Design é igual a “desenho”

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Entre tentar manter um blog de design e gravar um podcast sobre design, web design e novidades na internet, consegui falar com um amigo meu que estuda design furiosamente. Notei que em seu portfólio ele se chamava de “desenhador”. Curioso, decidi perguntar por que disto e ele prontamente me respondeu.

E depois da discussão enorme no post “A tênue linha entre o design e a arte“, tá na hora de um pouco mais de polêmica. O texto a seguir é da autoria dele (Luiz Canet) explicando por que “desenhador” é a forma brasileira de designer.

Segundo estudos lingüistas e etimológicos realizados pelo Professor Luiz Vidal Negreiros Gomes da UFSM com a ajudas de vários outros profissionais, Desenho é o termo correto na língua portuguesa para se referir ao que na língua inglesa é conhecido como Design. Portanto, Desenhista ou Desenhador (como eu prefiro), é o mesmo que Designer. O que ocorre, é que no decorrer do tempo, aqui no Brasil, houve uma mudança no sentido da palavra “desenho”, que passou a ser utilizada para definir o ato de delinear formas através do traço. Originalmente este ato deveria ser chamado de debuxo na língua portuguesa, assim como debujo em espanhol e draw em inglês.

Pessoalmente, eu prefiro utilizar termos na língua portuguesa como uma das atitudes que podem ajudar a valorizar a profissão. Pois eu penso assim: muitos designers reclamam que os clientes não entendem os procedimentos e a linguagem do design, mas isso ocorre porque os profissionais da área utilizam uma linguagem recheada de estrangeirismos que não está ao alcance das pessoas que não foram inseridas nessa linguagem. Vamos a um exemplo. Imagine a seguinte situação: o Desenhador (designer) vai falar com um cliente que nunca utilizou o serviço na área, mas quer que seja desenvolvida uma identidade visual para a sua empresa. Se o Desenhador disser que precisa do “briefing do job”, o cliente simplesmente perguntar: “Bife do Jóbi? O que é isso?”. Então o Desenhador teria que perder algum tempo para explicar o procedimento. E o cliente algum tempo para se acostumar com a linguagem. Em compensação se o Desenhador disser que precisa das instruções do trabalho, logo o cliente já estará ajudando dando todas as informações possíveis. Ou seja, por que os designers querem complicar se os desenhadores podem simplificar a vida do cliente? É começar a utilizar, desenho ao invés de design, instruções ao invés de briefing, trabalho ao invés de job, rascunho ao invés de rough, etc…

Bem… Posso estar parecendo um tanto radical. Mas como Desenhadores temos que pensar em como simplificar a vida das pessoas.

Esse assunto vai longe… Mas se você quiser mais informações, procure por Luiz Vidal Negreiros Gomes da UFSM. Ele tem vários livros sobre o que ele chama de Área do Desenhos. Muito interessante!!

Outra definição de “desenhista” dele é dada em uma citação no seu portfólio:

Ser desenhador é contribuir com o desenvolvimento da sociedade através de um trabalho que, envolve não apenas uma boa aplicação da técnica, mas também, uma visão crítica sobre tudo o que envolve a vida das pessoas. Desse modo, é possível desenhar objetos, sejam eles de comunicação visual ou produtos, que atendam as necessidades humanas, levando-se em consideração, aspectos econômicos, produtivos, ergonômicos, ambientais, comunicacionais, entre tantos outros. E isso tudo só é possível com uma incansável busca pela ampliação do conhecimento. Afinal, desenhar nada mais é do que dar forma ao mundo em que vivemos.

Então, tá na hora da gente mudar nossa linguagem designerística para o português brasileiro?

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Distribua

35 comentários

  • huahua... é mesmo... voc..ops, porta não pede desculpas (resta saber se não sabe ou não quer torcer o braço, que por acaso ñ deve ter né, tipo joão sem braço)... rss ok ok ok... chega disso, não aguento essas picuinhas... hauhauahua
  • A verdade a faculdades so querem as mensalidades eusou estudante de desenho industrial e na verdade o curso é a maior enrolação te ensinam coisas que eu tenho certeza que nunca usaremos o termo desenho industrial é por que se tem dois cursos juntos um voltado a embalagem e outro a grafico mais na verdade vc acaba que nao aprendendo nenhum do dois por que os professores se confundem .... finalizando eu gosto de pensar que eu nao sou um designer eu sou um criativo...um solucionador da falta de criatividade em desenhar dos meus clientes.
  • Olá Tive algumas aulas com o Vidal. Ele dá aulas para Design de Produto e algumas para design gráfico (meu caso), na Uniritter (Porto Alegre). Nao vim aqui para defender ele por ser meu professor, mas tenho que ser justa em dizer que ele é um dos melhores professores que já tive e olha que já estudei na Belas Artes de Sao Paulo tambem. Ele é um professor 100% dedicado a área e é muitoooo exigente. Acredito que deveriam ler o livro dele :Debuxo. Assim entenderiam melhor como e porque as classificações dele. Acredito que se metade dos professores tivessem a determinaçao e a sabedoria dele, teriamos estudantes de design muito melhores.
  • Sei lá, acho que perder tempo numa troca de nome seria sair do foco. A idéia é gerar um nome com maior identidade para o aperfeiçoamento da profissão ou é o sentimento nacionalista emergindo. Se for pra ajudar a profissão ( que é muito mais importante que qualquer um aqui ou qualquer termo ), ok. Mas não vejo isso. Em vez de criar um termo único, minha opinião sempre foi e sempre será criar uma postura de atuação única, seja lá que nome tenha.
  • Peço desculpa à ana, por ela ter perdido o seu tempo, lendo o lixo que eu escrevo, para chegar à brilhante conclusão que eu sou um merda! Será que é preciso fazer um mestrado, ou doutorado, para atingir esse nível de reflexão? Mas, incorrendo no risco de ela voltar a ler a merda que eu escrevo, queria apenas fazer um ou dois apontamentos. A minha mulher, namoradinha, nas suas palavras, não foi chamada, ela veio por livre e espontanea vontade, talvez na sua tribo as coisas sejam diferentes mas, na minha, as mulheres já ganharam liberdade de expressão.... ---------------------------------- Saibam que estão todos convidados para o meu velório, só precisam arquitectar um plano de extermínio para a porta que vos escreve... Façam favor de me avisar com tempo para que eu possa projectar a cova, uma cova maneira com acesso à internet para eu poder continuar a enxer o saco de muita gente... ---------------------------------- Me desculpe Fernando, continuar com esse papo, mas o povo não me deixa permanecer no silêncio. ---------------------------------- ainda bem que eu não sou sensível senão ainda começava a chorar pelos cantos da casa. Imagina uma porta chorando! logo logo ia dar berreiro de janela, telhado se revoltando, vasos sanitários enlouquecendo, mobília cheirando coca, isso não pode ser, né! ---------------------------------- abraços a todos os que mantiveram esta discussão acesa que muito contribuiu para elevar (?) o espírito do design, mantendo as chamas acesas nesta paixão que nos é comum... ---------------------------------- agora tentem seguir os outros posts que eu tenho mais que fazer que vir aqui responder a elogios! E não se esqueçam de ir ver o projecto do galdino que ficou muito bom! lúdico, versátil, funcional.... vamos que já chega de brincadeiras... acabou o recreio!
  • mas tu é chato mesmo hein Bruno?! po, tu ta errado meu velho, basta só pedir desculpas e começar a respeitar o que os outros pensam que esta tudo certo! Sério mesmo, nem tenho nada contra você. mas se você quiser continuar chatão por mim beleza... porta só faz uma coisa mesmo, abrir e fechar....
  • Olá a todos! Gostaria de deixar algumas coisas claras sobre o texto que escrevi. Nele, eu estava apenas demonstrando a minha opinião sobre o assunto e explicando o que aprendi após muita leitura e pesquisa independente que tenho realizado. Minha intenção não era, neste momento, de convencer ninguém a passar a utilizar os termos corretos em nossa língua e realizar uma mudança drástica na profissão. Só lembrando que ainda não há regulamentação para nossa profissão, portanto, podemos utilizar qualquer palavra para nos referirmos a nós mesmos, é livre! Cada um tem a liberdade de utilizar a linguagem que achar melhor. Agora, uma coisa é certa. Eu estudei bastante para afirmar que Desenho é o mesmo que Design. E não acho ruim que discordem da minha posição. Pelo contrário, acredito que este tipo de discussão serve para ampliar nosso universo de conhecimento. Mas para afirmar que outra pessoa está errada, você deve primeiro levantar argumentos realmente relevantes para isso, conhecendo principalmente todo o estudo realizado pela pessoa de quem você discorda e depois realizando uma pesquisa própria, buscando referências lhe forneceram sustentação teórica para justificar sua posição. Ou seja, estudar! E muito! E então você estará pronto a participar de uma discussão de alto nível. Obrigado Canha por ter levantado essa questão, que considero uma das mais importantes para a valorização de nossa profissão. Um abraço a todos!
  • Olá; Conheci o seu sítio hj e achei muito legal ler um artigo sobre o nosso mestre Vidal. Tive a sorte de ter aulas com ele na UFSM que mudaram totalmente minha forma de ver o desenho. Antes que os mais novos se afobem: Antes no Brasil era desenha, até que por volta da década de 80 alguns "coiós" começaram a usar o termo design e apregoar isso. Infelizmente o termo "pegou" e com ele uma série de maus hábitos que nos assemelha muito a marqueteiros, falando como idiotas. O cúmulo foi quando mudaram o nome do nosso curso para Design e o quebraram em um sem número de "especialidades" visando dar lucro a uma serie de FaPUFs privadas. Hoje vejo muito alunos de "design" sem o conhecimento de sua história (de mais de 100 anos) e chorando por pitangas como regulamentação da profissão e de como são explorados. Fazendo "o discurso da mediocridade". Na minha turma quem estudou e seguiu o que o Vidal ensinou, não teve problemas em arranjar emprego/ criar seu próprio negócio. Grandes desenhadores (eu sei que o termo é estranho a principio, mas leiam mais que se acostumam) que passaram pela UFSM foram alunos do cara. E é bom ver essa discussão voltar a tona porque assim, quem sabe, voltemos a nos dar o devido valor também? A conhecer a nossa história? E quem sabe um dia eu possa me chamar de desenhadora no meu próprio país?
  • fernanda, posso estar cometendo um erro terrívelmente estúpido (ainda sou estudante), por favor me perdoe e me corrija se eu estiver errado. maspq não usar "desenho industrial" e "desenhista industrial", já que meu curso ainda se chama Desenho Industrial? esse termo esta ligado a somente desenhistas de produtos? um professor meu a algum tempo atras me disse que esse termo se referia mais a desenhistas de produtos, e que pessoas que se especializavam em programação visual usava o termo desenho gráfico ou desenhista gráfico. esta correto? por favor, sou estudante ainda e não estou querendo contradizer nem me confrontar com ninguém, só aprender. abs
  • desculpem. não tive paciência para ler todos comentários até o final. Mal consegui ler o post inteiro. é muita bobagem na mesma pagina web. talvez uma das maiores concentrações de bobagem por pixel... só perde para o site do big brother...
  • Estive lendo tudo o que foi escrito acima. Achei interessante todas as colocaçõesm mas veja: Todos estes designers, desenhistas, desenhadores, artesãos, artesões, artistas, sei lá quantos nomes mais vamos achar, não estão trabalhando? Senhor, eles não tem o que fazer? Estão tão bem de vida que podem perder tempo em divagações sem sentido? Que querem eles? Sua Excelência "O DESIGNER', o Digníssimo e Excelentíssimo Senhor Desenhador, Sua Majestade o Artesão. O que mais se poderia inventar? Sabe-se que o ser humano é prepotente, eu o sou, não nego, mas já está ficando chato isto de discutir o sexo dos anjos. Vamos trabalhar mais e dividir nosso exitos com a humanidade, independente do nome que lhe dermos as nossas realizações. Ass. NO - Artista Plástica, " Fashion Designer" Desenhista de Moda.
  • Há muitos estrangeirismos paralelo ao português no Brasil! Virou moda substituir palavras em português por termos em inglês com a idéia que está substituindo o antigo pelo moderno! Isso é pura ilusão, falta de cultura e identidade, isso reflete a carência de educação do povo! Mas o que se espera de um povo que fala muito mal o português e não sabe nem a letra do hino nacional! Em inglês design é usado no sentido de criar formas assim como draw refere-se à esboçar algo ou alguém! já
  • É engraçado como as pessoas acham que só por que é em inglês a palavra ou a função é mais imponente..... Eu sou brasileiro e acredito que deverimos tomar uma atitude mais nacionalista e desenvolver um termo que não seja tão banal e também não seja tão importada como o design. Acredito que devemos sim facilitar o entendimento dos termos pra pessoas que nunca tveram contato com o assunto... afinal somos(facilitadores da vida) pessoas capazes de solucionar problemas de forma criativa e inesperada.
  • não sabia que existe enterros para portas... tem velório também? e nunca é tarde para se mudar nada... a profissão nem é regulamentada ainda, pior seria se já fosse. e se um cara entrou numa faculdade de desenho industrial achando que trabalharia com desenho técnico de peças mecânicas industriais, não é erro do nome do curso, é erro da própria pessoa que não se informou corretamente antes de entrar no curso. será que hoje em dia, num curso de design as pessoas não continuam entrando no curso pensando que vão só ficar na frente do computador enfeitando coisas e se achando o máximo?! e nada me tira da cabeça que as faculdades hoje estão mudando o nome de desenho industrial para design só para chamarem mais atenção de novos alunos. design esta na moda mesmo, é a profissão do momento. muita gente quer ser designer só para ser mais "descolado"... pra dar uma opinião final, prefiro desenhista industrial. abs
  • Penso que esse assunto vai dar o que falar. Mas em um ou dois pontos eu concordo, as pessoas usam muitos termos em ingles pra se referenciar a certos procedimentos ou etapas de um trabalho, só para darem um "ar mais moderno" ou seila o que... sinceramente eu não entendo porque usar "job" ao invés de trabalho. Sobre o nome "Desenhador", sinceramente eu prefiro usar "Desenhista Industrial", pois estudo Desenho Industrial. Não sei, pode parecer uma posição errada, mas fica o que eu penso. abs
  • guilherme: ahaha! acho que você tem alguma dificuldade para compreender o tom da ironia! mas isso não é problema meu! raphael: ofensiva demais? acho que estamos muito sensíveis, não? percebeu nos meus comentários um certo tom de ofensa? é bonito! Meu caro! discutir temas que me são caros é coisa que me empolga. Quando você disse que este tema iria dar que falar, você esperava só sinais afirmativos? Mas, se quiser, manter-me-ei em silêncio para não estragar a moral e os bons costumes aqui neste espaço! Também posso desaparecer da face da terra e levar comigo a discórdia, pelos visto fui eu que a lancei... E eu que acreditava piamente que tinha sido o titulo deste texto e o seu conteúdo! obviamente, estava equivocado. Quando faço um catálogo para a ray ban, Eu desenho o catálogo, desenho os óculos nele, desenho as crianças, é isso? Quando desenho óculos eu escuto a ideia de outra pessoa e puft, desenho o conceito de outra pessoa! é isso? quando projecto um espaço, eu desenho as plantas, é isso? Entendo perfeitamente que existem palavras no nosso português, mas, quando uma palavra. estrangeira, traduz melhor o que nós fazemos, porque não usá-la? Preciso, aprofundar nas leituras do sr. Professor não sei das quantas para perceber que a tradução foi mal feita? Dizer que design é igual a desenho é, por sinal, uma tradução bem feita? Ah sim, apoiado na excelência do seu saber e na etimologia das palavras ele chegou a uma brilhante conclusão. E eu tenho de respeitar porque...? E não raphael, não acho que seja um pouco demais! Nunca é um pouco demais, ou é demais ou não é! Quando o professor diz o que lhe vem à cabeça, está tudo certo, e eu tenho de concordar, e ficar quieto de fininho aceitar que nem um animal no abate. Mas, se este grande animal, que vos escreve, se insurge perante o que discorda, a coisa vira abuso! Respondendo ao guilherme, não faço artesanato mas, não me importaria nada de ser artesão, acho que aí não brincariam com o nome da minha profissão! Vou encarar isso como um elogio! Quanto a partilhar meus projectos ou trabalhos, é coisa que não farei. Sim, é isso mesmo, estou cheio de medo das suas críticas. E não preciso de mais admiradores secretos! Além do mais, ainda não aprendi a desenhar páginas, nem sei desenhar links (ups! links não! Conexões!) nem encontrei a caneta certa para riscar no ciberespaço. Mas, se quer ver desenhos vá ver gibbis!
  • não me preocupo muito com as designações, mas, ninguém diz, quando pede um retrato seu - could you design me? - acho que não, né? dir-se-ia - could you draw me? draw=desenho, acto de desenhar design acarreta qualidades além do desenho! acho que não seria bom para a nossa área, começarmos a dizer que somos desenhadores. Incorrendo no risco de, mais e mais pessoas, nos perguntarem se podemos fazer o seu retrato. Se podemos copiar o desenho de determinado arquitecto para outra folha. Enfim, acho que já existe confusão QB (quanto baste), não? Ainda agora as pessoas começaram a se familiarizar com o termo, e estão em busca de saber como se escreve, e já queremos dizer que afinal somos outra coisa? deixem-se de preciosismos, de guerrinhas linguísticas e etimológicas. O termo existe, é design. Além do mais, existe uma classe profissional que se designa por Desenhistas, desenhadores. E eles? que nome terão? o mesmo? ou vamos, com a nossa criatividade de gerico inventar um novo nome para eles? a palavra, desenho, é redutora para o que fazemos! mas isso sou eu, e quem sou eu? não sou um professor não sei das quantas, mas, acho (adoro achismos) que esse Professor Luiz Vidal Negreiros Gomes da UFSM poderia muito bem ir aprender, antes, o que é design, para depois fazer as suas traduções de fundo de quintal... meus amigos, essa das instruções de trabalho, para o brief, tudo bem! agora design = desenhador? O mundo é redondo, ou seja, round, como podemos perceber, existe uma relação fonética entre redondo, e round, que, ao longo dos tempos, muitos dias, muitas horas, muitos anos, séculos, fez com que cada qual usasse a sua palavrinha! A língua é viva, tem contornos próprios... o que nos surge, hoje, como foreigner, amanhã, será forasteira e por fim será da casa! Primeiro inventou-se a candle (vela, candela), depois a lamp, depois a lampada... ou seria melhor, objecto luminoso que quebra facilmente e atrai insectos? Primeiro surge a draisiana, que seguia o nome do seu inventor alemão, depois, e porque tinha duas rodas que obedeciam a ciclos, passou a ser a bycicle pela mão dos ingleses, depois a bicicleta nos pés dos portugueses. Mas vamos antes chamar veículo movido a duas rodas com a propulsão humana de esforço transformado por pedais. Haja paciência... Ainda bem que eu não me preocupo, muito, com as designações. E porque não designadores? Nós designamos, funções, designamos formas, designamos estratégias, designamos... Isto já é um desígnio dos deuses...
  • Que contradição ein Bruno...um 'designer', cuja profissão tem como denotação intrínseca o termo designio, designar...não se importar com as 'designações'. O que você faz? Artesanato? Te recomendo uma pesquisa etimológica mais consistente. Quanto a 'nacionalização' dos termos...acho válido, porém de dificil implementação, uma vez que acabaram, (infelizmente nisso concordo com o Bruno) sendo familiarizados por boa parte da população. Seria como tentarmos trocar 'peso'por 'massa', vicio de linguagem inerente... Mas enfim, cada qual com a sua 'cruz'. Só penso que devemos facilitar a vida das pessoas e não complicar ainda mais...Tomara, conforme a visão do filósofo Vilém Flusser, que o design ou desenho industrial, como preferirem...passe do seu estado 'pagão' (produção de fetiches e conceitos efêmeros) para um design mais 'profético' (criação de objetos e soluções mais conscientes, e de fato, mais úteis para o bem comum)...
  • Mas Guilherme, é exatamente assim que eu vejo o design (ou desenho ou desenho industrial)... mas não que ele tenha que mudar e ser assim, mas que ele É assim e NASCEU assim, voltado em função dos problemas do homem, não como para agregar valor de mercado ou valor estético pura e simplesmente (voltado para os interesses do mercado). Penso que quando ele não é assim, ele deixa sua proposta inicial de lado e deixa também de ser o que é, ou seja, deixa de ser design. E Bruno, percebi em alguns comentários seus aqui no blog um certo tom de ofensa para com outras pessoas ou criticando de uma forma um tanto ofensiva demais alguns comentários. Ninguém é perfeito, ninguém é dono da razão, todos podemos estar errados., inclusive eu e você. Não conheço o Prof. Luiz Vidal Negreiros Gomes da UFSM citado no artigo e muito menos quero puxar o saco de ninguém, mas dizer que ele "poderia muito bem ir aprender, antes, o que é design, para depois fazer as suas traduções de fundo de quintal" como você disse é um pouco demais você não acha? Você leu ou conhece esse Professor tão a fundo assim pra fazer uma afirmação desse tipo? Acredito que antes de fazer esse tipo de comentário você poderia, no mínimo, conhecer o trabalho da pessoa. E aproveitando, gostaria de conhecer os seus trabalhos. Se você puder postar aqui o link para o mesmo, eu agradeço. abs
  • Entao... o bicho ta pegando por aki =] Eu não sei se a solução seria me denominar desenhadora a partir de hoje, porque provavelmente não ajudaria, e sim, passaria a ter mais confusão entre os, digamos, "leigos"... mas concordo em facilitar a vida do cliente, e a minha tb, usando palavras no no meu idioma, tipo trabalho ao invés de job... alias, muito mais bonito e original... Porém, concordo com quem disse q design é mais q desenhar (alias, existem aqueles q não desenham, mas que criam bons trabalhos mesmo assim), portanto, prefiro continuar usando o termo design, justamente por ele ser mais do que desenho, por "traduzir" uma junção de idéias, processos, pesquisas, esforços e trabalho (não desmerecendo os desenhistas, ilustradores, etc), ainda q esta palavra esteja sendo vulgarizada por muitos. Acho q é isso e, sem ofenças, não ofendam desconhecidos! Dá pra expor todo e qualquer ponto de vista sem ser mal educado. Ninguém tem que concordar com nenhum professor "sei lá das quantas", mas é obrigação respeitar a opiniao dele, sem baixa o nível. (: ps. otimos posts sempre! parabéns à vocês!!!
  • bruno: aproveita a oportunidade e desenha, projeta, cria, faz o design de uma cova bem funda e te joga nela! auahuiahuiahuiah não, tô brincando. muito melhor chamar tua namoradinha (a cris, né)pra te ajudar... isso. continua com esta estratégia. (sim, eu pelo menos LI alguma coisa que tu escreve, antes de te achar um m*, como o que tu fez com o vidal) ___________________________________________________ Eu não acho que seja uma batalha perdida tentar a implementação de um termo em português. Este seria o típico discurso dos políticos das grandes cidades, quando não querem fazer projetos mais inteligentes para a distribuição de fios de alta-tensão que continuam a poluir visualmente e espacialmente a cidade. Talvez desenhador não seja realmente a opção mais adequada (eu nem sou da linha do vidal, só não gosto de ver falta de educação). qualquer dia vão dizer q como a profissão não tem regulamentação há tanto tempo, e os clientes e donos de empresa já se acostumaram, devemos aceitar e deixar as coisas assim!
  • se agente fosse mudar o termo, de design pra desenhador, teria uma nova "briga", não para defender q o design é mais do q saber mecher no computador, tipo o filho do tio da amiga q fez um cartaozinho de visita, só pq "aprendeu" a mexer no corel... teríamos que trocar a briga pra explicar design, pra explicar o que realmente é o desenho, q no caso, seria apropriadíssimo no nosso querido português... é só olhar o significado no dicionario... em que um, dos tantos significados, diz: "a forma considerada dos pontos de vista estético e utilitário" q, afinal, é o q o design tenta fazer, uma coisa q tenha utilidade mas q seja bonita, usual... mas continuo pelo design, q pelo menos já ta mais conhecido, fika mais facil do q introduzir outra palavra "nova"...
  • Bruno meu velho, "sensíveis"? Acho que não... Preciso baixar o nível como a Ariane disse pra argumentar contra a sua opinião, acho que não... Preciso perder meu tempo argumentando com uma porta? Acho que não... Evidentemente que também não estou ligando a mínima para o tal Professor, nem o conheço! Mas respeito pela opinião alheia vem antes de qualquer coisa, mesmo não concordando com a forma que ele pensa. E Bruno, não quero criticar os seus trabalhos. Pode ficar tranquilo, não vou te ofender se eu achar que seus trabalhos são de "fundo de quintal"... Mas relaxa, mostrando ou não mostrando faz diferença pra mim? Acho que não... ----------- Sobre o tema, também concordo que job ao invés de trabalho é ruim... vejo muito isso em agências... abs a todos
  • Além disso ele é um professor, dedica a sua vida para ensinar. Merece respeito redobrado. Concordar ou não concordar com ele nada tem a ver com ofende-lo caso suas idéias não sejam similares com as nossas opiniões. Respeito pelo próximo e por suas opiniões antes de tudo pessoal. abs
  • Rapaz, o povo anda muito sensivel..deve ser o calor (pelo menos isso explicaria a reação dos cariocas) Desenhista eu não concordo não...Isso ia arrumar querelas com os desenhistas, cartunistas e ilustradores... quero comprar essa briga não. Design é muito mais que apenas desenhar (não menosprezando a atividade de ninguém)... Mas o topico esta abordado, discuti-lo é bom, desde que seja feito com moderação e muito respeito a opinião alheia. Abraços galera
  • Já é muito tarde pra mudar algo assim. As pessoas já se acostumaram. Teve até um caso de um cara que começou o curso (cuja nomenclatura mudará este ano na faculdade onde eu estudo de "Desenho industrial" pra "Design") porque achou que trabalharia com desenho técnico de peças mecânicas industriais. Querer mudar isso agora é como querer chamar soutien de "porta-seio".
  • Em inglês design significa criar formas, draw significa esboçar e cartoon significa desenho de personagens! Em português, Desenho abrange todos esses significados! Não vamos empobrecer essa palavra atribuindo menos significado à ela! Por quê usar web design se podemos abrasileirar ou aportuguesar usando desenho web?! Somos brasileiros e temos uma grande cultura e rica língua! Vamos usar Desenho!