O Bom Profissional

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Já de começo eu digo que isso aqui não é mais um texto sobre a Regulamentação. É sobre postura.

Certamente os comentários que venham a surgir, irão ser a finalização do texto.

Começo com uma pergunta : no seu cotidiano, você tem uma postura profissional adequada com seus clientes?

A autopercepção é fundamental para um profissional querer alavancar sua carreira ou sua empresa.

Mesmo sem eu saber em que estágio você está (ou trabalhando, estudando ou trabalhando e estudando) eu digo que você deve saber se atende bem seus clientes internos ou externos. Se cumpre os prazos. Se lida bem com suas dívidas. Se seus parceiros, (aquele povo que você terceriza os trabalhos) estão satisfeitos…

Essas questões são importantes, na minha opinião, e as respostas podem te ajudar. Porque vão servir de guia para as suas decisões. Você tem que saber qual é a sua.

Eu entendo que existem dois tipos de profissionais: os donos e os empregados.

Se você tem a certeza que não gosta da parte burocrática de uma empresa, dê prioridade a estar sempre se atualizando e aprendendo softwares.

Já aviso que só isso não é saudável, pois nenhuma empresa gosta de funcionário que faça o seu e acabou. Muitas vezes você nem precisa fazer mais, mas tem que saber no mínimo como funciona.

Isso serve para quem gosta de ficar na área de criação ou na parte técnica. Aprender trocentos programas, muitas vezes vai ser o diferencial para uma vaga.

Cito aqui por exemplo o software Catia (hoje já na versão V5) que empresas como a Volvo, correm atrás de quem saiba.

Não se engane, só saber usar a ferramenta não vai ser o suficiente. Como é que você vai saber “desenhar” em 3d se não sabe nem geometria nem materiais de produção?

Quem ser um webdesigner completo? Sabe tudo que envolve o processo? Clentes? Problemas de configuções dos navegadores? Cor? Fonte? Só um “curso de web” não vai fazer de você alguém que se destaque.

A cada ano a mais de estudo, seu salário aumenta em média 17%. Dados do Brasil.

Mas você não quer saber de chefe. Você quer ter seu escritório/studio/empresa ou ser um freelance que seja. Antes de ir achando que, como você é um ótimo designer, você vai conseguir muitos clientes, saiba que você tem que vender.

Pior, tem que saber vender, estar ciente de prazos e o que vai acarretar os atrasos das entregas… Vai ter que conhecer a parte burocrática. Impostos sobre a sua empresa (sim, você vai ter que abrir empresa, pois corre o risco de não conseguir alguns trabalhos por não fornecer nota fiscal). Nesse último quesito, todo mundo sabe que “dá-se um jeito”, mas até quando? Até quando você vai pagar suas notas ou perder esses clientes? Tem empresa que não trabalha desse modo.

Vejo muito disso: um designer numa agência, por exemplo, achando que não pode “crescer mais” dentro da empresa. Sai e monta seu próprio escritório. Mas o que ele sabia (ou não) para ter um cargo “maior” numa agência? E agora que está fora, ele sabe vender? Eu vejo que o texto da Lígia dá altos exemplos disso.

Quem tem empresa ou é um freela, a indicação é sua grande aliada. Os caras bons sempre têm trabalho, não é mesmo? Mas se quiser ganhar mais, vai ter que se empenhar mais. Ou sozinho ou arranjando alguém para criar no seu lugar ou vender no seu lugar. Quem faz o que sempre fez, só consegue o que sempre conseguiu.

Independente se um projeto de design atenda uma necessidade social, um dono de padaria ou um grupo multinacional, essa peça tem um custo. É muito difícil não associar design a venda. Eu encaro como investimento. Sempre deve ser pensado no valor. No mínimo criação e produção. Mesmo que seja para amigos.

Há ainda mais uma possibilidade: você não fazer idéia do que quer.

Então : converse!!!!! E muito mesmo. Antes de tudo aumente sua grade de conhecidos. Pergunte, mande e-mail, visite o pessoal que tem uma empresa. Veja com as empresas o que elas estão procurando. O pessoal que se interessa pela parte técnica, veja os softwares mais usados e veja se o seu curso vai te suprir essas necessidades. PESQUISE!

Antes de tudo se prepare. É o melhor jeito de você ser um bom profissional.

Nosso meio anda lento em termos de uma coerência postural dos designers e do mercado (habituado com a bagunça). Preparando-se mais você estará minimizando problemas para você e todo o resto.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Distribua

7 comentários

  • É. O FreelanceSwitch tem um zilhão de topicos e listas que levam em consideração essas dicas, mas aqui no design.com.br encontrei tanto neste topico, quanto no da Lígia Fascioni, um material REALMENTE importante pra quem vem entrando no mercado. E é isso que eu acho que se aplica muito mais à nossa realidade, acadêmica, pós-acadêmica e de transição. Esse tipo de leitura é muito mais aplicada e agradável a 70% das pessoas em condições parecidas. Não sei exatamente tua situação acadêmica, Ed, mas acredito que seja parecida com a minha. Eu tô em vias de graduação, trabalhando como frila depois de dois estágios, e começando a pensar mais sério em mestrado. Isso é bem a condição da maioria dos estudantes/profissionais de design que conheço, que tenho contato mais direto. E, repetindo, é esse tipo de leitura e discussão que REALMENTE enriquece nossa categoria, sabe? Sobre o modo como tratar com os clientes, com os beneficiados por nosso serviço. Seja indireto, como a campanha duma marca, seja direto, como uma embalagem para o consumidor. Uma relação de honestidade e confiança no melhor estilo do "Bom Profissional". Parabéns, Ed, e parabéns atrasados à Lígia. Ótimos materiais. SEM BABAÇÃO, Ô! :)
  • Obrigada pelas palavras, Felipe! Vocês não sabem como fico feliz em estar sendo levada a sério numa discussão dessas, já que eu nem sequer sou designer (como muita gente adora me lembrar). É que realmente comprei a briga de vocês e penso que o testemunho de quem já esteve do outro lado do balcão e agora transita pelos dois mundos (cliente e designer) pode ser útil. Sou consultora de identidade corporativa e gestão do design e vivo fazendo a ponte entre designers e empresários. Fico me empenhando em mostrar para os empresários o quanto o design é importante, mas tem alguns designers que realmente não colaboram...
  • Agora sim, Ed. Desculpe por ter te assustado aquela hora. rsrs Agora suas palavras fizeram sentido e, com elas, percebi que dominar somente o photoshop não faria de mim um bom profissional. Claro que toda regra tem suas exceções. Eu estudo um pouco de Corel, InDesign e Illustrator também, mas nada que influêncie diretamente nos trabahos. A partir de hoje, buscarei aprender mais esses programas que tenho pouco afinidade. A postura com os clientes é fundamental. Obedecer as datas marcadas, o bom tratamento e a cortesia são as "tags" a quem está em busca de novos clientes, pois só assim você terá a boa divulgação de seu trabalho que, por sua vez, vinda de terceiros, tem muito mais impacto que uma publicidade qualquer. Vocês estão desenvolvendo boas descussões. Continuem assim. Sucesso a todos!
  • Achei super interessante essa matéria, porque acho o seguinte,assuntos desse tipo atingem diversos publicos e não pessoas que trabalham em uma específica área. Acho muito mais agradável ler assuntos relacionados a postura ou modo de tratar ou se apresentar aos clientes porque é uma coisa que me faz melhorar como profissional!!!! Parabéns.....espero ver mais matérias desse tipo!! Abraços!!
  • Rs... nem preciso falar que este texto fico muito bom... Vejo isso sempre quando discuto com alguns amigos designers, “nós” achamos q somos os donos da verdade, que ninguém nos entende ou coisas do tipo... Sempre vejo pessoas com a mesma postura q o Thiago tinha falado, se acham alto suficiente... não conseguem ver q se não houver aprimoramentos, como pessoas e como profissionais nunca vão ser alguém na vida...ou vão dar soco de mais em ponta de faca até entenderem como as coisas funcionam...rs Este tipo de texto tinha q ser mais abordado não só... não só na academia... (onde tudo eh permitido...e ilude de mais a garotada...rs)...Mas em cv como aki e encontros como N e Rs Design... entre design com design... o problema q eu vejo muito eh q este tipo de espaço... são pouco usadas por pessoas q assim... (pois segundo elas, já sabem q tem q ser feito...rs)... e o resto dos designers são apenas mais um concorrente em q elas tem é q se afastar...