Moleskine

Tem se comentado sempre nos grupos de design sobre saber desenhar. Com o passar do tempo, você nota que a aptidão para desenho só é importante se o segmento que você vai querer trabalhar, exige isso. O ramo automotivo por exemplo. Saber fazer um rendering decente, faz você ter um diferencial.

O importante mesmo é você ter o interesse. Se você não tem aptidão, treinamento é a base. Treine muito, caso contrário a melhora vai ser difícil de acontecer.

Para instigar vocês a desenharem, vou mostrar os desenhos de um site: ‘Skine art. São desenhos sacaneados (depois que um amigo chamou o scanner de sacaner, eu nunca mais consegui chamar diferente o dito cujo do aparelho) dos Moleskines dos Artistas. Tem esse tom artístico mesmo, mas ter algo parecido para treinar, ajuda.

Moleskine (pronuncia-se /m?le?skine/) é uma marca de cadernos de notas produzida pela empresa italiana Moleskine SRL. Embora o nome aluda ao tecido de mesmo nome, moleskin, o caderno não é produzido ou revestido com ele, e sim com uma capa dura de cartão envolvida por material impermeável. Outras características que a distinguem são cantos arredondados, uma tira de elástico para mantê-la fechada (ou aberta em determinada página) e uma lombada costurada que permite que ela permaneça chata (a 180 graus) enquanto aberta. A folha de rosto vem impressa para que o seu proprietário possa escrever os seus dados pessoais, assim como estipular um valor de recompensa caso alguém a encontre perdida.


http://mattiasa.blogspot.com/

A Moleskine voltou à moda em nossos dias após as descrições feitas pelo escritor Bruce Chatwin dos cadernos de notas que usou. A sua versão actual, entretanto, não é uma descendente directa da Moleskine original. Chatwin usou cadernos de notas similares constantemente durante as suas viagens e escreveu brilhantemente acerca deles. O seu suprimento de cadernos, entretanto, cessou em 1986, quando a papelaria que lhos fornecia, na Rue de l’Ancienne Comédie, em Paris, informou-o de que o último fabricante de moleskines, uma pequena empresa familiar estabelecida em Tours, descontinuara a sua produção naquele ano, após o falecimento de seu proprietário.

Reloading My Moleskine

Embora a Moleskine srl divulgue que os seus cadernos de notas foram utilizados por reputados intelectuais que influenciaram a cultura no século XX – escritores e artistas como Vincent van Gogh (1853–1890), Henri Matisse (1869–1954), Pablo Picasso (1881-1973), André Breton (1896-1966), Louis Férdinand Céline e Ernest Hemingway (1899-1961) -, a marca Moleskine foi registrada oficialmente apenas em 1996, voltando a ser lançada em 1998. Francesco Franceschi, titular do Departamento de Marketing da Modo & Modo, foi citado como tendo afirmado, “É um exagero. É marketing, não ciência. Não é a verdade absoluta.[1]. Um escritor que confirmou utilizá-las é Neil Gaiman, que escreveu acerca da sua paixão pelas Moleskine em seu blog[2]. O roteirista CategoriasArteTags

8 respostas para “Moleskine”

  1. Eu tenho uma moleskine. 2 anos de uso e ela ta inteirinha, e olhe que eu não sou conhecido por tratar bem meus cadernos.

  2. Procurando na NET vi que existem alguns lugares que fazem uma cópia. Mas original mesmo, eu não sei onde tem. Mas que deve ser caro, deve…

  3. Olá! Para comprar Moleskines, pra quem tem cartão de crédito internacional, um bom lugar é o http://www.shiptheweb.com – O específico para Sketch está por volta de U$ 15,00 (o que não dá nem R$ 30,00). O caro por lá mesmo é o frete que começa em 20 dólares. Tendo uma boa quantidade pra pedir, vale a pena.

  4. Ai, voltei por que descobri algo muito especial: MOLESKINES ESTÃO A VENDA NA LIVRARIA CULTURA (online). Por R$ 48,00. Fantástico. Basta procurar por “moleskine” lá no site!

  5. Eu tenho um, aqui no Rio a Saraiva megastore tem alguns modelos, se ão me engano por volta dos R$30,00 é excelente como presente…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *