Jogo dos 7 erros: Identidade visual da Azul Linhas Aéreas.

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Não sei se rio ou se choro. Vi a nova “identidade visual” da companhia aérea Azul e li o seguinte texto no site da empresa. O que vocês acham disso?

O trabalho foi desenvolvido ao cabo de três meses e contou com a participação direta do Chairman David Neeleman e de Trey Urbahn, vice-presidente de marketing da empresa. A criação é de Gianfranco Beting, diretor de marketing da Azul.

A marca da empresa é a representação do mapa brasileiro, revisitado através de uma livre interpretação dos Estados que compõem a República, mostrados de forma estilizada. No conjunto, mostram a imagem de um Brasil moderno, unido, exuberante, através da aplicação de uma cor-símbolo para cada um dos 26 Estados da União. Este mapa “pixelizado” é a peça central da imagem corporativa.

“O mapa é a representação clara, expressa, de nosso orgulho em servir o Brasil”, afirmou David Neeleman. “Ele sinaliza claramente nossa intenção em não apenas servir, como integrar todo o País.”

Como não poderia deixar de ser, as cores predominantes são distintos tons de azul, empregados através da ampla gama de utilizações da marca. Das aeronaves aos uniformes, de materiais impressos ao website, o azul de nossos céus é presença dominante, em contraponto à exuberância do mapa colorido.

“Queríamos uma imagem alegre, distinta, contemporânea, mas, sobretudo, eminentemente brasileira. Acredito que alcançamos nosso objetivo. A logomarca escolhida homenageia nosso país e nosso povo, sem, contudo, ter uma conotação ufanista. É o Brasil do amanhã, um Brasil moderno, que ajudaremos a construir e unir através de nosso trabalho”, resumiu David Neeleman.

Gianfranco Beting comentou alguns aspectos da nova logomarca: “O uso intensivo da cor, aliado a traços modernos, aponta para nossa visão deste País no futuro: moderno, vibrante, inserido num contexto global, mas sem perder sua exuberância e alegria, traços marcantes de nossa nação. A logotipia emprega uma clássica família tipográfica, a Helvética. Sempre atual, ela transmite segurança, solidez e seriedade, fundamentais numa empresa aérea como a nossa, focalizada primordialmente na segurança e na qualidade operacional”.

Esse orgulho ganha destaque na aplicação da nova imagem nas aeronaves. Gianfranco Beting explica as definições básicas: “Em primeiro lugar, ficou acertado o emprego da cor azul num tom mais escuro na parte inferior da fuselagem, que valoriza a esguia silhueta do Embraer 195. A parte superior na cor branca foi uma imposição de David, preocupado em facilitar a manutenção, diminuir a temperatura interna da aeronave e passar uma imagem de pureza, limpeza. O destaque do mapa na cauda valoriza a logomarca, ponto focal da imagem corporativa”.

Como toque final, as aeronaves ganharão faixas auxiliares em cores distintas, aplicadas na deriva, naceles dos motores, winglets e na fuselagem, de maneira a criar um diferencial para cada aeronave. Um aspecto que mostra que até mesmo pequenos detalhes foram pensados e discutidos exaustivamente, como explica Beting: “David e Trey foram fundamentais na definição das diretrizes básicas. O processo de criação e aprovação levou ao redor de oito semanas para ser concluído. Foram cinco rodadas distintas na criação da imagem e sua aplicação nas aeronaves, com opiniões vindas de todos os principais executivos da empresa. Mais de 80 layouts diferentes foram examinados. O processo foi facilitado por um fator: David tinha certeza absoluta do que queria. Portanto, havia sempre um parâmetro claro para julgar as diferentes opções apresentadas”.

Esse processo correu em paralelo com a escolha de nomes, mas Beting explica que a logomarca agradou de imediato. “O mapa do Brasil foi uma das primeiras propostas apresentadas e foi aprovado quase instantaneamente. Depois, uma vez escolhido o nome Azul, ele foi retrabalhado para se adequar à cor predominante.”

O primeiro emprego prático da nova identidade está neste website e entrou no ar simultaneamente com a entrevista coletiva de apresentação da nova imagem realizado dia 28/05. Nos próximos meses, o trabalho de normatização de uso e aplicação da imagem será concluído, a tempo de ser empregado em uniformes, impressos e nas aeronaves, que começam a ser entregues em dezembro próximo. A previsão de início de operações está prevista para o começo de 2009.”

 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Distribua

38 comentários

  • Mesmo do ponto de vista puramente gráfico, nada conceituado, a marca tá mal feita. Ela é desproporcional e mal implementada. A relação da tipografia do nome com a marca gráfica está muito desbalanceado. O mapa do brasil não está nem um pouco harmonioso. No lugar onde seria o acre tem uma pontinha lá que num tem nada a ver, o quadrado de manaus está meio pequeno para manaus, o laranja do rio grande do sul está destoando de todas as cores do resto, bem como o rosa do piauí (num sei se é piaui aquele... foi mal!). Mesmo as relações entre medidas dos quadrados e retângulos não seguem nenhum padrão/grid (e não me venha falar que é por causa da diversidade brasileira!). O vermelho de são paulo também num tá rolando... No nordeste tem azuis demais num amontoadinho lá que mal dá pra ver o limite entre eles. Enfim... é problema atrás de problema...
  • Eu juro que vi o source do site pra checarr se foi feito em Frontpage. Usaram Visual Studio para programar um isso em ASP.NET. Coisa que eu faria em 30 minutos no Notepad. Mas isto foi muito bom para mostrar que, se eles fazem um site com esta preocupação, imagina pousar em Congonhas! Saravá Mizifio!
  • Começando com um elogio (seja, talvez, o único), achei bacana eles não se prenderem à cor azul em todo o logo, mesmo que esta esteja presente na tipografia, no entanto eles pecaram no site. Precisa ser assim tão "tudo azul"? Parece mais que o layout do site foi feito antes do nome e do logotipo. Acho que, pra cia, azul é o nome, não uma cor, ou deveria ser, mesmo que ele tenha em seu conceito essa composição cromática. E, ja que é pra insistir nessa cor ao desenvolver o layout do site, poderiam, pelo menos, procurar tons harmoniosos. Não vou repetir a critica de todos pois concordo com todas elas, mas acrescentando uma observação no conceito do logotipo, primeiro que, hoje em dia, uma imagem "pixelada" não mais representa contemporaneidade, tecnologia ou qualquer outra coisa que eles quiseram representar, e sim, aparenta algo ultrapassado. Outra observação é a intenção de representar os estados, a união dos estados, porém, esses "quadrados" que os simbolizam, estão dispostos de uma maneira que denota o oposto, ou seja, estão, de certa forma, separados, não existe uma ligação. Parece mais que eles estão querendo fugir uns dos outros do que se unir. Quanto à tipografia, acredito que eles procuraram a solução mais fácil para melhor vizualização à longa distância, e não a melhor. Bem... se for utilizar de conhecimento tecnico, não faltariam tópicos para observar, o que eu disse é apenas o que interpretei sem nenhum esforço maior, ao me deparar com a marca. Abç.
  • Marca em 3 meses? Para uma companhia de abrangência nacional? Não podiam ter começado antes, e desenvolvido o projeto além dos croquis. Os conceitos tão bem expressados verbalmente não estão tão visíveis na marca. Com certeza, o trabalho da equipe de criação poderia ir além disso.
  • Prezados Senhores,Lei com grande atencao e alegria esta creacao inteligente em toda a dimencao da palabra,deus abencoe a voces e os acompanhe sempre. A pessoa que escreve esta comunicacao trabalho na VARIG 30 anos em LIMA-PERU.por favor gostaria de saber o endereco eletronico do Ing DECIO.MAIA actual chefe de manutencao.da AZUL LINHAS AEREAS
  • Rogério...eu penso que o conceito É ruim em si... esse lance de ligar pontos, "pixels", etc., me parece um conceito jogado para justificar uma marca gráfica que eles fizeram no illustrator e num sabiam muito bem porquê... eles acharam bonitinho, mas tinham que justificar porque ser assim... sei lá. pra mim tá ruim o conceito, tá ruim a solução gráfica, tá ruim a implementação (o site num tem que devolver pra ninguém, então num teinha ele tbm que ser feio!), etc. Isso daí é serviço mal feito MESMO!
  • Samba? Mapa? "Uauu..." (em uníssono) :( "Senhores, já tenho uma proposta de nome e identidade visual para a empresa.": nofa, já? (...) "puxei um trabalho que tinha feito já há mais de três anos": idéia de gaveta? "Começamos também a trabalhar em nomes, em outras imagens, em logomarcas distintas. O processo começou sem que tivéssemos assinado um papel, discutido uma proposta comercial, acertado qualquer tipo de remuneração ou compensação.": briefing, pesquisa, estudar o cliente e abrangência do projeto, nada? Só na base do 3º olho? "De volta ao Macintosh": ahhh, por que não disse antes? "segurança, segurança": parece óbvio que Samba não é título compatível com um briefing que pede um partido sóbrio... (o que nos faz voltar ao briefing) muito embora, investimento em marketing... é investimento em marketing ("compre batom" na cabeça). "O time dividiu-se em dois: os que queriam o tipo manuscrito e os da família Helvética": tirando as brincadeiras, acho que uma questão importante que vale questionarmos aqui é resumidamente: metodologia de projeto em projeto de identidade. abraços
  • Quantos entendidos de plantao! O CV do Panda eh mesmo de dar inveja. Que bom ser a opiniao uma coisa tao pessoal. Adorei o resultado. E nao sei o por que da comparacao com a Varig. O logo eh completamente diferente. Ate onde eu sei, a Varig nao comprou a exclusividade da cor. Alias, isso nem seria possivel. Pode-se dizer entao que Lauda Air, Austrian Airlines, Virgin e Swiss copiam umas as outras? Por favor, sejam mais criativos na escolha de suas criticas.
  • Quantos designers são necessários para trocar uma lâmpada? ...suspense... ... ... ...dois, um para trocar efetivamente o equipamento e outro para dizer que faria o serviço melhor! Ah, neguinho escrevendo errado, mexer com "ch", dando pitaco no trampo dos outros, e eu aqui perdendo 5 preciosos anos estudando em faculdade de design pra perceber que esses operadores de windows com coreldraw já sabem tudo...
  • A assinatura visual é formada por símbolo e logotipo (alguns autores ainda acrescentam o decodificador) seus componentes são: padrão cromático e padrão tipográfico. Identidade Visual é formada pela assinatura visual e todas manifestações gráficas, como slogan, (decodificador), padronagens, aplicações desde site, fachada, uniformes, papelaria etc. Marca é o nome que serve pra identificar serviços e produtos de uma firma. Marca>IdentidadeVisual>AssinaturaVisual O que nos temos é uma Assinatura Visual da marca Azul. O que foi peojetado é a Identidade Visual da marca Azul, pois preve um universo muito maior que apenas a Assinatura visual. Gosto é subjetivo. Uns gostam de uma coisa outros gostam de outra, isso não tem fundamento, não tem base, é meramente opinião, se alguem perguntar a uma criança ela teria uma opinião sobre a assinatura visual da Azul. O que diferencia o profissional de outros é o seu conteúdo, seu conhecimento. O que deve ser analisado é o carater técnico, objetivo e isso só vem de testes visuais de legibilidade, comprensibilidade, leiturabilidade, visibilidade, além de análises estruturais e morfológicas. Se alguem fez isso então tem conteúdo para falar, se não é puro achismo.
  • Rogério, certamente você está muito mais embasado para comentar que eu, afinal está no seu segmento. Mas em relação a comunicação/design o trabalho está muito fraco, uma marca precisa apresentar-se como reflexo da empresa e esta está sem brilho, mesmo sendo um trabalho no Brasil, voôs domésticos, mas este avião será visto em todos os aeroportos, até mesmo nos intgernacionais e por milhões de pessoas. É isso mesmo que é o Brasil? Esta marca mostra algo do Brasil? Os "gringos" e os usuários de aeroportos sabem que cada pixel representa um estado brasileiro? Que orgulho ter um quadrado-pixel do meu estado, isso significa muito aos brasileiros... ou seja a marca não é para o Brasil, nem internacional, o que é?
  • Ricardo & Tchurma!!! A turma entrou de cacête na marca, mas acho que não entenderam do que se trata. Não sou da AZUL e nem trabalho com eles, mas entendi perfeitamente o contexto da "Marca". Claro que tem um conceito de "Marketing" por trás de tudo isso, mas eu acho válido para a finalidade da empresa! A AZUL é uma empresa criada para o mercado regional, ou seja, para voar no interior do Brasil e fazer as ligações que hoje outras empresas não o fazem. Uma empresa que liga "pontos" ou pixels do nosso país. Termo usado em aviação. Para apresentar isso temos o mapa do Brasil estilizado, ou "pixelado" com as côres principais das bandeiras desses estados, o que não deixa de ser uma boa idéia! Seguindo esse raciocínio o resultado está certo! O logo AZUL eu já defini no texto acima, mas o que lamento mesmo é que o resultado final ficou mal diagramado, ou digamos um pouco tôsco. No caso do esquema de pintura da aeronave, nota-se que está preparada para ser "pintada" mas não tanto. Ou seja, por questão de custo e para ser prático para devolvê-las, essas aeronaves não são pintadas como aeronaves de propriedade de empresa e sim de leasing. São pintadas, mas não tanto para não ficar caro e deixar prontas para uma possivel futura e rápida devolução e serem reaproveitadas para uso da próxima empresa. Isso é uma prática usual de empresas lowfare (baixo custo) que causam esses problemas de identidade visual. Volto a dizer, não tenho nenhum vinculo com a AZUL, mas como trabalho nesse mercado, entendi perfeitamente a solução. Sei que a turma daqui gostaria de uma marca mais eleborada mais...digamos marca mesmo! Não é o conceito que foi definido pela empresa e pelo Marketing. Nós Designers temos que aprender a dançar conforme a música, infelizmente essa é a realidade do mercado e não pense que qualquer dono de empresa vai achar que por você ser Designer você tem carta branca para dar apenas a sua solução. Eu já falei nesse site que o que manda no mercado são os diretores de Marketing e o brieffing é dado por eles. Temos que usar nossa capacidade para atendê-los e mostrar que sabemos trabalhar melhor que qualquer outro profissional para gerar resultados superiores. Design de autoria é uma rara oportunidade na profissão ,são poucos que tem e podem fazê-lo. Infelizmente nem sempre isso é apreciado e o resultado final a ser implantado é geralmente um esboço ou algo que lembre alguma idéia ou solução do que você gostaria de que fosse o projeto final. Isso é no Brasil ,Europa ,EUA e por aí vai....é uma luta que temos que vencer aos poucos e com profissionalismo. Por último, infelizmente, é um problema do mercado de aviação de linhas aéreas nacional. O padrão VARIG pesa na cabeça dos comandantes e como eles são tremendamente e irredutivelmente tradicionais, o padrão VARIG feito pela LANDOR segue firme e forte. Eu luto diariamente contra essa "tradição" dos comandantes e sei como isso pesa. Por eles todos os aviões seriam brancos com a barriga azul. O que tem de avião assim e de empresa aérea igual, está cheio. O melhor esquema de pintura atual na nossa região é o novo esquema de pintura da PLUNA, empresa Uruguaia, onde o esquema foi baseado no artista plástico e gravurista do início do século passado ECHER. As aeronaves são de extremo bom gosto, com tonalidade violeta e fora dos padrões tradicionais de mercado. Os nossos colegas canadenses da Bombardier fizeram uma verdadeira obra prima de esquema de pintura. Baixem o cacete, mas saibam que lombo estão malhando e saibam usar o malho corretamente. Abraços para todos! Foster. Designer Aeronáutico.
  • Prezado Ricardo e todo os leitores do site. Essa Identidade Visual da AZUL Linhas Aéreas é na verdade uma continuação da Programação Visual da VARIG feita na década de 80 pela LANDOR Associates, a maior agência de Comunicação e Design do mundo, com sede em São Francisco / USA. Vejamos, aeronave com a pintura clássica americana, ou Anglo Saxã de barriga azul marinho separada por uma faixa continua em azul médio, com a fuselagem pintada de branco da "cintura" para cima e o Texto AZUL em alfabeto Helvética, com o mapa do Brasil estilizado policromático. Naceles de turbinas azuis com um "anel" azul médio, semelhante ao esquema VARIG. Com a exceção do mapa estilizado, que é uma idéia muito boa do Gianfranco "Panda" Beting, antigo colaborador da Revista FLAP Internacional, o esquema de pintura da AZUL nada tem de diferente do esquema da VARIG, por razões óbvias, pois o pessoal técnico da empresa é praticamente todo dessa famosa e saudosa empresa. Se eu tivesse uma cópia do desenho de pintura da aeronave liberado em mãos, posso quase que afirmar que o "Federal Standard" das tintas é o mesmo da VARIG. Finalizando, o esquema da AZUL é um esquema VARIG revisitado e apenas com a "marca" AZUL criado pelo Beting. Lembrando que o alfabeto Helvética é por suas construção gráfica considerado o alfabeto de melhor visualização para grandes distâncias, por isso exaustivamente usado em placas de sinalização. Mas em Aviação é marca registrada de outra companhia aérea a Deutsch LUFTHANSA AG. a mãe da Viação Aérea Rio Grandense, VARIG. Acho que agora está tudo azul....!!! Foster Designer Aeronáutico.
  • Aonde está o design? Cadê? É inacreditável que grandes empresas ainda teimam em utilizar o desenho de um "sobrinho" como identidade corporativa, é ridículo, deveriam ficar constrangidos em expor tamanha merda. Pior é que pagaram por essa bosta, como pode?
  • Seria interessante ter colocado uma imagem da marca, ou, pelo menos o site, para que a gente possa visualizar melhor sobre o que se está falando... O site www.azul.com.br não existe e agora vou ter que ficar futucando o Google para descobrir onde está a tal "logomarca". Não custava nada, né?
  • Lígia tente www.voeazul.com.br, o link está no início do texto. Quanto a marca eu não entendi o conceito, tentei de verdade... O mapa do Brasil OK, mas e relação com aviação, velocidade, voar, eficiência, atendimento. Cadê? Estamos no tempo em que o relacionamento da marca com seu público é de atenção total, a marca precisa apresentar os valores da empresa. Cadê? Isso é o básico. Cadê? Faltou um bom trabalho de um profissional em design gráfico, faltou pesquisa de mercado, faltou conceito. Fico muito incomodado quando vejo um trabalho que tinha TUDO para ser perfeito (empresa de porte, investimento na criação, estrutura, profissionais de marketing envolvidos, expressividade da empresa no mercado) e sai isso?? Senhores, nós (eu também) designer precisamos nos posicionar melhor. Este era para ser um projeto nosso.
  • apenas um comentário LOGOMARCA - que merda é essa eles nem para usarem o vocabulário adequado. Atualizar os conceito as vezes é bom né ...... Brasileiros Valorizem os profissionais do seu pais Existe gente especializada nessa merda de criar identidade!
  • Obrigada pelo link, Ophir! Não reparei que estava no início do texto porque acabei confundindo com os links de propaganda que aparecem no meio. Nossa, mas essa marca gráfica (gente, identidade corporativa NÃO é marca gráfica!) realmente está ruim de doer. Mas se a gente considerar aquela marca criada para os Jogos Olímpicos de Londres 2012 que pretensamente foi desenvolvido por designers (ainda por cima ingleses), vamos falar o quê? Para mim, a marca gráfica ficou a cara da empresa. Perfeita tradução da identidade! O dono mandando e os quadradinhos coloridos obedecendo... é isso!
  • Nao gostaram da AZUL ????entao continuem a voar na TAM que vao virar cinzas rapidinho ou entao vao voar de GOLixo e sejao tratados como lixo, nao adianta espernear a AZUL veio pra ficar e logo mas muito logo vai tomar o lugar desta emprezicas que ficaram no Brasil, com relacao a logomarca, morram de inveja pois a AZUL ficou muito muito legal e vai ficar muito mais legal no BOEING 787-800 que logo logo vais estar voando para todo o mundo nas asas da AZUL.