PARABENS!!!

Parabens a todos, para quem não sabe como foi criado o dia do design, vamos um pouco a história….

No dia 19 de outubro de 1998, o então Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, assinou um decreto instituindo o dia 5 de novembro como o Dia Nacional do Design, que começou a vigorar a partir
da data de sua publicação no Diário Oficial, o dia 20 de outubro do mesmo ano.

Esta data foi instituída em homenagem a um defensor do design no Brasil, o advogado, artista plástico, designer e planejador brasileiro Aloísio Magalhães, nascido em 5 de novembro de 1927.

Sendo um dos designers mais importantes de sua época, Aloísio desenvolveu projetos conhecidos nacional e internacionalmente, como a identidade visual da Petrobrás (alterada há alguns anos), o desenho das notas do cruzeiro novo e o símbolo do IV Centenário do Rio de Janeiro.

Participou do grupo de vanguarda “O Gráfico Amador” em Recife, na década de 60. Na mesma época, ganhou os principais concursos brasileiros de desenho de símbolos. Em 1962, participou da criação da Escola Superior de Desenho Industrial (ESDI) e, em 1980, assumiu a Secretaria de Cultura do MEC.

Alóisio Magalhães sempre defendeu conceitos como a “brasilidade” do design e a recuperação da memória artística e cultural brasileira e foi sem dúvida, uma das figuras mais importantes da história do design brasileiro.

Entre seus trabalhos, o design das notas do cruzeiro novo é um dos mais conhecidos. Aloísio acabou com o conceito de “pé” e “cabeça” do dinheiro, criando uma moeda individualizada e reconhecida como inovadora mundialmente e influenciando todo modo de produção monetário no Brasil desde então.

O design brasileiro e a indústria nacional têm muito a agradecer ao empenho de Aloísio Magalhães, pois foi por esforço dele que hoje podemos identificar um avanço no entendimento do significado do design pelo empresariado. Este entendimento vem se reafirmando pelos resultados vivos obtidos pela indústria nacional através da efetiva inserção do design nos processos produtivos como ferramenta fundamental no  desenvolvimento de seus produtos e, pela sensível percepção dos resultados traduzidos na rentabilidade da produção, na racionalização de processos, na melhor adequadação de materiais e na preocupação com o impacto dos produtos no meio ambiente.

A mistura de todos estes fatores remete a uma produção caracterizada pelos diferenciais necessários para o aprimoramento do padrão de qualidade do produto nacional e para o bom desempenho na sua comercializaçã o nos mercados interno e externo.

A busca pela “brasilidade” nos produtos como identidade começou com a visão futurista do designer Aloísio Magalhães e vem se reafirmando a cada dia através do esforço dos profissionais de design e do bom entendimento da indústria.

fonte: apdesign

quem comentar primeiro com o ano real desse post ganha um prémio surpresa….

  • Afff, não gostei da solução. Um fundo hachurado e alguns flashes ali no canto dariam um “tchan” a mais.

  • Pogrebnyak, quem sabe também uns florais, e coisa e tal, né? oh, coisa de loco! Será que designer num consegue deixar de palpitar de vez em qdo? Aproveita o dia do designer um pouco!
    isso me lembra uma coisa… qual o problema da hachura? simples.. tem gente que qudo vê coisas hachuradas tem ataque de labirintite. Será que todos esses sites mudernosos que os usam deveriam usar? probremas, probremas…

  • Hoje poderia ser o dia em que a profissão é regularizada, imagina as centenas de milhares de multas que os micreiros receberiam por uso indevido da comunicação visual (colocando um juro é claro sobre “tchans, coloca um verdinho na loguinho, etc”!

  • A sensação é a mesma de estar fazendo aniversário pela segunda vez!
    Estamos passado por uma fase de vacas gordas no design nacional…Muita gente com vontade de aprender e fazer o melhor esta posicionando o Brasil como um futuro [Pólo em Design], com trabalhos inovadores coloridos e verdadeiramente significativos para a sociedade contemporânea. Estou de fato feliz por fazer parte desse momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *