Design Thinking e Etnografia são Modas?

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Don Norman, Northwest University

Norman afirma em seu novo livro, ainda não lançado que o Design Thinking e a Etnografia são modas, e que realmente a complexidade e a tecnologia são o motor da Inovação, e não o design. Polêmica? Mas tem sentido…

Sendo Ex Designer da Época, o PhD Don Norman tem uma vasta experiência com produtos ditos inovadores, pois trabalhou em uma das empresas mais inovadoras em tecnologia. Mas afirma em seu livro que as maiores invenções da humanidade não foram realizadas por designers, e sim; engenheiros; físicos; químicos; matemáticos. Bem, realmente por trás de muitos produtos existem uma equipe multidisciplinar e o Designer é um deles. Mas seria realmente O Cara? O que vocês acham? Quais invenções foram feitas por designers????

Vale a leitura da reportagem na Época que tem o iPAD na capa.

A pequena antecipação pode ser vista aqui…

Links:
Norman em entrevista à Epoca >>

Blog de Don Norman >>

Blog da TipoD >>

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Distribua

6 comentários

  • Não tem sentido ficar fazendo essa divisão entre designers, engenheiros, químicos, matemáticos, como se Design fosse realizado apenas por "designers". Todos os seres humanos fazem design. O que o Norman relativiza no texto dele, é o papel da "Design Research" ou "Pesquisa em Design", que é outra história. Há que se diferenciar a "atividade" Design, a "profissão" Designer e a "pesquisa" em Design. Sem essa distinção o texto do Norman não pode ser entendido e dá margem pra distorções no sentido que ele propõe.
  • Hey J. Quanto tempo hem. Cara, nenhuma área deveria ser O cara, se tu coloca a finança acima de tudo temuma empresa lucrativa mas pode acontecer de causar um puta impacto ambietal e/ou as pessoas que trabalham nela vivem estressadas e achar o trabalho um lixo. Nossa maior habilidade, acredito, é ver um quadro maior, com mais nuances, não ser tudo preto no branco, pq as coisas não são, nem tudo cabe numa tabela de exel. Sobre moda etnografica ou não, independente de qualquer nome é necessário saber o que as pessoas querem (mesmo que nem elas saibam explicar) para poder saber como desenvolver coisas que façam sentdo pra ela, entende? Ou vai me dizer que nunca viu produtos de engenharia/tecnologia de ponta fracassando perante concorrentes de menor qualidade no sentido técnico porém mais cativantes de alguma forma? (sempre lembrando que AS DUAS COISAS NÃO SÃO AUTo EXCLUDENTES)
  • Pessoal, Só uma correção. Em NENHUM momento Norman fala sequer a palavra Design Thinking em seu texto. Para mais informações veja meu post aqui mesmo no Espaço: http://www.espaco.com/design/inovacao-caixas-magicas-e-o-post-de-d-norman/#more-5907 Ou dê um search no artigo de Norman pela palavra: Design Thinking: http://www.jnd.org/dn.mss/technology_first_needs_last.html abs! Tenny
  • Só uma pequena correção, se ele não fala sobre Design Thinking gostaria de saber sobre o que ele fala! Sobre o google é que não é! Leia o texto! LER e COMPREENDER depois disto, dê uma opinião. Eu concordo em partes com o sujeito! Realmente não foi o design thinking que desenvolveu o primeiro celular, o telefone, a televisão, o rádio, o computador... E pode ir enumerando aí! Para falar a verdade, eu mesmo "criei" e trabalhei no desenvolvimento de 2 produtos industriais para o segmento de energia. Grandes equipes de engenharia elétrica e eletrônica, ciência da computação, design industrial, técnicos e por aí vai. E não foi o design thinking que inovou tecnologicamente não, o design apenas "desenvolveu" com um foco diferente... O resultado? Em alguns meses nas casas de muitos e escritórios de diversos!
  • Concordo com o Tennyson, o Norman em momento algum fala em Design Thinking. Para falar a verdade ele foi muito infeliz nesse texto (não dá para acertar sempre - ele fala como um senhor ranzinza que está perdendo o bonde da evolução das coisas e tudo que é novo não presta). Aqueles aparelhos todos foram criados em determinadas épocas, em determinados contextos... o pessoal esquece de uma palavrinha importante: CULTURA. Naquele determinado período, aquilo fez sentido...será que irá fazer sentido hoje? Ele cita em "invenção", quando deveríamos estar falando de inovação. O designer não deveria estar buscando invenções e sim INOVAÇÕES! As invenções vêm de químicos, físicos, engenheiros, etc... No fundo uma coisa complementa a outra: inventar e inovar são ações que se complementam. "Technology First, Needs Last"...ele se esquece que as tecnologias surgem das vontades pessoais de pesquisadores, que estão inseridos na sociedade. Um pesquisador não é um ser isolado do mundo dentro da redoma de um laboratório. Tecnologia é antes de tudo uma criação SOCIAL. Devemos ter calma ao ler o Norman...ele defende uma corrente muito importante nos anos 70/80 do século passado.