Há 185 anos um Brasileiro descobriu a fotografia e você nem sabia disso

O pioneirismo brasileiro na fotografia existe e muita gente não sabe porque demorou 140 anos para ser reconhecida internacionalmente, mais precisamente em 1976, quando o fotógrafo e professor Boris Kossoy resgatou e divulgou uma pesquisa em livro sobre “Hercule Florence – A descoberta da fotografia no Brasil“, lançada em 1980.

Tudo começou em 1833, em Florence, na Vila de São Carlos, agora conhecida como Campinas (SP) quando a fotografia pode ter sido inventada no Brasil, com um método diferente, por Antoine Hercule Florence, um francês naturalizado brasileiro que viveu aqui por muitos anos. Após vários experimentos – que incluíram até o uso de urina para fixar imagens -, Antoine desenvolveu uma chapa de vidro tratada quimicamente que capturava a imagem e depois podia passá-la para o papel. Esse feito permaneceu pouco reconhecido por décadas até que o historiador Boris Kossoy, da Universidade de São Paulo (USP), revelou a façanha no livro 1833: A descoberta isolada da fotografia no Brasil.

 

Distribua

Fonte X9: Calibri conseguiu derrubar o primeiro-ministro do Paquistão

Lembram que postei aqui que investigadores revelaram que documentos financeiros cruciais fornecidas pela família Sharif utilizava da fonte Calibri da Microsoft, mas tinham datas de antes da liberação da fonte para o público. Pois é, o primeiro-ministro do Paquistão, Nawaz Sharif, vai deixar o cargo imediatamente, seguindo uma decisão história da Suprema Corte do país. Sharif tem enfrentado acusações desde o ano passado, quando documentos vazados aparentemente mostravam que sua família tinha riquezas escondidas em empresas fantasmas no exterior.

Enquanto no Brasil uma mala de dinheiro, duas gravações não comprovam nada…

Nessa sexta-feira cinco membros da Suprema Corte decidiram de forma unânime que Sharif será desqualificado de ocupar qualquer cargo público, alegando que ele foi “desonesto com o Parlamento e com o sistema judicial”, a CNN apurou que, um porta-voz do partido o PMLN, depois deu uma declaração que dizia: “Nawaz Sharif deixará de ser o primeiro-ministro do Paquistão apesar de ressalvas a respeito do veredito”. O gabinete do primeiro-ministro também será dissolvido.

As finanças da família de Sharif passaram a ser apuradas depois do vazamento de 11,5 milhões de documentos conhecido como Panama Papers. Os documentos supostamente hackeados identificaram muitas pessoas poderosas as redor do mundo, o nome de Sharif estava nestes documentos que destacavam como era escondido o dinheiro nas empresas fantasmas. Foi aí que começou a investigação não só no primeiro ministro, como em toda sua família.

A investigação foi neste mês e o relatório final identificou muitas irregularidades, mas o ponto cabal foi a fonte da Microsoft em um documento que deveria existir antes da existência oficial da fonte, Calibri. O documento que estava datado em 2006 foi pastado por sua filha, Maryam Sharif no twitter, e quando os investigadores foram analisar, perceberam que o papel não poderia ser legítimo porque a Calibri foi lançada só em 2007.

O caso ganhou muita notoriedade por lá e nas redes sociais foi usado a hashtag, #Fontgate, como uma referência a todas as coisas relacionadas com a corrupção da família.

Eu sou uma administradora e não a dona. Prova anexada.

Nas descobertas que o GizModo noticiou, os investigadores descobriram que os filhos de Sharif não declararam a propriedade de três empresas offshore que fecharam negócios avaliados em pelo menos US$ 25 milhões e também afirmam que Sharif foi o presidente do conselho de uma empresa chamada Capital FZE, registrada nos Emirados Árabes Unidos. Essas coisas não necessariamente seriam ilegais no Paquistão, mas a família precisa declarar formalmente o envolvimento.

Paquistão Sinistro!

Nos últimos 69 anos do Paquistão nenhum primeiro ministro civil terminou seu primeiro mandato completamente. Essa também foi a primeira vez que Sharif é forçado a sair fora. Ele já foi deposto em 1999 por meio de um golpe militar e ficou preso sob acusações de apropriação e corrupção. Seis meses depois ele foi liberado e mesmo após o escândalo, Sharif conseguiu ser reeleito em 2013. Agora os paquistaneses só esperam que decisão da Suprema Corte impeça uma futura eleição no futuro.

[Bloomberg]

 

Distribua

Abstract: Netflix lançou um documentário sobre a arte do design

A nova série da Netflix, Abstract: The art of Design conta a história de 8 mentes de designers e como seus trabalhos influenciaram e influenciam vida das pessoas. A série é dirigida por Scott Dadich, criador e editor chefe a revista Wired. 

Os escolhidos, ao menos para a primeira temporada, foram: Bjarke Ingels (arquiteto), Christoph Niemann (ilustrador), Es Devlin (cenógrafo), Ilse Crawfor (designer de interiores), Paula Scher (designer gráfico), Planton (fotógrafo), Ralph Gilles (designer de automóveis) e Tinker Hatfield (designer de tênis da Nike).

Para assistir, acesse esse link.

Distribua

Porque o simbolo de medicina é uma cobra e um cajado?

Todo designer já cometeu uma gafe né, pois é. Recentemente eu estava apresentando o BudMaps em uma reunião, tudo ia bem, até que parei na seção seção dos médicos brasileiros que já prescrevem canábis medicinal no Brasil. E um dos médicos falou: muito bom o aplicativo, mas o símbolo de medicina está errado!

Sério? – indaguei tão rápido quanto minha mente que, no mesmo momento, já estava pensando em toda a etapa de definição das imagens padrões para os médicos e me perguntando qual era a função das asas e das duas cobras e o porque da confusão de símbolos entre duas cobras e a asa.

Por sorte o médico era também produz conteúdo sobre medicina e depois da reunião de uma forma mais descontraída, ele me contou que o Conselho Federal de Medicina (CFM) adota é apenas uma cobra e um cajado, ele me explicou que há duas histórias envolvendo cajado e cobra e saúde.

Muita História!
O Caduceu de Mercúrio e o Bastão de Asclépios, ligados de alguma maneira à Medicina. Porém, qual deles realmente é o verdadeiro símbolo da Medicina? E por que tanta confusão? Ambos os símbolos derivam de muitos anos atrás, principalmente da mitologia grega. Entenda aqui qual é de fato o símbolo da medicina.

O primeiro símbolo se chama Caduceu de Mercúrio. E ele não é o símbolo da medicina!

Segundo a mitologia grega, o Caduceu de Mercúrio (ou Hermes) tem esse formato porque o cajado foi usado para separar duas serpentes que lutavam e estas se entrelaçaram na haste, formando a imagem acima. Hermes também é deus dos negociantes, o caduceu tornou-se o símbolo do comércio.

WTF? Como é que foi parar na medicina?

Ainda na mitologia grega, Hermes tinha como função de conduzir os mortos ao Hades (reino dos mortos). Tempos depois os encarregados por levarem os corpos dos guerreiros mortos no campo de batalha para casa (similar ao que Hermes fazia) usavam o símbolo do caduceu. Na época esse símbolo tinha a mesma força de um bandeira branca ou a bandeira da cruz vermelha. Surgiu daí o uso do caduceu como símbolo de serviços de saúde de algumas forças armadas, inclusive a dos EUA.

Ironicamente ou não, no país onde a saúde é tratada como comércio escolheu o símbolo de, comércio, não da medicina!

Qual é o símbolo da medicina?!

O símbolo da medicina é esse acima, ele é grego e conhecido como Bastão de Asclépios.
Asclépios era neto de Zeus e filho do Deus Apolo com sua amante Corônis. Ela engravidou de Apolo mas teve um caso com Ischys. Zeus matou Ischys com um raio, e Apolo matou Corônis pela traição e retirou o ainda feto ainda vivo do ventre o levou para Quíron, o sábio centauro que havia educado vários heróis. Assim nasceu Asclépio aprendendo e adquirindo uma grande habilidade na medicina, descobrindo uma maneira de ressuscitar os mortos tornando-se o Deus da medicina. No meio da história toda ele recebeu de Atenas o sangue vertido das veias da Górgona Medusa que continha o violento veneno do lado esquerdo e o sangue do lado direito que era salutar;

Asclépio o utilizava para devolver a vida aos mortos. Asclépio apaixonou-se por Epione, que se tornou deusa da anestesia, aliviando as dores. Tiveram os filhos: Machaon (cirurgião) e Podaleirus ou Podalirio (o dom do diagnóstico e da psiquiatria) que foram os médicos dos gregos na Guerra de Tróia; Telésforo – o pequeno gênio da convalescença, Panaceia – a deusa dos medicamentos e ervas medicinais, Iaso – deusa da cura, Áceso – deusa dos cuidados e enfermagem, Aglaea – deusa dos bons fluidos, boa forma e beleza natural, e Hígia ou Higeia – deusa da prevenção das doenças, que deu origem ao termo Higiene (limpeza, higiene e saneamento). Mas a maestria de Asclépio tornou-se perigosamente grande e começou a ressuscitar os mortos. Temendo que Asclépio revertesse a ordem do mundo passando esse conhecimento aos homens, Zeus o matou com um raio. Apolo colocou o seu filho entre as estrelas como a constelação do Serpentário, o Ophiucus e o divinizou. Assim Asclépio virou o Deus da Medicina, mesmo não estando no Olimpo nem habitando o Hades.

Como surgiu esse cajado com a serpente?

Numa de suas visitas a pacientes em seu templo, uma serpente enrolou-se em seu cajado. Apesar do esforço para retirá-la, a serpente tornava a enrolar-se no cajado onde permaneceu. Asclépios, que era o deus da medicina, teve em seu cajado com uma serpente enrolada, o símbolo da atividade médica. A serpente ainda está relacionada a uma crença grega ainda mais ancestral, de que as cobras seriam donas de grande sabedoria e capacidade de regeneração e cura.

Certo… E por que essa confusão toda?!

Existem vários motivos de confusão, mas o mais notório foi a publicação das obras de Hipócrates, considerado o “pai da medicina“ pelo tipógrafo suíço Johannes Froben, em 1538. O caduceu era o símbolo de suas obras e sempre era estampado nas capas dos livros. A gerações as profissionais foram pegando o primeiro livro da medicina e sem entender ao certo o porque do símbolo foram usando… Atualmente o fato que contribui para a confusão é o que citei acima: de os serviços de saúde das forças armadas americanas utilizarem o símbolo errado.

Desde 1948, quando foi fundada a Organização Mundial de Saúde (OMS) adotou o símbolo de Asclépio. A Associação Médica Mundial se reuniu em Cuba em 1956 e adotou um modelo padronizado do símbolo de ASCLÉPIO para uso dos médicos civis, em que a serpente tem duas curvaturas à esquerda e uma à direita.

Aqui no Brasil também prevalece o símbolo de Asclépio. A Associação Médica Brasileira, as estaduais e as filiadas usam o mesmo símbolo. No entanto é possível ver erros no cotidiano pela falta de informação.

Derivações
Derivar significa que todo símbolo pode ser estilizado, porém não pode ser substituído por outro. Há alguns exemplos de alterações utilizadas em território brasileiro.

  • Associação Paulista de Medicina e o da Academia Brasileira de Medicina Militar, em que o bastão toma a configuração de uma espada;
  • Escola Paulista de Medicina, em que o bastão é o próprio tronco de uma árvore;
  • Associação Brasileira de Educação Médica, em que o bastão é uma tocha, simbolizando a luz do saber;
  • Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, em que a serpente assume o formato de um nó cirúrgico.
  • Conselho Federal de Medicina Veterinária, onde junto ao bastão e à serpente está inserida a letra V, ambos tendo como moldura um hexágono irregular.
  • Distribua

    O pai da camisa amarelinha

    Conheça a história homem que criou a #amarelinha, a camisa da seleção mais famosa do mundo. O Aldyr Schlee vai contar a história de como criou esse símbolo do futebol mundial, no episódio de Brasileiros de Coração, do Itaú.

    Distribua