Design ou Desenho?

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Me foi perguntado se haveria definição em português para Design. Realmente não sei dizer com certeza se hj em dia seria melhor mudar (de novo) a nomenclatura da profissão. Para quem não sabe era conhecida por desenho industrial, lá pelos idos de 90 resolveram que era mais condizente usar Design como nomenclatura, e hj em dia tem gente que acha que “uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa”. Não, a grosso modo Design e Desenho industial são a mesmíssima coisa, mesmo q semióticamente o segundo tenha cara de garatujeador de parafusos…

Bem, vou me basear aqui em coisas q fui ouvindo com o tempo, mas principalmente no que o Professor Luiz Vidal Negreiros Gomes escreveu logo no início do seu livro “Criatividade – Projeto < DESENHO > Produto”.

Vamos lá.

“A palavra que utilizo para designar a atividade profissional que se ocupa do “desenho de projeto de produto industrial” é, simplismente, Desenho. Como para mim, Desenho significa o mesmo que “desenho-industrial” e este significa “Design”, prefiro usar o primeiro, para manter a integridade do idioma português, minha língua materna. O profissional que participa da definição de características projetuais (técnico-funcionais, estético-formais e lógico-informacionais) em produtos industriais é compreendido aqui como Desenhador”

Aí ele deixa mais ou menos claro quem ele pensa ser o profissional e mais ou menos a área que ele cobre. Pouco depois ele cita outro autor para Ter uma definição sucinta do que vem a ser tal área de atuação:

Desenho Industrial (Design) é o equacionamento simultâneo de fatores ergonômicos, perceptivos, antropológicos, econômicos e ecológicos, no projeto de elementos e estruturas físicas necessárias à vida, ao bem estar e;ou à cultura do homem (Redig, 1997).

Beleza, agora a coisinha da palavra. Certo.

Ele traz as palavras neolatinas disegno (italiano), desèn (romeno), dessin (francês) dessina (provençal), dessiny (catalão), diseño (castelhano), deseño (galego) e desenho (português), todas elas correspodem, em qualquer dicionário, ao termo inglês design, e vice-versa.

Aí é q vem a malandragem. Em todas estas línguas citadas, quando escritas com um “D” maiúsculo significam “Desenho: atividade fundamental, seja como conceito criativo, seja como técnica para projeto de produtos industriais, seja como estratégia para a inovação técnológica, seja como elemento indicador do grau industrial em que se encontra uma nação”

Daí só pra jogar a última pá de cal no assunto ele pega a definição da palavra design do dicionário Collins e liga seus sentidos a palavra portuguesa desenho.

Então. Desenho é a área de atuação, Desenhador o profissional (já que desenhista já tem outra conotação social), e Desenhador de produtos industriais, ou quem sabe, dependendo do contexto, usar Desenhista Industrial mesmo…

Agora para mim é fato que ninguém vai mais mudar isso, não com a peruada soltando esse “râni” e “dalin” pôr aí, com a piazada aprendendo cada vez mais cedo o inglês e uma terceira língua ser quase obrigatória.

Sério, acho q vai ficar Design mesmo e vale da gente catequisar esse Brasil com um profissionalismo à altura, e quem sabe daqui a pouco começam a entender melhor a nossa pelea.

Ou não tb…

PS:. O Vidal já foi professor em uma penca de universidades de renome como a UFPE, UFSM e hj, pelo que sei, leciona na Uniritter de Porto Alegre. É um cara bacana e curte um som massa, um cara q cita Pearl Jam como exemplo de boa música tem de ser um bom sujeito. Ou não tb…

PS2:. o meu livro desse tem a capa clarinha…

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Distribua

10 comentários

  • Pode crê, essa do projecto tava falando com um cara de pelotas sobre (opa). Nem chega a ser feio, é modernosão, parece aqueles carros do futuro desenhados nos anos 60, haahaha. Foda q sinceramente não acho q nome vá ajudar em nada. O que acho q causa mais confusão é q se cabelereiro é hair designer ele pode lançar um projeto no BNDES sob esse título? é isso q fico bolado de não ter uma regulamentação, não vejo problema nenhum do padeiro bread designer, mas quando um bread designer quer verba do CNPQ pra desenvolver pesquisaa coisa aperta. Segundo o Dornelles, do centro de jóias da APD tem uma verba violenta de projetos do governo que vai pras mãos erradas, mas aí entra outro problemas dos designers, neguiho não sabe escrever projeto desse tipo e prefere reclaar q tá tudo errado do que aprender a fazer (ou pagar alguem q saiba), daí perde mesmo. Deixa a galera usar a palavra, só vamo lá faze o nosso, com calma, com tranquilidade... só ir lá e faze o nosso q daí não vai subir ninguém (tá, eu já tinha parado com esse vício tropa, mas sabe como , cinema e tal...)
  • Na minha opinião, desenho e design, assim como a profissão do designer e do desenhador indústrial, fazem todos parte de um setor da arte e do artista respectivamente. Arte é a matéria que abrange todos esses setores.
  • meu caro! só por uma questão de respeito, se puder arrume o nome da cidade onde o vidal foi meu professor no uniritter: o correto é Porto Alegre. Já no teu post sobre design achei bom que tentou esclarecer de forma superficial mas coerente sobre o que faz um profissional de DID (Desenho Industrial/Design). aconselho ler o livro de Lia Guimarães Design/desenvolvimento de produto que te proporcionará uma visão mais ampla sobre a profissão.
  • Opa. obrigado por avisar pelo erro de digitação, que pra falar a verdade como fazem 4 anos que postei isso nem sei se era uma piada ou não (parto/porto). Enfim, trocado. Cara... esse livro dela deve ser õtimo mas nunca ouvi falar nem dela nem do livro e honestamente acho muito dificil que ele agregue algo tão divisor de ãgua assim. E mais honestamente ainda, mais aberto do que eu acho que o design ~e só se resolver chamar de vida. Exemplo, estas são referências pra mim: needesign.com/design-thinking-conteudos-disponiveis-na-web/ Abraço.