Designers vs Micreiros

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

É comum ver um aluno da graduação de Design reclamar do salário que está sendo pago pelas agências. Muitos acusam que são explorados e que fazem muitos “serviços”, e vai além. Culpam os “micreiros” dessa sua crise existencial. Mas afinal. Você tem medo de micreiro?

Você sabe o que é um micreiro?

O termo popular micreiro serve  pra designer aqueles primos/sobrinhos/amigos/vizinhos e etc. que, mesmo sem um diploma técnico ou acadêmico prestam algum tipo de serviço de design por muito pouco ou quase nenhum custo. Estes são acusados pelo designers legítimos de apresentar um resultado muito abaixo do esperado e de roubar os seus jobs. Vamos voltar a questão anterior: você acredita que os micreiros realmente roubam, injustamente, as vagas do designers e seus resultados são mesmo abaixo do esperado?

O designer tem como alguns dos seus muitos objetivos atender o público-alvo e fixar o conceito da marca. Eles fazem um estudo minuncioso e trabalhan duro para atender. Mas e os micreiros? Sim, eles fazer exatamente o mesmo! Mas a grande difereça, meus companheiros de profissão, é: As marcas pelo qual eles trabalham pede, sim, esse tipo de conceito. Sim, tenham medo!

Os micreiros normalmente trabalham com “marcas” menores, micro-negócios locais, pequenos empreendimentos familiares que atendem o bairro e é comum inciar campanhas com peças simples simples, barata e de muita tiragem. Na semiótica, aprendemos que certos símbolos definem a sofisticação de um negócio. No exemplo abaixo vemos exatamente a diferença. Consegue perceber quem é o público-alvo das capas abaixo?

Não estou defendendo que os trabalhos devem ser desenvolvidos por micreiros. Quero e me esforço para que as peças, sites, produtos, roupas, e tudo mais que o design se mete, seja projetado com qualidade por profissionais da área. Mas devemos ter em mente que negócios pequenos pagam preços menores que somente os micreiros tem a disposição de aceitar. Eles são do povo e para o povo. Os micreiros são a veia informal do design e como qualquer área tem quem se abasteça dos seus produtos. Pare para pensar razoalvemente: você, quando tem um problema menor no seu carro leva para a manutenção numa oficina autorizada do fabricante ou leva no mecânico da esquina da casa?

Voltando ao caso das agências. Vamos pensar. Seu trabalho vale aquilo que cobra? Inverta os papéis. Se você tivesse que se contratar, você se contrataria? Você como chefe veria nesse profissional dedicação, talento, vontade de estudar, conhecimento técnico que corresponde à sua perspectiva de ganhos? Estamos falando de agências coerentes e reconhecidas, por que é claro também que existem àquelas agências-senzala que sempre querem pagar menos (vamos falar delas em outra oportunidade).

Vamos fazer a nossa parte. Estuda, estudar e estudar sempre! Os bons sempre são recompensados. E os micreiros? Vamos deixar eles de lado. Se você é tão bom como diz ser não precisa ter medo deles.

Pensem nisso.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Distribua

6 comentários

  • Oi Marcelo, gostei muito do seu post. Nós lançamos (aqui na 2AB) o livro do André Beltrão (Quanto Custa meu Design?) e, num dos bate-papos de lançamento, algumas pessoas falaram dessa relação designer x micreiro. Acho que o designer deve valorizar seu trabalho, exatamente como você diz, com embasamento, com qualidade e com valor. Faça seu design valer. Isso é feito com estudo, ética, postura, debate... Um abraço!
  • É legal imaginar como seria a capa da revista TiTiTi com um design mais limpo mas mantendo o ar de fofóca! Eu acredito que não importa pra que público o trabalho é direcionado, um designer tem que fazer o seu melhor... A diferença do designer de verdade e um micreiro é a perspectiva de futuro que os dois tem, depois de alguns anos como será o portfolio de ambos? Quem você quer ser daqui uns 10 anos, quais trabalhos você quer divulgar?
  • Como disse o grande Steve Jobs: É melhor ser pirata(improvisa) do que ser marinheiro(segue regras)... nós micreiros somos mais abertos ao que o cliente quer, um programa de edição como o AI e o CDR são um compêndio de centenas de designers, senso de estética e de harmonia não é só pra designers... e outra muita gente quer pagar pelo que precisa e não por conceitos de designers... pego muitos projetos pela metade do preço de designers formados, mas sem conhecimento do comportamento humano, os clientes reclamam que desistiram dos designers por estes serem inflexíveis, arrogantes só querem fazer do jeito deles e não como o cliente quer....
  • O que é ser um micreiro, é ser contratado por pequenas empresas? É não ter um diploma universitário? É não utilizar os Programas de uma certa marca? É não usar alguns termos técnicos e palavra em outro idioma? É quem não sabe o que é gestalt? Ahhhhhh sim. E tal criatividade fica onde, e o fundamento de prender a atenção no que se vê no que se lê, de que forma interpretar e de transmitir. Gente tem muito dinossauro sem diploma universitário que merece respeito, e que nem por não ter diploma deixou de pesquisar e estudar só que não fizeram uma faculdade, o que seria muito bom imagina se fizessem, Afinal ser designer não é dominar programas gráfico, isto são apenas ferramentas.