Recepção Unificada!

Carnaval. Mesmo sendo uma época de descanso, a Conde Curitiba não parou de trabalhar, e preocupou-se em dar continuidade ao trabalho. E no início desse ano tão importante a Área de Relações Estudantis, além de fazer a apresentação do N2010 nas universidades de Curitiba, promoverá a Recepção Unificada.

Ano letivo começando. Calouros entrando. Veteranos esperando o momento de aplicar o trote e conhecer os novos acadêmicos. Mas todos sabemos que os trotes, geralmente, são degradantes e humilhantes. E a Recepção Unificada 2010 tem um propósito diferente. Objetiva a real integração entre calouros e veteranos, e mostrar a essas pessoas a real importância delas para a sociedade.

Assim, no dia 03 de Março de 2010, estudantes de Design (juntamente com Comunicação Social), a partir das 13h promoverão a Recepção Unificada 2010. A ação realizar-se-á na Chácara do Instituto Paranaense dos Cegos. Assim, será possível integrar calouros e veteranos de diferentes cursos de diferentes universidades. Todos focados em um objetivo: ajudar instituições, e por conseqüência toda comunidade a volta. Acredite você também nessa idéia.

IDEA Brasil 2009

Prêmio IDEA Brasil

No dia 30 de julho a associação Objeto Brasil, em parceria com Apex-Brasil, anunciou os vencedores do prêmio IDEA Brasil 2009 em uma cerimônia no elegante Hotel Renaissance em São Paulo. Esteve presente diversos figurões do design nacional e internacional, entre eles o representante da IDSA Eric Anderson, responsável pelo IDEA International. Continue lendo “IDEA Brasil 2009”

Designer britânico Oliver King vem ao Brasil

A 12ª edição do Seminário Design to Business já tem data: 4 de agosto. Desta vez, o evento promovido pelo Centro de Design Paraná traz a Curitiba o designer britânico Oliver King. Cofundador e diretor da empresa Engine, King falará sobre Design de Serviços.
Design to Business

Apaixonado pelos ganhos e benefícios do design focado em inovação e pesquisa, ele identifica e apresenta propostas para o desenvolvimento de experiências a serem vividas pelo consumidor na aquisição de produtos e serviços. Professor da Universidade de Cambridge e do MIT, integra o júri do prêmio de design do Royal Society of Arts. Entre seus clientes estão empresas como Orange, InterContinental Hotels, Mercedes-Benz, Visa International, The Guardian Newspaper, Sky, MSN e Nokia.

O evento faz parte das comemorações dos 10 anos de fundação do Centro de Design Paraná e tem entrada franca e tradução simultânea.

Design to Business

12° Design To Business – Oliver King

Data: 04 de agosto de 2009
Horário: 19h30
Local: Universidade Positivo – Auditório do Bloco Bege – Curitiba – PR
Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 – Campo Comprido
Entrada franca

Mais informações: www.centrodedesign.org.br ou pelo telefone 41.3018.7332

Fonte: Centro de Design do Paraná

Continue lendo “Designer britânico Oliver King vem ao Brasil”

Greener Gadgets

No final do mês de Fevereiro, o site Core77 promoveu juntamente com outras instituições, a segunda edição do Greener Gadgets, evento que busca promover a discussão sobre novas tecnologias em energia, reais soluções para reciclagem de eletrônicos, novas invenções em produção eficiente de energia e estudos de caso em negócios ‘verdes’. Juntamente com este evento de um dia, o site promoveu também um concurso que buscava novas soluções em “gadgets” ecológicamente corretos.

Como requisitos, o concurso procurou soluções que minimizassem o impacto ambiental do consumo de equipamentos eletrônicos em qualquer estágio do ciclo de vida do equipamento.
Foram consideradas dentro da sustentabilidade as áreas de materiais/lifecycle/reciclagem, impacto social, e desenvolvimento educacional. Os designers podiam também focar em uma área do cotidiano, um contexto, um material ou um equipamento específico.

Após a primeira fase, os selecionados por uma comissão foram para o juri popular, onde era possível ver o produto com uma breve descrição e também deixar comentários. Dentre os selecionais, existe até soluções propostas por grandes escritórios de design, como a Frog Design.

O grande destaque do concurso fica por conta da promoção da educação como uma das diretrizes para novos produtos sustentáveis. Além da aplicação de novos materiais e da redução de outros, a inclusão da educação como parte da comunicação do produto está presente em diversas soluções propostas.
Apesar do período de votação ter terminado, vale a pena conferir os produtos e também os comentários deixados por outros designers. Fiquem atentos para o próximo ano!

http://www.greenergadgets.com/

Terceiro Setor e o designer

Bom, pra quem não sabe, terceiro setor são as instituições sem fins lucrativos e não governamentais, ou seja, as instituições ‘tapa buracos’ da sociedade. O governo é o primeiro setor, que cuida dos assuntos coletivos. O segundo setor são as empresas privadas, que cuidam de interesses individuais. Com a falência de alguns setores do primeiro setor, as empresas viram uma oportunidade de melhorar sua imagem ajudando a sociedade, gerando serviços de caráter público.

Segundo o site Setor3 (http://www.setor3.com.br), nos últimos anos este setor aumentou de maneira impressionante no Brasil, hoje com mais de 250 mil ONG’s que movimentam cerca de R$ 12 bilhões/ano, provenientes de prestação de serviços, comércio de produtos e doações. Isto representa 1,2% do PIB brasileiro e demonstra enorme potencial de crescimento. Em alguns países da Europa e nos EUA, este setor movimenta até 6% do PIB.

Este setor é composto na sua maioria por voluntários, mas também contrata profissionais das mais diversas áreas. Este crescimento promove também uma procura maior em mão de obra especializada, que tenha experiência em serviço voluntário… hmm… ótimo, e nós temos essa cultura de voluntariado dentro do design? Estamos qualificados para esse mercado?

Somente há pouco tempo vi ações maiores na nossa profissão, sendo que grande parte delas fora do Brasil. Alguns sites exemplificam melhor isto: Design 21 (http://www.design21sdn.com/) e Social Design Site (http://www.socialdesignsite.com). O primeiro é em parceria com setor de cultura da UNESCO e tem como objetivo promover o ativismo social dentro do design. O Design 21 funciona como uma rede que une pessoas comprometidas em projetar com impacto positivo na sociedade e promover mudanças de fato (vejam este exemplo de projeto: http://www.design21sdn.com/feature/1656). O site Social Design, sob o lema “we cannot not change the world”, foi criado para facilitar a discussão sobre o tema e criar uma plataforma única entre os interessados. Aqui no Brasil ainda acontece de forma isolada e com pouca divulgação entre os profissionais.

Dentro do âmbito acadêmico existe uma movimentação maior, grande parte em torno do design sustentável, onde um dos pilares é o design social. Mas até mesmo literatura sobre design sustentável não possui aprofundamento sobre o design social, apesar da sua importância.

A pouco tempo decidi escrever este texto com o objetivo de promover no blog a discussão em torno do papel social do designer. Afinal, qual é o nosso papel social? Na minha opinião, papel social vai além das funções de um profissional de mercado, ou seja, a parte filosófica do design, a parte ‘bonita’. Em uma mesa de discussão da Megafônica 2008, evento estudantil que aconteceu na UFPR e reuniu interessados de diversas instituições, com o tema Design e Sociedade, ficou claro que os estudantes (até mesmo os interessados e comprometidos) não sabem ao certo qual a sua função dentro da sociedade e como podem contribuir para melhorar suas dificuldades. Assim se torna difícil a atuação dos designers como voluntários neste setor que tende a captar cada vez mais profissionais qualificados.

Deixo aqui alguns sites que possuem maiores informações:
http://www.filantropia.org/

Home


http://www.rits.org.br/
http://www.ideiasocial.org.br

50 formas de salvar o planeta. Você aplica?

São medidas muito simples como “Seja vegetariano uma vez por semana” e “Compre localmente”. Como um cidadão informado e consciente, quais destas medidas você realmente aplica no seu cotidiano? Você já tentou aplicar algumas destas medidas em algum projeto?

Apesar de ser uma preocupação crescente e a grande maioria acreditar que seja irreversível, existe uma grande distância ainda entre a consciência e a prática efetiva. Muitos questionam o impacto que estas pequenas medidas podem produzir no todo e se as pessoas estão dispostas a mudar seus hábitos. O designer pode promover mudanças sociais em suas criações, porque não introduz parte destes pequenos hábitos nos projetos? Pode ser que não seja possível aplicar metodologias que promovam o ecodesign ou o design sustentável no projeto como um todo. Estas metodologias podem aumentar o tempo necessário de um projeto ou a custos além dos previstos, ou até entrar em conflito com a “consciência” do cliente. Uma saída para contornar estes problemas e tornar nossos projetos mais adequados ambientalmente e socialmente seria aplicar pequenas medidas nas fases de desenvolvimento do projeto, ou no uso e no descarte dos produtos. Encontrei estes tópicos através do site Treehugger. Existe um item dedicado ao design e arquitetura, com notícias e soluções na área, vale a pena visitar diáriamente.

Você usa o verso das centenas de folhas que você usa para seus sketchs? Sugere matérias-primas recicláveis em seus projetos? Comece por você e seus hábitos e isso se refletirá em seus projetos.

Seja a mudança!

50 formas de salvar o planeta: http://www.50waystohelp.com/