I’M COMIC SANS, ASSHOLE.

Texto GENIAL.

Designers tem que aprender que eles projetam para pessoas DE VERDADE, não pra designers.

Abraços.

Tradução…

Escute. Eu sei que a merda que você tem a dizer nas minhas costas. Você acha que eu sou estúpido. Você acha que eu sou imatura. Você acha que eu sou malformada. Desculpa patética para uma fonte. Bem pense novamente seu nerd, porque eu sou a Comic Sans, e eu sou a melhor coisa que aconteceu depois das criações fodas do Johannes Gutenberg.

Você não gosta que seu colega trabalho me usou para deixar uma nota sobre o roubo de seu iogurte na geladeira da sala? Você não gosta que eu estou em vários blogs? Você acha que eu sou vulgar e pegajosa? Adivinha o quê diabos, Picasso. Nós não temos todos os setenta e três pesos de MERDA” de Heveltica, sentado no nosso MacBook Pros dezessete polegadas. Desculpe, mas o mundo inteiro não pode ser feito em todos os tipo Eurotrash Swiss type. Lamentamos que algumas pessoas gostam de se divertir. Desculpem, mas estou em pé no meio de seu evento chato, Bauhaus minimalista fascista. Talvez algum dia você deve tirar a sua camiseta preta e parar compulsivamente ajustar seu tema Tumblr e ir foder pela primeira vez.

As pessoas me amam. Por quê? Porque eu sou divertida. Eu sou a vida do partido. Trago leveza em qualquer situação. Necessidade de amenizar o golpe de uma mensagem dura sobre etiqueta banheiro? SLAM. Lá estou eu. Necessidade de incrementar as instruções para a sua festa de formatura? WHAM. Eu novamente. Necessidade de transmitir o seu divertimento e amor à natureza, acessível no seu negócio “Web site? BEIJO. Eu sou como os narcisos na filha da puta da primavera.

Quando as pessoas precisam relaxar, se divertir, ou partir, eu estarei lá, ao contrário de suas fontes patéticas. Apesar que Gotham está na feira de ciências, eu estou atrás a rainha do baile, atrás da carpintaria. Enquanto Avenir está praticando o clarinete, estou rasgando “Reign In Blood” na minha Stratocaster dupla pescoço. Enquanto Univers recarrega as prescrições da sua alergia, estou correndo enganado, nitroso-laden Honda Civic contra gangsters de Tóquio, que vai me matar se eu não atravessar a linha de chegada em primeiro lugar. Eu sou um Superman sem serifa e minha criptonita são os faladores pretensiosos como você.

Não importa mesmo o que você pensa. Você sabe por quê, jagoff? Porque eu sou famoso. Eu estou em todos os principais sistemas operacionais desde o fodido Microsoft Bob. Eu estou em seus sinais. Eu estou em seus navegadores. Eu estou em seus mensageiros instantâneos. Eu não sou apenas uma fonte. Eu sou uma força da natureza filho da puta e não vou descansar até que todos os tipógrafo galos, como você está estejam rodeado pela minha adorável presença, histórias em quadrinhos inspirados, badassery sans-serif.

Chega dessa palhaçada. Eu vou começar a martelada com Papyrus.

PS; Se tiver algo errado na tradução, comentem aí.


  • Ok ok, divertida… Mas eu não aprovo sua forma de aplicação em muitos projetos! Continuo fiel a nossa querida Helvetica! =D

  • Ah, me poupe, Helvetica? Pelo que eu saiba, a partir dos anos 80/90, a Helvetica começou a ser descartada por ser muito ‘formal’, por representar o Design ‘atrasado’… O Design agora é informal, apesar de ser necessário usar alguns princípios bauhausianos. Mas a sociedade não aceita uma simples Helvetica em palavras que poderiam causar mais impacto se a tipografia se transformasse na própria imagem. Helvetica morreu.

  • Tem alguém aqui em cima que num entende nada de tipografiiaaa… (pra num falar de design e história do design, mas isso a gente omite pra num ser muito ofensivo…)
    Dá uma olhadinha, de leve, no filme da Helvética, que tem nesse blog. Ele pode (acho!) ensinar algumas coisinhas…

  • Sim, eu vi o filme. Cada designer tem uma opinião.
    Uns gostam dela, outros não.
    Logo, eu tenho o direito de ter uma opinião, certo?
    Isso não quer dizer que eu não saiba design.
    E isso não quer dizer que você saiba design.

    Então vê se abaixa a bola aí.
    Expus a minha opinião, assim como o cara expôs a dele sobre a Comic Sans.

  • Hahaha, o maior poder da Comics, além de pertubar nossa visão em várias aplicações é criar discussão rs.

    E uma coisa é certa, não importa se você odeia ou não, sempre alguém vai achar que a Comics é “necessária” 😛

  • Eu não gosto da Comic Sans, mas também tenho uma certa aversão automática à tudo que as massas consolidam como padrão, por isso, Helvética é carta fora do baralho. Eu até tentei usar a Arial, pois algumas letras tem um desing mais bonito que da Helvética, como o R, por exemplo, mas o cara que criou a Arial provavelmente não sabia que tinha que dar espaçamento harmonioso entre letras… então sou adepto de Frankgothic, Univers, Humanst 521BT e afins… mas confesso que isso não me tira o sono ou eleva minha adrenalina, XDDDDD

  • é tipo a Geisy falando : “e dai se eu sou baranguérrima? sou mais na famosa do que muita gente”
    gosto popular e visibilidade não servem como parametro decisivo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *