Artigo: Voc

Antes de começar ler este artigo, quero te levar a pensar nestas seguintes questões:

Você acredita em seu profissionalismo? Você acredita no produto que você gera através do design? Bom, é relevante pensarmos nisso como profissionais. Muitos de nós (designers) temos a tendência de muitas vezes não acreditar em nós e em nosso produto.

Resultado: se um designer não acredita em si e nem naquilo que ele produz, quem mais acreditará?

Tenho um irmão (gêmeo) que nesta semana ele me falou algo que me fez pensar nesta questão:
O Valor que tenho como profissional.

Ele tem um grupo de Rap (MDP), e o seu grupo foi chamado para tocar na cidade de Florianópolis, daí o cara que o chamou Ligou pra ele e disse: cara quanto vocês cobram pra vir tocar aqui? Meu irmão disse: a cara, só a passagem e um lugar pra durmir ?tabão?.

No outro dia ele pensou consigo:
?Se o cara me ligou é porque ele gosta do meu som (produto), então eu deveria ter dito pra ele, que pra levar o meu som, o meu preço e este, e mais hotel e passagem.” Pense comigo, se o cara gosta do som deles, e que modéstia parte é bom mesmo, o ele ia fazer de tudo para tê-los em sua cidade. Por quê? Por que ele estaria demonstrando que acredita em seu som.

Daí o cara vai lá, faz a faculdade, paga um monte curso caro, vai a workshops, pesquisa na internet, compra livros, estuda a programação visual, e o cliente (matuto) chega ao designer e pergunta: quanto fica pra fazer uma logomarca (um erro, uma redundância)? E o designer (que não acredita no seu design) diz? A me dá só um ?café? (aqui em Goiás, um café custa R$ 50,00) que tabão!

Isso para mim é comportamento de um pseudodesigner, o famoso micreiro. Exite as vezes, de nossa parte, uma certa prostituição, em relação aquilo que somos e aquilo que fazemos. Se você faz design, acredite nele, estude-o, valorize-se. Você acredita no seu Design?

Cleber Muniz é designer júnior, desenvolve projetos gráficos para o SESC-GO desde 2006

2 respostas para “Artigo: Voc”

  1. Concordo e muito com o que foi dito nesse artigo.
    Acho que isso realmente acontece e infelizmente provoca um belo de um desânimo nos designers, mas a gente sabe que quem faze esse tipo de coisa geralmente não tem tantas qualificações como aqueles que sabem o valor de seu produto.

  2. como no artigo escrito, eu acho que de 10 anos para cá nos designers, estamos vivendo uma fase onde qualquer um que saiba mecher nos programas de editoriação e tratamento de imagens estão se qualificando como designers, isso é muito ruim para nós, esses ai vão atraz de emprego onde eles não sabem se valorizar pelo trabalho feito, e saem pedindo esmola para trabalhar, deveria ter uma conciencia maior para que a nossa querida área retorna-se os dias gloriosos que hoje não existem mais, por causa desses caras que se prostituiem para ganhar uma esmola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *