos, roupas, e tudo mais que o design se mete, seja projetado com qualidade por profissionais da área. Mas devemos ter em mente que negócios pequenos pagam preços menores que somente os micreiros tem a disposição de aceitar. Eles são do povo e para o povo. Os micreiros são a veia informal do design e como qualquer área tem quem se abasteça dos seus produtos. Pare para pensar razoalvemente: você, quando tem um problema menor no seu carro leva para a manutenção numa oficina autorizada do fabricante ou leva no mecânico da esquina da casa?

Voltando ao caso das agências. Vamos pensar. Seu trabalho vale aquilo que cobra? Inverta os papéis. Se você tivesse que se contratar, você se contrataria? Você como chefe veria nesse profissional dedicação, talento, vontade de estudar, conhecimento técnico que corresponde à sua perspectiva de ganhos? Estamos falando de agências coerentes e reconhecidas, por que é claro também que existem àquelas agências-senzala que sempre querem pagar menos (vamos falar delas em outra oportunidade).

Vamos fazer a nossa parte. Estuda, estudar e estudar sempre! Os bons sempre são recompensados. E os micreiros? Vamos deixar eles de lado. Se você é tão bom como diz ser não precisa ter medo deles.

Pensem nisso.

Distribua