Notícias recentes sobre a Regulamentação do Design.

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Associações se uniram e fizeram uma proposta de projeto de regulamentação da nossa profissão de Design.(accreditation)

Esse texto foi entregue pelo Prof. Freddy Van Camp para um assessor do Deputado Federal Jorge Bittar do PT/ RJ.

O Fred acredita que iremos sensibilizar esse político para que possa encaminhar e acompanhar no Congresso Nacional essa nossa proposta e, se Deus quiser, ver a nossa profissão finalmente regulamentada. Pela nova proposta, nós Designers iremos mesmo nos filiar ao sistema CREA / CONFEA, principalmente por causa da recente derrota fragorosa dos Arquitetos em fazer seu próprio conselho.

A situação da nossa profissão se encontra hoje insustentável, sendo que se não houver uma regulamentação rápida, estamos correndo risco da simples extinção da profissão por interesses de vários lobbies e pelo mercado,que está se tornando refratário as nossas áreas de atuação como nivel superior.

No site eu disse que o mercado hoje nos encara como custo e não como uma solução ou estratégia. Hoje pelo mercado, nós não deveríamos existir. Isso está se tornando a regra e não mais a exceção.

Peço a vocês que façam um comunicado reportando essas últimas informações, pois o momento histórico é único, onde as várias Associações se uniram em volta deste texto gerado por elas.

Vamos torcer!

Texto de Rogério Foster Vidal. Designer.

Para comentar, veja aqui.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Distribua

17 comentários

  • Pois é e lá vamos nós... porém uma coisa eu continuo achando super estranho pois esse grupo quando começou a se reunir disse que manteriam os designers informados> informação zero!!! disseram que seriamos informados sobre as reuniões, o que rolou, etc: informação zerooo disseram que chamariam a ABD e nós fomos contra. Bateram o pezinho e chamaram e deu na merda que deu, porem nao perguntaram a mais nenhum designer de interiores se gostariam de participar do projeto para manter inserida a área de interiores no PL: informação zeeeeeeeeeeeeerooooooooooo fica difícil lutarmos ou avalizarmos algo que nao sabemos o que é exatamente. Porém valeu a informação de que está com o Bitar o texto. Ao menos sabemos pra onde mandar as nossas ideias e visões sobre a regulamentação tbm para que possam ser analisadas e inseridas no referido projeto. Quanto aos arquitetos? Sinceramente não sei pois desconhecemos por completo o teor do referido PL mas quem sabe valha a indicação que o seu colega Luis Robério deu num outro topico daqui> abrir uma associação de arquitetos "que se acham" dezáiners, medicos, padeiros, astronautas, etc rsrsrsrsrs tou brincando Creio que devem ter inserido algum dispositivo do tipo "desde que comprove produção constante e de qualidade na área do Design nos ultimos 10 anos" ou ainda algo do tipo "envie o curriculo e portifolio para a diretoria curricular para verificação". Ou ainda "rasgue seu diploma, curse Design e seja feliz" ahahahah É assim que vocês e outras áreas fazem, portanto seria justo fazermos algo assim tbm. De qualquer forma estamos no aguardo de maiores informações sobre isso. Saudações Paulo Oliveira
  • Rogério Foster, Sou Assessor Jurídico na Câmara dos Deputados e me coloco à disposição para ajudar a dar entrada no projeto de lei que regulamenta a profissão. Estou à disposição no email: paulo.vicente@camara.gov.br ou (61) 3215.9765. Saudações, Paulo César
  • desde que entrei na universidade estou ouvindo este papo, já trabalho à quase 12 anos como designer e ainda estou ouvindo. espero que desta ves de certo. ficaria muito feliz de ter minha carteira de designer!
  • isso é muito bom, espero que até quando eu terminar a faculdade esteja tudo acertado. a maior vantagem disso será que nossos cliente poderam nos levar mais a sério com a garantia que apenas pessoas aptas farão os projetos...
  • Concordo plenamente e assino em baixo a nossa profissão design tem que ser regulamentada imediatamente, pois, nossa profissão é tão ou mais importante que outras existentes, nos dedicamos, nos esforçamos, investimos alto na graduação, pós-graduação e cursos de aperfeiçoamento. Devemos sim ser valorizados bem como nossa profissão. Chega de esperar. Muitos usam o nome da nossa profissão em vão, redicularizando muitas vezes. Hoje onde olharmos lá esta o design, o design está presente em nossas vidas e deve sim ser valorizado, regulamentado e as empresas devem investir sim nesta profissão, devem encarar como investimento que trará beneficios a mesma e não gastos.
  • Internet é um negócio engraçado. Há muito tempo que navego e não tinha parado ainda nesse site. Parabéns pelo conteúdo e design (tinha de ser). Sobre o tema regulamentação: o ponto principal da regulamentação é quem (pessoas, entidades, instituições, associações) definirá os critérios para dizer se alguém é designer ou não. Só seria considerado designer aquele que fosse graduado num curso superior da área? Poderia ser uma outra área similar que desse embasamento teórico? e quanto a vários designers de escritórios grandes que são originalmente engenheiros, arquitetos e até advogados? No meu caso, por exemplo, sou graduado no curso de arte-educação (leciono na rede pública estadual) ma também trabalho com design há mais de 10 anos e tenho uma pequena empresa (com CNPJ e impostos pagos) de Design e Comunicação. Nessas condições eu me enquadraria pra ter uma "carteirinha" de designer? Se quiserem avaliar meu portfolio fiquem à vontade e visitem meu site. Ah, aproveitei e coloquei essa notícia no meu blog: www.imagetica.net/blog - obviamente que citando a fonte. Garcia Junior.
  • Gente, Quando passei essa informação para o ED, tive a permissão do Prof. Freddy para isso. Mas tenho que informar a todos que NÃO sou porta-voz oficial da comissão das Associações em questão e só tive a oportunidade de participar de 02(dois) dias de reunião iniciais na Escola Panamericana em São Paulo, para defender um ponto de vista meu, que acho crucial para nossa profissão, que é a "verticalização" da nossa atividade profissional em todas as áreas atuais e futuras. Portanto, como vocês, tenho que esperar a divulgação oficial do PL dessa comissão. Repito, é um fato histórico, onde com ajuda de advogados,ela está sendo elaborada para a regulamentação da profissão de Design ,acredito e espero, como um todo e para todos profissionais atuantes hoje. Só com a liberação oficial por essa comissão vamos estar cientes de seu conteúdo. Mas tenho que informar, que esse documento tem que seguir os ritos jurídicos / constitucionais. Portanto, não esperem uma "Biblia" sobre todos os meandros de nossa profissão, pois o que temos que aprovar e ser reconhecidos é apenas e simplesmente a profissão de Design. (Accreditation) Se conseguirmos que o Legislativo e o Executivo aprovem e sancionem esse projeto, conforme desejamos e sem intervenções de parlamentares / lobbies adulterando-a, já será uma vitória realmente histórica e fantástica. Todos os meandros de quem está regulamentado ou não e de como será o reconhecimento dos profissionais, segundo informações dos profissionais jurídicos nessa duas reuniões que participei, deverá ser feito depois e através de leis complementares pertinentes para isso. Portanto peço a vocês que estão lendo este texto, que apoiem essa comissão e esperem ela finalizar seu trabalho e gerar esse documento, que esperamos, seja acolhido pelo Deputado indicado, ou se não interessar a ele, outro mais interessado em nossa situação profissional. Portanto meus amigos, temos que seguir direitinho esse caminho para que as comissões no Congresso Nacional e os membros do Executivo, entendam que o que estamos pleiteando é justo, legítimo e que o Design seja entendido por eles muito próximo do que entendemos. (muito Importante.) Agradeço a paciência de todos e vamos torcer para esse esforço dar certo e não acontecer conosco o que aconteceu recentemente com os Arquitetos, onde o Executivo simplesmente rejeitou a solicitação de criação de um conselho em separado do sistema CREA / CONFEA. Abraços para todos. Foster. Ps.: Ao Exmº. Sr. Assessor Jurídico da Câmara, repassei ao Prof. o seu oferecimento. Agradeço o seu interesse nessa nossa busca em ser reconhecidos oficialmente pelo Governo do Brasil. (Accreditation) Situação que já ocorreu e está ocorrendo hoje, em outros paises desenvolvidos, com seus governos. Informando a esse Jurisconsulto, que a profissão de Design é a primeira profissão multidisciplinar do Mundo e considerada pela comunidade Européia , paises da América do Norte e Japão, como item essencial e de extrema importância para as exportações e desenvolvimeto dessas áreas econômicas. Que por esse motivo é fortemente subsidiada pelos governos e pelos seus governantes, inclusive com verbas doadas diretamente deles para orgãos e empresas que apoiem ou utilizem fortemente nossa mão de obra. Isso é um dos motivos para a urgência dessa regulamentação,pois nós Designers Brasileiros estamos, apesar da nossa inconteste capacidade profissional, em ampla desvantagem com esses mecanismos no comércio / mercado Internacional, prejudicando enormemente o cardápio de exportações de nosso Pais. Daí a nossa luta ser justa e além disso, extremamente patriótica.
  • Eu apoio a idéia de legalização da profissão, (não conta para ninguém: SOU DESIGNER), pois eu além de tudo acho uma baita sacanagem ver qualquer Zè Mané ai, qua faz um cursinho meia boca de informatica nessas escolinhas por ai começa a fazer uns trabalhinhos bonitinhos, e começa a se dizer Designer e assinar como tal. E ai, como posso concorrer com um cara desses que cobra qualquer R$ 100,00 por um trabalho, que se for executado por um cara que se matou de estudar, gastou um dinheirão pagando faculdade, material, entre outras coisa e faz o trabalho de MANEIRA CORRETA, sem as "bendidtas" GAMBIARRAS, não fica por menos de R$500,00 ou R$ 1.000,00. Ai qual a valorização do profissional, do cara que repito, se matou de estudar e fez a coisa de maneira correta, executa testes gera "trocentas" alternativas "BOAS" para o cliente escolher uma, chorando desconto ( como você terá coragem de me cobrar "tudo isso" por um trabalho que você fez em tão pouco tempo! - Mas não exerga os 4 ou 5 anos de estudo para você gerar a alternativazinha feita em tão pouco tempo!), ninguém merece essa desvalorização do esforço alheio e estrema valorização, me perdoem mais uma vez, do culto à falta de profissionalismo/porcaria em razão da econômia/porcaria.