“Quer pagar quanto?”

Cópia é um assunto que gera intrigas no planeta fashion, aliás, nenhum criador está livre delas. Péssimo? Nem sempre.

Quando uma peça é copiada, a certeza é de que tem sido um sucesso e é desejada por um grande público, no entanto, a maioria deles não tem acesso a preços altíssimos, o resultado? Aquisição das cópias, que são mais acessíveis e de qualidade bem inferior.

O que vem acontecendo é que alguns designers norte-americanos, como Diane Von Furstenberg e Stuart Weitzman decidiram patentear suas criações e registrar seus direitos autorais para que no caso de pirataria, o responsável pague pelo crime.

Von Furstenberg, por exemplo, entrou com um processo contra a Target, devido à cópia de uma estampa que já havia registrado, depois disso, a rede teve que parar de vender as peças.
Weitzman, que está no meio de um processo contra a JCPenney por cópia de algumas fivelas e ornamentos de sapatos criados pelo designer, provavelmente ganhe o caso também, já que os acessórios foram patenteados em 2007.

O objetivo agora, que ganha o apoio do CFDA (Conselho de Estilistas norte-americano), é de evitar ter que mover processos peça por peça, assim, o projeto de lei é de “Proibição de Pirataria de Figurinos”, que cobriria toda a criação de determinado designer por até três anos, havendo multas de US$ 5 por cópia ou até 250 mil pelo plágio completo.

A nova “cópia” sensação foi feita pela Topshop, e é a de um modelo de um dos últimos desfiles da Balenciaga, um conjunto floral com estrutura de armadura. Confira!

3 respostas para ““Quer pagar quanto?””

  1. Uma solução é a grande marca fazer versões mais baratas de seu próprio produto e piratear a si mesma, elas só não fazem mais isso pq “queima” a marca um pouco ser tão popular, a chave da coisa está na exclusividade.

    meu lado comunista acha uma babaquice encanar com isso, meu lato empreendedor de design acha natural e primordial o valor de exclusividade da merca. Ambos estão brigando na cozinha, quem escreve aqui é o lado q não liga muito pra nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *