12ª BIENAL BRASILEIRA DE DESIGN GRÁFICO

Branding para o Estufa – Estúdio de Design Inhotim, da Hardy Design e Estufa (MG), para o estúdio de design de um dos mais relevantes acervos de arte contemporânea do mundo.

Entre os dias 4 de agosto e 10 de setembro, Brasília sediará a 12º edição da Bienal Brasileira de Design Gráfico, o principal evento da área no país, que comemora 25 anos de existência em 2017. A mostra é gratuita e aberta ao público e será realizada na CAIXA Cultural Brasília. A vinda para a capital federal representa um reconhecimento da qualidade e do crescimento do movimento do design da cidade. “Este momento serve para refletirmos as conquistas do design, discutirmos rumos e traçar planos. Aqui conseguimos promover um intenso diálogo entre inovação, empreendedorismo, cultura, desenvolvimento econômico, sustentabilidade e sociedade”, afirma Bruno Porto, coordenador do Curso de Design Gráfico do Centro Universitário IESB e curador da Bienal.

Ao todo foram 1391 trabalhos inscritos de todo o país. Destes 500 foram selecionados por uma comissão formada por 90 designers de 20 países do mundo. Todos os eleitos constarão do site do evento e do catálogo com 560 páginas publicado pela Editora Blucher. A mostra na CAIXA Cultural Brasília terá 50 peças, destacadas pelos jurados por qualidades como inovação, excelência técnica e sustentabilidade. “Além de design gráfico, também foram selecionadas projetos de design de produtos, de moda, mídia interativa, quadrinhos, publicidade e arquitetura. Para premiá-los, faremos uma cerimônia dia 05/08, no IESB Norte”, destaca Porto.

Em 11 edições já realizadas pela Associação dos Designers Gráficos – ADG Brasil, a Bienal reuniu, registrou e expôs cerca de 3.000 projetos de design para um público calculado em quase 300.000 pessoas de 50 países. “O design gráfico é transversal a todos os setores e cria um interesse em todas as áreas do conhecimento. Então, a Bienal acaba sendo um grande evento de todo o design brasileiro”, ressalta o curador. Esta 12ª edição é uma co-realização da ADG Brasil com a Adegraf – Associação dos Designers Gráficos do Distrito Federal, com patrocínio do Correio Braziliense, Centro Universitário IESB, Naoum Hotel, Central Park e CAIXA Cultural.

Programação Paralela

Três outras mostras ligadas ao Design Gráfico serão apresentadas na CAIXA Cultural Brasília no mesmo período: a Sétima Bienal de Tipografia Latino-Americana Tipos Latinos, que reúne 76 projetos de fontes digitais desenvolvidos por designers de 14 países da América Latina; a exposição Primeiras Impressões, idealizada pelo premiado designer paulistano Gustavo Piqueira, abordando a cultura gráfica do século XVI e sua influência na criação do imaginário do Brasil como país; e Notícias em Cartaz, uma seleção de 70 capas do jornal Correio Braziliense premiadas internacionalmente.

A programação paralela do evento inclui uma palestra do renomado tipógrafo argentino Ale Paul, abrindo o Ciclo de Palestras Tipos Latinos no Iesb (quinta-feira, 3 de agosto) e segue com a realização da Conferência Design Gráfico Brasil 2017 (sábado, 5 de agosto), o Encontro Nacional de Tipografia DiaTipo Brasília (domingo, 6 de agosto), o I Seminário Internacional Design & Cultura (segunda, 7 de agosto), o Behance Portfolio Review – Edição Especial da Bienal (sábado, 2 de setembro), o II EnQuadrinhos – Encontro de Quadrinhos de Brasília (segunda, 4 de setembro) e o RDesign Brasília 2017 – Encontro Regional de Estudantes de Design Centro-Oeste/Minas Gerais (7 a 10 de setembro), além de workshops e lançamento de publicações.

 Serviço:

12ª Bienal Brasileira de Design Gráfico

04 de agosto a 10 de setembro de 2017

Terça a domingo, das 9h às 21h

CAIXA Cultural Brasília

Programação completa em www.bienaladg.org.br

Entrada franca

Distribua

Quando o poder e a arte não convivem mais. Saí Portinari e entra Romero Britto

Essa semana 48 obras serão devolvidas do acervo do Palácio do Planalto e do Alvorada para o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro (MnBA). As informações da Revista Fórum indicam que sairá as obras históricas de Candido Portinari e entrará o pop art mais criticado do mundo.

 

Porque não estamos surpresos?

Ainda que a memória do brasileiro seja curta, a da maioria dos designers não. Acho que ninguém que está lendo esse artigo esqueceu que foi o “michelzinho” que aprovou a identidade visual do novo governo e que esse governo está sendo acusado de pedalar e roubar junto com o governo anterior.

Não só isso, também vimos o novo governo falar que não tinha dinheiro, tirar dinheiro de lugares sucateados enquanto:

  • Tem dinheiro pra ignorar as dividas da OI
  • Tem dinheiro pra anistiar os planos de saúde
  • Tem dinheiro pra anistiar as dividas dos proprietários de terra
  • Tem dinheiro pra aumentar o salário dos juízes e ministros
  • Tem dinheiro para DOBRAR a publicidade na Globo e nas revistas de direita como, Época, Veja, Istoé
  • Tem dinheiro para aumentar os salários dos políticos
  • Tem dinheiro para comprar mais armamento
  • Tem dinheiro para dar isenção fiscal para empresários
  • Tem dinheiro pra tirar todos os programas de software livre e comprar licenças da Microsoft
  • Tem sete ministros acusados na lava-jato, aquela mesma do Lula…

Seque os olhos;

Maria Elisa Costa, filha de Lúcio Costa (um dos “inventores” de Brasília) e ex-presidente do Iphan, criticou a devolução das obras e faz um apelo à atual presidente do órgão, Kátia Bogea, para que evite a saída do acervo de Brasília.

Segundo ela o ex-presidente Juscelino Kubitschek  “conseguiu que o Museu de Belas Artes da antiga capital lhe cedesse uma bela coleção de obras de arte, a serem colocadas nos Palácios de Brasília, como a dizer – aqui, Poder & Arte convivem, cotidianamente.”

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional sabe a diferença entre pop e histórico, só o governo não!

Não é de se espantar também ver que a atual gestão do Iphan não ligue muito pra situação e que Kátia Bogéa, presidente do conselho consultivo não se manifeste. Esse governo está todo errado, saca só:

Recentemente o ex-ministro Cultura Marcelo Calero pediu demissão do cargo de ministro e, posteriormente, acusou ministro Geddel Vieira Lima e Michel Temer de praticarem tráfico de influência. No caso o então Secretária-Geral da Presidência, residente da Bahia tentou  conceder a licença de construção do prédio de luxo localizado em um bairro nobre de Salvador, que foi barrado pelo Iphan. Quer saber mais?

Foi a mesma figura que afirmou em uma entrevista para a TV Globo, que caixa dois não é crime e que quem fez isso no passado não deveria ser punido.

Notório Saber

Devido ao encerramento do contrato de comodato, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) autorizou, junto com o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e pela Diretoria de Documentação Histórica (DDH) do gabinete da Presidência da República, a devolução de trabalhos de Cândido Portinari, Djanira da Mota, Alberto da Veiga Guignard, Arcângelo Ianelli, Eliseu Visconti, Maria Leontina, Rodolfo Amoedo e Henri Nicolas Vinet.

Nesse momento você pode estar pensando, nossa, mas você odeia Romero Britto tanto assim?
Você acha que os quadros dele não são arte? O que é arte? Não, não odeio ele. Só não acho que a arte dele, seja de perto maior que esses nove artistas, que representaram mais que o notório saber na arte, muito mais.

Em 1949, Cândido executou um painel lindo chamado “Tiradentes”, narrando episódios do julgamento e execução do herói brasileiro que lutou contra o domínio colonial português. Por este trabalho, Portinari recebeu, em 1950, a medalha de ouro concedida pelo Júri do Prêmio Internacional da Paz, reunido em Varsóvia (Polônia). Djanira fez um painel cabuloso, o Painel de Santa Bárbara. Guignard criou a obra de arte mais valiosa de um brasileiro já vendida em um leilão…

Agora sou eu quem te pergunto, que sensação que fica?

Que o governo que diz que não tem dinheiro, mais uma vez gastou onde não devia. A troco de que? Popularidade, as pessoas que nunca leram sobre arte, nunca se interessaram e vão visitar o palácio nacional verão não as pessoas fodas da nossa história, vão ver o popular e clichê Romero Britto e o pior é que vão achar que o presidente que fala corretamente é genial, inteligente e que sabe tudo sobre arte, enquanto a nossa arte, junto com a nossa Democracia fica escondida em um estado do Brasil.

2016, vá embora, apague a luz e feche a porta.

Distribua

Senado aprova reconhecimento da profissão de designer de interiores

O Senado aprovou nesta quinta-feira (16) um projeto de lei da Câmara que reconhece a profissão de designer de interiores. Como já havia sido aprovado pelos deputados, o texto segue agora para a sanção do presidente da República, Michel Temer.

CORREÇÃO: Na publicação desta reportagem, o G1 informou incorretamente que o Senado havia regulamentado a profissão de designer de interiores. Na verdade, o projeto aprovado é de reconhecimento da profissão. A informação foi corrigida nesta sexta, 18, às 18h22

De acordo com o projeto, a atividade é assegurada a quem tiver diploma de nível superior nos seguintes cursos: Design de Interiores; Composição de Interior; Design de Ambientes na habilitação de Interiores; e Arquitetura e Urbanismo.
Ainda segundo o texto, o designer de interiores deve “zelar, especialmente, pela conduta ética, pela transparência para com seu contratante, prestando-lhe contas e atendendo-o quanto às suas necessidades, pela sustentabilidade, pela responsabilidade social e pela segurança dos usuários, evitando a exposição destes a riscos e potenciais danos”.
O texto também estabelece que os projetos de designers de interiores serão considerados obras intelectuais, garantindo, assim, os direitos autorais dos projetos aos criadores.

Técnico
Pela proposta aprovada, é assegurado o exercício da atividade de técnico em design de interiores à pessoa que tiver certificação em curso técnico da área.

“O designer de interiores é o profissional responsável pela transformação dos mais variados tipos de ambientes, tornando-os mais confortáveis, prazerosos, seguros e eficientes”, destacou em seu parecer o relator do projeto, senador Paulo Paim (PT-RS).

Relatório
No relatório, Paim destacou ainda que o objetivo do reconhecimento da profissão de designer de interiores é permitir o exercício da atividade somente às pessoas que possuem especialidade na área ou em setores similares. Na avaliação do parlamentar, o texto não promove reserva de mercado.

“Não há, assim [com o reconhecimento], a indesejada promoção de reserva de mercado em prol de determinado segmento profissional. Ao contrário, a proposição em apreço observa o direito fundamental ao livre exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, consagrado na Constituição”, afirmou.

Via: Globo.com

Distribua

Designer cria cobertor e travesseiro em formato de camisinha

O designer da Pensilvânia conhecido como Little Elk, criou um travesseiro que tem formato de uma embalagem de camisinha e o cobertor com o formato de um preservativo. Interessante!

O produto está à venda nesse site.


Distribua

Preço do MacBook para estudantes cai

Hoje o Macbook teve um abatimento de preço que está em vigor nos Estados Unidos e no Brasil.

Normalmente ele custa R$ 3.000, mas estudantes agora podem comprá-lo com 10% de desconto, ou seja RS 2.700.

A maquina vem com 2 Gb de Memória, 250GB de Hd e um processador Intel Core 2 Duo de 2,26GHz, e uma placa de vídeo integrada NVIDIA GeForce 9400M. A unica coisa que ele perdeu foi sua pora FireWire 400.

O desconto parece ser pouco, apenas R$: 300, mas ainda assim é bem conveniente pois por exemplo pode ser investido o valor de desconto em mais memória por exemplo.

E é claro, ter um Macbook é muito mais massa.

fonte: MM


Distribua

Disney compra Marvel

marvel
A Walt Disney Company anunciou a compra da Marvel, a mais famosa editora de quadrinhos que tem em seu portfólio marcas como os X-Men, e Homem-Aranha, entre outros cinco mil personagens. A companhia do Mickey concordou em pagar US$ 30 mais 0,745 ação por cada papel da Marvel. O fechamento foi na última sexta-feira (25), a transação é de US$ 50 por ação, num total de US$ 4 bilhões.

Quanto aos famosos games baseados em personagens da Marvel, o futuro ainda é incerto. Mas ainda assim terá o lançamento de dois games pela Activision “Marvel Ultimate Alliance 2” e “Iron Man 2”.

Vale ressaltar que apenas o conselho de diretores de ambas as companhias que aprovaram a transação. Falta o aval dos órgãos regulatórios anti-trustes dos Estados Unidos para que o negócio continue.

E agora Warner/DC ?

Distribua

Twitter contrata designer do Google

twitter
O Twitter que vem ganhando espaço atualmente como uma das redes sociais que mais cresce no mundo, contratou recentemente Doug Bowman, um dos designers top do Google.

Doug Bowman foi citado por Jason Fried, fundador influente da companhia de software 37signals, como uma das melhores aquisições feitas pelo Google em 2006, Bowman tinha um cargo invejável: “Diretor de Design Visual” ou “Lider de Design Visual” como chamam o cargo dentro da própria Google. Porém deixou a empresa de internet em menos de três anos.

Fica a dúvida de qual poderia ser o motivo para deixar o Google e se aventurar na “rede 140 caracteres” que até onde sei não tem rendimentos fixos?

Distribua

Não trate estudantes de design como crianças

O ser humano evolui, passando pela infância, adolescência e fase adulta. No entanto, muitas faculdades de design continuam tratando os estudantes adultos, de design, como se ainda fossem crianças, usando as mesmas técnicas didáticas que se usavam no ensino fundamental e no ensino médio. Alguns professores chegam a se orgulhar do uso de técnicas “pedagógicas”. Isso só revela sua ignorância no assunto, pois a palavra pedagogia se refere ao ensino de crianças (pedagogia vem de paidós = criança).

Nesse artigo vou abordar o tema do ensino do design, sob o ponto de vista do ensino de adultos. Para isso, irei me basear no artigo escrito pelo professor e médico Roberto Cavalcanti, fazendo alguns comentários e aplicando as informações no dia-a-dia das faculdades de design.

As características do estudante adulto de design

Segundo Malcolm Knowles*, ao contrário das crianças, o estudante de design adulto:

  • É independente (não gosta de ficar dependendo dos outros).
  • Tem experiência de vida (não é apenas um cérebro vazio esperando para ser preenchido com regrinhas de design).
  • Interessa-se em desenvolver habilidades para usar no design.
  • Quer aprender algo que possa aplicar imediatamente, no dia-a-dia de um designer.
  • Quer aprender para resolver problemas reais de design e não simplesmente “aprender por aprender”, ou porque papai mandou.
  • Tem motivações internas (auto-realização, vencer desafios, por ex.) e menos motivação externa (estudar para ganhar nota).

Sob esse ponto de vista, podem-se apontar as principais diferenças entre pedagogia (tratar estudantes de design como crianças) e andragogia (tratar como adultos), conforme a tabela a seguir:

Características da Aprendizagem Pedagogia Andragogia
Relação Professor/Aluno de Design O professor de design é o centro das ações, decide o que ensinar, como ensinar e avalia a aprendizagem A aprendizagem adquire uma característica mais centrada no aluno de design, na independência e na auto-gestão da aprendizagem. O estudante quer conduzir os rumos do seu próprio estudo.
Razões da Aprendizagem O aluno de design deve aprender o que a sociedade espera que saibam (seguindo um curriculo padronizado) Pessoas aprendem o que realmente precisam saber. Neste caso, os estudantes de design não gostam de ficar aprendendo coisas inúteis, que não sabem onde vão usar ou que não tem relação nenhuma com o design em si.
Experiência do Aluno de Design O ensino é didático, padronizado e a experiência do aluno tem pouco valor. Os alunos de design aprendem as mesmas coisas e saem todos iguais no final da faculdade. A experiência é rica fonte de aprendizagem, através da discussão e da solução de problemas em grupo. O aluno pode escolher as matérias que quer estudar, dando ênfase ao que mais lhe interessa (unindo design e música, design e mangá, design e a Bíblia etc).
Orientação da Aprendizagem Aprendizagem por assunto ou matéria. Aprendizagem baseada em problemas, exigindo ampla gama de conhecimentos para se chegar a solução. Ao invés de pedir um “trabalho sobre teoria da cor”, o professor pede que os alunos resolvam um problema da vida real, usando o conhecimento sobre cores (Qual a relação entre a cor na sinalização de um carro e a temperatura dessa uma superfície? Como a tipografia afeta a leitura de uma placa de trânsito?)

Como usar os princípios da andragogia para melhorar o ensino do design?

A seguir, são apontadas algumas sugestões que podem melhorar o ensino dos estudantes das faculdades de design, no Brasil:

Tirando proveito da Experiência Acumulada pelos Alunos. Não trate os alunos de design como se a falta de conhecimento em design significasse falta de conhecimento em tudo. Ele pode saber pouco de design, mas pode saber muito sobre cultura geral, história, quadrinhos, internet, tecnologia, religião, política. Use esse conhecimento para ajudar os alunos a criar pontes com o que já sabem e deixá-los motivados. Uma forma de fazer isso é fazendo uma pesquisa no começo do ano e perguntando ao aluno quais são os assuntos que lhe interessam, o que eles conhecem sobre outras áreas, e planeje sua aula levando isso em conta.

Propondo Problemas, Novos Conhecimentos e Situações sincronizadas com a Vida Real. Procure aplicar o design no cotidiano dos alunos, trazendo problemas reais, briefings verdadeiros, levando os alunos para a rua e mostrando como o design pode resolver problemas que eles nunca imaginaram. Por exemplo, colocar o valor da moeda dos dois lados evita que na hora de receber o troco seja preciso desvirar a moeda para saber o valor dela. Multiplique isso por cada pessoa, em cada fila, em cada caixa, no país inteiro, e veja o tempo que seria poupado (aprendi isso com o prof. Sawada). Ou ainda, a cor pode resolver um problema de contraste que impede que uma placa ser lida à distância ou uma mudança de material pode eliminar um reflexo que dificulte a visualização.

Justificando a necessidade e utilidade de cada conhecimento. Não fique enchendo linguiça ou dando conteúdo só porque “todo mundo ensina isso” ou porque “eu aprendi isso na faculdade, mesmo sem saber pra que serve, logo tenho que repetir esse conteúdo também”. Se você não sabe porque um assunto é ensinado, procure descobrir, ou então pule essa parte, pois se nem você entende para que serve aquele conceito de design, não vai haver milagre que faça seus alunos adivinharem isso. Aprenda primeiro, entenda o que você vai ensinar e daí mostre qual a utilidade desse conhecimento no dia-a-dia do designer.

Tirando proveito da Experiência Acumulada pelos Alunos. Faça os alunos de design colocarem para fora suas experiências e trocarem informações entre si, por meio de atividades práticas como discussões de grupo, exercícios de simulação, aprendizagem baseada em problemas e discussões de casos. Como o design é uma atividade multidisciplinar, ele é amplamente beneficiado de conhecimentos vindo dos alunos e de outras áreas do conhecimento. Se a aula não for planejada levando isso em conta, os alunos não terão como contribuir com o que já sabem, empobrecendo o ensino do design.

Estimulando e utilizando a Motivação Interna para o Aprendizado. Ao invés de motivar o aluno de design dizendo que se ele fizer o trabalho vai tirar uma nota mais alta, ou se não fizer, vai tirar uma nota mais baixa explore motivações mais fortes como ficar satisfeito pelo trabalho realizado, melhorar a qualidade dos projetos de design, aumentar suas chances de obter um bom emprego, conseguir clientes melhores, salários mais altos, ou mesmo maior auto-estima.

O professor Cavalcanti ainda dá outras dicas sobre como ensinar alunos adultos (adaptadas aqui para o ensino do design):

  • Estudantes de design não gostam de passar vergonha na frente de outras pessoas. Assim sendo, quando for pedir a opinião de um aluno, faça isso de modo a deixar claro que ele não será humilhado. Quando for fazer uma pergunta, não pergunte “quem sabe a resposta?”, mas sim “quem pode iniciar uma resposta?”, pois assim é menos intimidador.
  • A sala de aula de algumas faculdades de design continua com o mesmo aspecto de salas do primeiro grau, ou seja, em fileiras. O ensino de adultos depende da discussão em pequenos grupos, e isso sugere uma forma diferente para dispor as cadeiras e mesas, ou seja, em pequenos grupos, ou em círculos.
  • O Professor de design nunca deverá dizer que a resposta de um adulto está errada. Cada resposta sempre terá alguma ponta de verdade que deve ser trabalhada. O professor deverá se desculpar pela pergunta pouco clara e refazê-la de modo a aproveitar a parte correta da resposta anterior. Fará então novas perguntas a outros estudantes, de modo a correlacionar as respostas até obter a informação completa.
  • Adultos de design podem se concentrar numa explanação teórica durante 07 minutos. Depois disso, a atenção se dispersa. Este período deverá ser usados pelo Professor para estabelecer os objetivos e a importância do assunto a ser discutido, enfatizar o valor deste conhecimento e dizer o quanto sente-se motivado a discutí-lo. Vencidos os 07 minutos, é tempo de iniciar uma discussão ou outra atividade, de modo a diversificar o método e conseguir de volta a atenção. Estas alternâncias podem tomar até 30% do tempo de uma aula teórica de design, porém permitem quadruplicar o volume de informações assimiladas pelos estudantes.

O professor Cavalcanti afirma ainda que

“nos Cursos Universitários, geralmente recebemos adolescentes como calouros e liberamos adultos como bacharelandos. Estamos portanto trabalhando no terreno limítrofe entre a pedagogia e andragogia. Não podemos abandonar os métodos clássicos, de curriculos parcialmente estabelecidos e professores que orientem e guiem seus alunos, nem podemos, por outro lado, tolher o amadurecimento de nossos estudantes através da imposição de um curriculo rígido, que não valorize suas iniciativas, suas individualidades, seus ritmos particulares de aprendizado. Precisamos encontrar um meio termo, onde as características positivas da Pedagogia sejam preservadas e as inovações eficientes da Andragogia sejam introduzidas para melhorar o resultado do Processo Educacional.”

Se os professores de design, no Brasil, continuarem a achar que o modo de ensinar é o mesmo método pedagógico que foi usado com eles, enquanto eram alunos do primeiro e segundo grau, teremos muitos designers aprendendo pouco, sem motivação e sem fazer pontes com o que já conhecem. Pior ainda, vão se tornar profissionais medíocres, ganhando salários medíocres, sem conquistar o respeito que o design merece no Brasil. E com isso, todo mundo sai perdendo. Mas, se mais professores entenderem que o ensino de adultos é diferente, e levarem isso em conta na hora de planejar suas aulas, teremos a chance de evoluir o ensino do design no Brasil, com efeitos diretos na qualidade projetual, tanto a curto, médio e longo prazo. E todo mundo vai sair ganhando.

Cavalcanti, R. ANDRAGOGIA: A APRENDIZAGEM NOS ADULTOS. Revista de Clínica Cirúrgica da Paraíba, Nº 6, Ano 4

* Para quem se interessar pelo tema da Andragogia, poderá ler o livro “The Adult Learner – A Neglected Species” (1973), de Malcolm Knowles. O termo “andragogia” refere-se ao ensino de adultos, levando em conta suas diferenças em relação às crianças.

Distribua

objectified

objecfied

Objectified is a feature-length independent documentary about industrial design. It’s a look at the creativity at work behind everything from toothbrushes to tech gadgets. It’s about the people who re-examine, re-evaluate and re-invent our manufactured environment on a daily basis. It’s about personal expression, identity, consumerism, and sustainability. It’s about our relationship to mass-produced objects and, by extension, the people who design them.

Ou seja, Objectified é um documentário sobre cultura material e esse povo estranho que a cria – os designers.

Continue lendo

Distribua

copa 2014 – alerta

Bom, quem me conhece sabe que sou totalmente contra trazer este tipo de evento aqui para o Brasil por um motivo bem simples: existem muitas carências a serem resolvidas em nosso país e que são muito mais importantes que uma copa do mundo.

Mas me chamou a atenção um informativo que recebi do Revestir.com:

“Curitiba Copa 2014

No dia 31 de outubro iniciou um ciclo de palestras para alunos e professores dos cursos de arquitetura das universidades PUCPR, UFPR e Positivo, que tomaram conhecimento das propostas para desenvolver o Workshop Curitiba Copa 2014 organizado pela AsBEA-PR.

O ponto alto das palestras foram as explanações do arquiteto italiano, radicado em São Paulo, Bruno Padovane, que demonstrou de maneira objetiva e brilhante, as diversas formas de implantar, com forte impacto urbanístico, um megaevento esportivo e seus desdobramentos positivos. Posteriormente, o engenheiro paulista Fernando Telles, outro especialista na área de arquitetura esportiva, reafirmou a importância de dimensionar adequadamente os diversos formatos que envolvem um estádio esportivo. Por último, o arquiteto Carlos Dellacosta trouxe para o público presente, informações de relevância na hora de selecionar o local do evento.

Vejamos:

As três universidades citadas e envolvidas no evento tem entre seus cursos os de Design:

PUCPR

Desenho Industrial – Programação Visual
Desenho Industrial – Projeto do Produto

UFPR

Design

Positivo

Design – Projeto de Produto
Design – Projeto Visual

Isso sem contar cursos de Engenharias – pra isso os arquitetos vão precisar de muita engenharia – Artes, Turismo e várias outras que DEVEM ser aproveitadas da mesma maneira que arquitetura num evento deste porte. E olha que nem olhei os cursos de pós oferecidos por elas e que sabemos também existem em Design.

No entanto, não se vê movimentação alguma por parte das IES e das coordenadorias de cursos de Design, (produto, grafico, interiores, etc) destas e de outras IES, para inserir nossa área dentro do todo que comporá o projeto final de adequação da cidade de Curitiba às necessidades reais que este evento impõe.

ASBEA, claro, vai tentar fechar ao maximo o acesso de outras áreas à “essa bocada” em benefício umbigusta aos seus associados e nem tanto à importância do evento em si. Jajá aparecem IAB também na parada.

Portanto, creio que nossos amigos Designers, Engenheiros, Turismólogos, Artistas, Light Designers e vários outros devem começar a se movimentar para evitar que isso – projeção ou $$ – sejam aproveitado por poucos quando na verdade deveria ser um bem de TODOS.

E não digo apenas aos de Curitiba não, afinal o Estado todo tem profissionais qualificadíssimos nessas áreas e que certamente poderão contribuir em muito para isso.

Fica aqui o alerta a todos os profissionais de todas as cidades que serão sede da copa 2014.

Fica aqui também, mais um protesto meu contra panelinhas e movimentaçãoes tácitas e falaciosas de alguns grupos.

Distribua

O Maior Doritos do Mundo


Há algumas semanas atrás a Elma Chips deu inicio a duas ações publicitárias com foco em redes sociais que vale a pena conferir e participar.

Comunidades como “Eu amo Doritos” (quase 60 mil membros), “Amantes de Doritos” (quase 70 mil membros), “Queremos Doritos 5kg”, entre outras tiveram pedidos atendidos e ganharam uma versão  5kg do salgadinho e alguns participantes das comunidades ganharam.

Junto com o Doritos 5Kg, começou outro viral, O Maior Doritos do Mundo que contém tortillas de verdade e somam 100 kg, pra ganhar ele é facil, facil basta acertar quantas tortillas tem dentro do pacote. Cada pessoa pode dar 3 lances no site Doritos.com.br, que está transmitindo ele ao vivo lá na Cubo.cc.

Não é de hoje que o Doritos tem tantos fãs, diga-se de passagem sou um e estou  Na Saga pelo Doritos 5kg hahaha, ir até São Paulo para pegar meu pacote de 5kg. Tem gente que diz que é demencia, tem gente que me entende? e você viajaria até São Paulo só pra tentar conseguir seu pacote 5kg?

Distribua

5 de novembro – Dia do Designer

É isso mesmo!

Dia 5 de novembro é o dia do Designer!!!

Está chegando e o que você está fazendo em prol do design, da regulamentação profissional?

Pois bem, estaremos fazendo uma grande mobilização nacional pró-Design com ações coordenadas por todo o território nacional.

Se você, DESIGNER, ainda não se cadastrou no NING, faça-o pois as informações serão divulgadas apenas por lá.

Vamos que vamos, pois se não fizermos algo pela nossa profissão, não serão associações do tipo ABD que o farão. E quando esta diz fazer algo, já sabemos pra onde estão tentando levar a nossa profissão.

Designers de Interiores/Ambientes

Designers de Produtos

Designers de Embalagens

Designers Gráficos

Designers de Moda

Enfim, se você é Designer, formado em alguma área do Design, junte-se a nós e vamos fortalecer nossa profissão!

Distribua

SUPERVISOR DE MODELAGEM DO FILME 300 E DESENHISTA DA DC COMICS SÃO DESTAQUE NO III ANIMASERRA 2008


Modelagem de spartano em 3D (à esquerda) feita por Cesar Dacol Jr. para o filme 300

O Festival Nacional de Cinema de Animação, Quadrinhos e Games da Região Serrana do Rio já é considerado um dos eventos referência em animação e computação gráfica de todo o Brasil.

Sempre trazendo nomes de destaque no mercado nacional e mundial, o Animaserra não fará diferente este ano.  São mais de 10 palestras de estúdios, produtoras de cinema, efeitos especiais e games, com destaque para Cesar Dacol Jr., produtor de efeitos especiais de filmes como 300 e Quarteto Fantástico e Renato Guedes, brasileiro desenhista oficial da série Smallville – série de TV mais vista nos EUA nos dias de hoje.

Assista a chamada de TV e Cinema
ANIMASERRA 2008

Entre as diversas atrações, o Animaserra 2008 terá palestras com:

Cesar Dacol Jr (oferecido por Pixologic) – Los Angeles, EUA
ZBrush Artist e Character Designer, foi supervisor de modelagem do filme 300 e participou dos efeitos especiais de filmes como Quarteto Fantástico, além das animações O Segredo dos Animais e Selvagem, da Disney. Atua ainda na área de modelagem de personagem para games.

Renato Guedes (oferecido pela DC Comics) – São Paulo, SP
Desenhista oficial para a série de TV Smallville

Twister Studio – Rio de Janeiro, RJ

Produtora de efeitos especiais para cinema e video-clipes, com clientes como Xuxa, Frejat e TV Globo

Quadro a Quadro – Recife, PE
Estúdio de animação especializado em campanhas governamentais e com técnicas variadas

Santa Motion – Porto Alegre, RS
Produtora de vídeo-grafismo com clientes como Diadora, Via Marte, Renner e Dakota

Pedro Stil – Rio de Janeiro, RJ
Premiado roteirista de animação. Já roteirizou Xuxinha e Guto Contra os Monstros do Espaço, Turma da Mônica em uma Aventura no Tempo, entre outros.

Levi Luz – Rio de Janeiro, RJ
Produtor pioneiro em produções para animação e vídeo no Brasil, criador de Dogmons e MegaPowers

MOSTRA COMPETITIVA – SESSÃO OLD CARTOONS – OFICINAS DE 2D E DUBLAGEM E MUITO MAIS!

www.animaserra.com.br

III ANIMASERRA 2008
Dias 1 e 2 de novembro em Teresópolis

Patrocínio e Parcerias
SESC | SENAC RIO | PIXOLOGIC | CADRITECH | WACOM TABLETS | PHOTO SANTA TEREZA

Distribua

PERSONALIZAÇÃO NA TERRA E NO AR

Como aconteceu com os carros, que ganharam acessórios modernos em um movimento chamado tuning, os aviões também estão sendo incrementados. Tarso Marques, piloto da Stock Car, já está acelerando nesse segmento. Ele, que comanda a Tarso Marques Concept, empresa que personaliza motocicletas, acaba de desenvolver um projeto para o dono de uma empresa farmacêutica. Marques customizou duas motos Harley Davidson e um avião Bombardier Learjet XR 40 avaliado em US$ 9 milhões. Os veículos foram pintados com faixas vermelhas e o interior da aeronave recebeu couro, madeira, luminárias e detalhes cromados.

Informações pelo telefone (41) 3229-1717.

Extraído da IstoÉ Dinheiro: Carlos Sambrana

http://www.terra.com.br/istoedinheiro/edicoes/573/artigo102821-1.htm

Website da TM Design: http://www.tmconcept.com.br/

Distribua

III ANIMASERRA 2008 ABRE INSCRIÇÕES PARA ANIMAÇÃO PUBLICITÁRIA

Na 3ª edição de um dos maiores festivais de animação do Brasil, o Animaserra, a organização vem como uma novidade que pode aquecer ainda mais o mercado publicitário: a nova categoria da mostra competitiva: ANIMAÇÃO PUBLICITÁRIA.

Sabe-se que hoje cada vez mais a animação é utilizada por grandes agências para cativar o público e, por vezes, transmitir uma mensagem de forma mais suave e atrativa. Exemplo disso são os anúncios do Unibanco, Bradesco PrevJovem (este último inclusive feito pelo time da SeagullFly, palestrantes do evento em 2007), Confort e etc.

Não há mais aquele conceito que animação é apenas para crianças e jovens. Prova disso, é o crescente mercado de animação para adultos, como Death Note, o pacote de comemoração dos 20 anos da animação Akira e diversos outros.

A organização do Animaserra 2008 está confiante e diz que aguarda inscrições de diversas agências de publicidade de todo o Brasil. “Para aquecer ainda mais o movimento do festival, criamos esta categoria que também fará parte a partir deste ano das categorias fixas que já existiam no festival, como 2D, 3D, Flash, Stop-Motion e Técnica Mista, além das tiras de quadrinhos” – afirma Antonio Ribeiro, criador e organizador do evento.

Com público de mais de 8 mil pessoas nas duas edições anteriores do evento, o Festival acontece na cidade de Teresópolis, Estado do Rio de Janeiro e já conta com um secto de fãs por todo o Brasil.

Este ano está prevista uma palestra internacional, além de grandes nomes do circuito nacional. E ainda, o evento tem o selo de comemoração dos 70 anos da DC Comics no Brasil, contando com apoio da Warner Bros. e Panini Comics, além da empresa Pixologic, criadora do software de modelagem ZBrush e também do Centro de Treinamento Cadritech, de São Paulo. O Festival conta ainda com o apoio do site ESPACO.COM na divulgação virtual em sua terceira edição
Se você trabalha em alguma agência de publicidade ou tem algum trabalho freela que utilizou animação para vender alguma idéia ou produto, você pode se inscrever na categoria Animação Publicitária! Mas atenção, o prazo está se esgotando!

Acesse o regulamento e outros detalhes no site oficial do evento em

www.animaserra.com.br

Distribua