História da Marca Heineken

Totalmente cosmopolita. Adorada por todos, minha favorita. Com sua inconfundível garrafa verde. A cerveja HEINEKEN, uma das mais consumidas do mundo, consolidou-se como uma marca para aqueles que buscam qualidade, sabor, inovação e, principalmente, estilo.

Origem: Holanda
Fundação: 16 de dezembro de 1864
Fundador: Gerard Adriaan Heineken
Sede mundial: Amsterdã
Proprietário da marca: Heineken Brouwerijen B.V.
Capital aberto: Sim
CEO: Jean-François van Boxmeer
CFO: René Hooft Graafland
Faturamento: € 12.56 bilhões (2007)
Lucro: € 807 milhões (2007)
Valor de mercado: € 24.9 bilhões (2008)
Fábricas: 130
Presença global: + 170 países
Presença no Brasil: Sim
Funcionários: 64.000
Segmento: Cervejaria
Principais produtos: Cervejas
Outros negócios: 120 marca de cervejas
Ícones: A garrafa
Slogan: Meet you there.

Website: www.heineken.com

A História

Tudo começou em 1863, quando Gerard Adriaan Heineken, um jovem de 22 anos, comprou a cervejaria De Hoolberg, a maior da cidade de Amsterdã, fundada no século 16. O negócio foi se fortalecendo e Heineken foi abrindo novas cervejarias em Amsterdã e em Roterdã. Em busca de ingredientes de qualidade e das tecnologias mais recentes para preparação da cerveja percorreu a Europa. Na Alemanha logo identificou uma revolução nos métodos de produção. Percebeu, a importância da mudança de alta fermentação para baixa fermentação da cerveja e levou essa nova tecnologia para Amsterdã. A baixa fermentação trouxe à sua cerveja uma melhoria da qualidade muito grande em relação às demais cervejas da época. Heineken contratou em 1869 o alemão, Wilhelm Feltman, como responsável pela fermentação de sua cerveja. Outras inovações envolveram o desenvolvimento de novas receitas. Então, em 1886, um Dr. Elion, ex-estudante da escola de Louis Pasteur, desenvolveu a famosa “Heineken levedura A” que ainda dá à cerveja seu sabor inigualável. As vendas na Europa aumentaram continuamente nas duas décadas seguintes. Em 1914, Henry Pierre Heineken, filho do fundador da cervejaria, assumiu o controle da empresa, ficando no cargo até 1940, expandindo os negócios por toda a Europa, Estados Unidos e Ásia. Em 1912 com a proximidade do século XIX cresceu a competitividade com outras cervejarias.
Para competir com Amstel, Oranujeboom, Vam Vollenhoven e muitas outras cervejarias alemãs, a marca decidiu reduzir ligeiramente o preço de venda e fez investimentos substanciais no posicionamento da cerveja para o mercado local.

No início da década de 30, a cervejaria fez sua primeira tentativa de ingressar no mercado asiático, inaugurando a primeira cervejaria estrangeira do grupo em 1931 na Indonésia.
heineken_312

No mercado norte-americano a HEINEKEN teve impacto quase instantâneo. Foi a primeira cervejaria estrangeira a exportar seu produto para os Estados Unidos depois da suspensão da Lei Seca em 1933. Os americanos estavam acostumados com as cervejas domésticas que se aproximavam das cervejas européias e gostaram da herança da HEINEKEN Pilsner. Seu preço mais alto e a qualidade funcionaram como um atrativo e rapidamente fizeram dela a cerveja importada favorita dos americanos. Por outro lado, a marca lutou para entrar no mercado britânico, onde as tradicionais cervejas e bitters ainda eram mais populares que as leves e claras continentais.

O sistema de “casa amarrada” que vinculava os pubs a marcas específicas, assim como um imposto que penalizava os tipos mais fortes de cerveja, pioraram a situação da tradicional pilsner, que passou a ter mais dificuldade para concorrer no mercado. Em 1951, a Heineken introduziu uma cerveja especialmente adaptada – mais fraca – para o mercado do Reino Unido. Essa iniciativa era radicalmente contra a orientação da HEINEKEN, que sempre insistiu que seu sabor único não deveria ser alterado para agradar ao gosto local. Apesar dessa alteração, as vendas no Reino Unido permaneceram decepcionantes até a década de 1970, quando a cerveja clara ganhou mais aceitação. Na década de 60 inicia a era dos investimentos e aquisições de pequenas cervejarias e marcas.

heineken3

Nas décadas seguintes o grupo cresce em uma velocidade espantosa, expandindo-se pelo mundo inteiro, construindo fábricas, fixando-se em mercados, até então dominados por cervejas locais e transformando-se numa das maiores cervejarias do mundo.

A HEINEKEN decidiu introduzir somente em 1992, sua cerveja no mercado alemão. A seguir, contratos de licenciamento fizeram o volume de exportação aumentar. No Brasil desde 1990, a cerveja HEINEKEN é produzida pela FEMSA Cerveja Brasil sob licença e supervisão da Heineken Brouwerijen B.V. de Amsterdã. A cerveja é 100% natural, única no Brasil sem conservantes, produzida com levedura tipo A, exclusividade HEINEKEN, 100% Malte e Lúpulo especial. O processo de fabricação conta com cuidados totalmente diferenciados, o que lhe confere um sabor refinado, marcante, consistente e premiado internacionalmente.

Linha do Tempo

  • 1985 – Apresentou a HEINEKEN Special Export, que de acordo com o posicionamento da cervejaria em outros mercados internacionais, é promovida como uma cerveja premium, vendida a um preço acima da média.
  • 1996 – Introduziu no mercado a garrafa Long-neck.
  • 2001 – Introdução da HEINEKEN MAGNUM, uma garrafa de 3 litros com designer especialmente criado para parecer com as tradicionais garrafas de champanhe. Com edição limitada, é comercializada especialmente no final do ano.
  • 2005 – Lançou no mercado americano a HEINEKEN PREMIUM LIGHT LAGER, uma cerveja produzida com a mesma tradição que a original, porém com sabor mais suave, com menos álcool (3.3%), calorias e carboidratos. Primeiramente foi introduzida nas cidades de Phoenix, Dallas, Providence e Tampa. Somente no ano seguinte foi introduzida em todos os estados americanos. A empresa investiu mais de US$ 70 milhões em seu lançamento.

Ainda neste ano introduziu na França e nos Estados Unidos um novo sistema de chope portátil, chamado HEINEKEN DraughtKeg. O pequeno barril, de 4.75 litros, utiliza um sistema com CO2.

A cerveja permanece fresca 21 dias após a primeira extração.

heineken_4123

Heineken H2

A garrafa “H2” foi originalmente introduzida no mercado europeu em 2002 como edição limitada em bares e pubs. Com designer minimalista, criado pelo francês Ora Ito, a moderna garrafa conquistou inúmeros prêmios internacionais de designer e embalagem. Somente em 2003 a garrafa foi introduzida no mercado americano. Voltada para o público jovem, a garrafa de 330ml, feita em alumínio, acabou se tornando um enorme sucesso, sendo definitivamente adotada pela marca.

 

O Museu

A cervejaria original, construída em 1867 e localizada em Amsterdã, foi fechada em 1988. Anos depois, em 2002, o local foi transformado no museu “HEINEKEN EXPERIENCE”. Diferente de algumas cervejarias da República Tcheca e da Bélgica, onde é possível acompanhar, com um guia, o processo durante a produção da cerveja, aqui o passeio é mais “high-tech”. Você conhece a história da cervejaria, as propagandas que foram ao ar e o processo de produção através de diferentes ambientes multimídia, repletos de vídeos e fotos. A entrada, no valor de € 10, dá direito a 3 copos grandes de cerveja e um brinde.
museu

A marca no mundo

Atualmente a HEINEKEN tem 130 cervejarias em 65 países empregando cerca de 64 mil pessoas em todo mundo, e vendendo sua cerveja em mais de 170 países com faturamento de €12.5 bilhões. Atualmente, somente a cerveja HEINEKEN ocupa a posição de 7ª cerveja mais consumida do mundo (25.1 milhões de hectolitros/ano).

Você sabia?
A empresa está em 2ª lugar no ranking mundial de lucratividade entre as cervejarias, com volume de vendas totais na casa dos 121.8 milhões de hectolitros. Também é a 4ª maior cervejaria do mundo com 8.3% de participação de mercado.

heineken_bar_3

Heineken Bar

A idéia de concepção do Heinken Bar começou quando, pesquisas americanas, apontavam a cerveja, depois do café, como produto mais consumido em aeroportos. No dia 5 de março de 2007, a marca HEINEKEN deu um enorme passo para se tornar o novo Starbucks, só que para o segmento de cervejas, ao inaugurar a primeira unidade de uma rede de bares sob a marca Heineken Bar, disponível por enquanto só em aeroportos, no moderno e suntuoso aeroporto de Hong Kong. No espaço, com capacidade para até 70 pessoas, o consumidor é alvejado de propaganda da cerveja por todos os lados criando uma experiência única. Enquanto esperavam seus vôos, muita gente procurou o bar e teve uma experiência agradável com a marca e com o produto. A cerveja, encontrada em duas versões, HEINEKEN e HEINEKEN Extra Cold, pode ser apreciada em um ambiente moderno e aconchegante com telões que transmitem competições esportivas, filmes e eventos musicais patrocinados pela marca. O bar ainda vende bebidas não alcoólicas, petiscos e uma ampla gama de materiais e lembranças com a marca HEINEKEN. Um dado curioso é que a marca HEINEKEN é a cerveja mais consumida dentro dos aviões das principais companhias aéreas.

heineken_bar_5

heineken_bar

Design

Quem fez o site da Heineken no Brasil foi a Diretta Web, utilizando 3d.
Todos aqueles cardápios e anuncios que você vê em bares por aí, são diretamente aprovados pela agência contratada pela Heineken, isso quando a própria agência não é contratada para criar a obra.

Logo

O Heineken reivindica que dois tipos de marca – o “Authenticity” e o “Star” Heineken.

O logotipo de autenticidade especialmente foi desenvolvido para comunicar e reforçar a qualidade da marca que fermenta, e lembra herança e autenticidade. Sua área primária de aplicação é cerveja direta itens relacionados.

Já o logotipo de estrela-Heineken especialmente foi desenvolvido comunicar e reforçar a modernidade e vitalidade da marca. Pode ser aplicado em comunicação, patrocínios, mercadoria e embalagem. O protagoniza-Heineken num Heineken que fundo verde é preferido acima num fundo branco, reflete o caráter da marca melhor. A garrafa verde com etiqueta de racetrack é a origem da identidade visual da marca.

De acordo com Wikipedia, os três ‘e no logotipo de Heineken são inclinados para trás levemente, fazendo-os parecer-se sorriem. O Es sorridente foram trazidos como a etiqueta original foi pensada demais formal para a cerveja.

mais: http://www.heinekenidentity.com/heiway/viwebsite.nsf/wwwVwContent/l1home.htm

A história da estrela

A estrela vermelha nas garrafas de Heineken é um dos mais antigos e misteriosos símbolos na fabricação de cerveja. Cervejeiros medievais penduravam esse símbolo nos barris para proteger a bebida em preparo e garantir sua qualidade com o poder das cinco pontas que simbolizavam: terra, fogo, vento, água e um quinto elemento desconhecido, que eles acreditavam que era mágico.

Maravilhas do Mundo Heineken
Achei foda os anúncios criados pela agência Publicis Conseil de Paris para a marca de cerveja Heineken utilizando imagens de lugares internacionalmente famosos, como o Cristo Redentor no Rio de Janeiro. A brincadeira da campanha “For a fresher world” foi transformar estes lugares em um mundo Heineken, onde tudo é feito com garrafas, latas, coolers, entre outros objetos com a marca. Achei que o trabalho da agência francesa ficou excelente. Clique nas imagens para amplia-las.

rio

nyc

paris
As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

  • Cara, particularmente, essa é uma das sessões mais legais que eu já vi em um blog tupiniquim. O pior de tudo é que me pegou pela barriga! (não pelo estômago, pela barriga mesmo, se é que me entendem rs) primeiro o maravilhoso Jack Daniel’s, agora a verdinha mais deliciosa do planeta! Ha, sem falar que os artigos são muito bons!
    Muito legal mesmo

  • Excelente materia! Saber a história de uma marca como essa é importante para todo designer.

  • galera tenho em casa uma heineken lacradinha e adivinhem quantos anos ela tem:nem eu sei,mas calculo que tem uns 120 anos,e faz ainda colarinho.no rótulo com selo comemorativo do grande premio Paris 1889,encontrei-a no sótão de uma casa antiga,quero vender,aceito propostas.

    • Luiz Carlos cerveja não foi feita para ser envelhecida. São pouquíssimas que são envelhecidas. E a média de tempo de envelhecimento são três anos. Essa Heineken que você diz ter mais de cem anos rs. pode jogar fora que está em decomposição.

  • amo de paixao essa marca, a cerveja e as cores de verde que ela tem… amoooo verde… ¬¬

  • A cerveja é muito boa. O preço é um pouco salgado mais vale a pena. A cor verde da marca que é meio estranha em relação as outras marcas de cervejas. Mais a cerveja em si é muito saborosa geladinha é dez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *