Projeto para Dummies

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Comovido pela indignação de como as pessoas não compreendem inteiramente o que é um projeto, decidi escrever este pequeno artigo sobre as terminologias utilizadas em projetos de fronteira, onde o design, engenharias, administração e negócios se misturam, porque depois de 2 semanas estressantes de reunião, aeroportos e atrasos de avião, não há quem agüente ouvir tanta asneira de tanta gente, incluindo colegas de profissão e trabalho. Aqui vai o desabafo!

Dilbert

PRINCÍPIOS
Como todo bom texto fundamentado, jogo de cara um apontamento de CASAROTTO, “… Nos países de língua inglesa não há projeto, mas ‘Design’. Nesses países denomina-se ‘Project’ a um empreendimento, a um trabalho, mas não a um projeto de engenharia.” Esta definição é importante visto que a maioria dos estudantes, profissionais e outros correlatos ao projeto trocam estas definições. Simplificando CASAROTTO para os mais leigos: Design é a junção da forma e função de um determinado item, ou produto. Projeto é sinônimo do Empreendimento que terá como resultado um dito Produto ou Serviço.
Apenas para entortar o pensamento e depois descomplicar: Design tem especificação, Projeto tem Escopo, mas, o produto também tem Escopo! E agora? Simples, no início de um projeto tradicionalmente se realiza o Ante-Projeto do Negócio, vislumbra-se o consumidor, mercado-alvo, concorrentes, normas, regulação governamental e outros parâmetros. Tudo isso para se estruturar de forma parametrizada, ou metrificada as funções que o produto irá realizar. Somando um mais um: Escopo do Produto é similar a Função Global do Produto (agora na linguagem da dupla dinâmica da engenharia alemã: PAHL & BEITZ (vulgarmente conhecidos como as duas tábuas que o engenheiro Moisés – primo do outro famoso – trouxe lá de um morro). E para bom entendedor: que diacho esse produto vai fazer? [A] Ligar? [B] Receber SMS? [C] Têm agenda? [D] Função PIM? [E] Pode cair na piscina? Tratando-se de um celular…

OS PONTOS FOCAIS
E o Escopo do Projeto? Muito simples, o que o projeto realiza?  Com quais outros parâmetros? O que se gerencia? Gerência é gestão? Para fechar, perguntas cruciais com respostas diretas segundo o PMBOK, gerenciamento de recursos financeiros, recursos humanos, prazos, comunicações, integração, custos, qualidade, riscos e aquisições. E principalmente como reta final, como dito anteriormente: o projeto tem entregas na forma de documentação, protótipos, relatórios. É do projeto, ou Project que se obtém o Design (produto ou de peças gráficas)!

OS OBJETIVOS DO PRODUTO DESCONTRUIDOS
Design tem especificação! Agora é mais simples, pois as faixas de operação dos parâmetros (para não estender basta olhar no bom e velho BAXTER) têm valores qualitativos e quantitativos para as suas funções, retomando as funções definidas anteriormente: [A] Ligar /receber, e realizar 1 ligação em espera com 1 chamada em espera, [B] Receber SMS com armazenamento em Cartão de Memória Flash (até 4Gb) e/ou memória flash do celular (até 40% do espaço da memória total de 20Mb), [C] Agenda com fotos, tons polifônicos e/ou MP3, perfis de usuário e com capacidade para 40% do espaço da memória flash do aparelho, [D]  Função PIM compatível com MS-Office e Apple MobileMe, [E] Resistente a quedas na água e/ou respingos. Esta especificação é definida ao final do Projeto Informacional, segundo ROZENFELD, FORCELLINI e o resto da tropa de elite. Portanto, uma especificação é definida (ou mesmo designed na língua inglesa) no projeto, e ao final do mesmo ela é alcançada via o Produto ou Serviço. Isto tudo sem me aprofundar nas questões de especificações qualitativas!

XINGA QUE É BOM
Subindo um pouco o calão, vamos agora pontuar alguns xingamentos estratégicos de projeto; [1]retorno do investimento, [2] janela de oportunidade, [3] aquisição, [4] T2MKT, [5] Supply-Chain, e para fechar senão isso se torna um tratado o famigerado Estudo de Impacto Ambiental [6].
Como a Administração é movida por ondas, ou modas, portanto o [1] Retorno do Investimento também é chamado de ROI ou ROA, respectivamente traduzido da língua inglesa como Retorno do Investimento ou Retorno dos Ativos! E Ativos são um sinônimo para investimentos financeiros, e em círculos menos abastados como dindin ou verdinhas. Obviamente com uma boa dose de lucros, afinal, esta bibliografia toda não é da antiga União Soviética ou de Cuba. A Janela de Oportunidade (OW – oportunity window) é um termo muito comum na Astronáutica (NASA), pois uma janela é objetivamente um ângulo de saída da terra em sincronização com eventos celestes (posição de planetas e objetos menores) que possibilitem aceleração gravitacional de modo a se reduzir o uso de combustíveis e conseqüentemente massa e custo na retirada de artefatos, como foguetes, naves, mísseis balísticos e outros objetos perturbadores. E a Janela de Oportunidade que tratamos nos projetos é um paralelo ao termo usado na Astronáutica; a oportunidade de se lançar determinado produto ou serviço com os menores esforços para se obter o máximo de rendimento. As [3] Aquisições tratam de compra de serviços diversos, de maquinário, da contratação de laboratórios e até mesmo de Designers, pasmem! A sigla agressiva [4] T2MKT é outro modismo para Tempo para o Mercado, ou seja um paralelo com Janela de Lançamento que nem todos os seres humanos conseguem muito bem diferenciar, muito menos quem vos escreve. E obviamente para um produto ou serviço operar (ou funcionar) é necessário o desenvolvimento da Cadeia de Fornecimento ou [5] Supply-Chain, que nada mais são que todos os envolvidos nos processos de fabricação, manufatura, integração (montar o LEGO), empacotamento (colocar o LEGO na caixa, logística (joga as caixas de LEGO nos caminhões)… Já o [6] Estudo de Impacto Ambiental  é um processo que normalmente envolve uma Agência governamental que sofre pressões de Ministérios de Desenvolvimento e correlatos, Ativistas, ONGs como Greenpeace (não compreendidos globalmente pelas instituições governamentais e pelos seres munidos de terno e gravata) e apoiados por estudantes de todas as facções, inclusive do design!

Obviamente tinha que terminar com, ufa, Design!

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Distribua

9 comentários

  • Não nos admiremos pela falta de conhecimento das pessoas qdo o assunto é Design... mas o que é Design??? Na academia não existe uma definição, uns arriscam dizer que Design é "tudo"... e eu digo que é "tudo" e mais um pouco, mas não me peçam para dizer o que é este "mais um pouco" que eu também não sei!... O artigo prendeu minha atenção com exemplos simples e divertidos e com uma bibliografia atualizada em paralelo às terminologias usadas em projeto. Essa seria uma boa abordagem para o ensino de Design hoje. Quem sabe, daqui a alguns anos, meus pais saberão o que o filho deles anda fazendo na universidade!!! E garanto que também dirão, UFA!!!! (rs) Abraços
  • adorei o artigo, mto explicativo e sucinto, Gustavo! Mas acredito q não vá ajudar a separar melhor as coisas por um motivo simples: nossas línguas fizeram o favor de misturar o caldo a um ponto q é difícil reconhecer gostos e texturas separadamente. "Desenho" deveria ser sinônimo de "Design," mas não é mais possível. "Projeto", que restou como possível sinônimo, foi mostrado aqui que é incompatível tecnicamente. Contina o "Design" como palavra única para definir um limbo conceitual. Cadê a "Projética" que estava aqui? heh
  • SObre o post de BRNLNG nessa zona de nomenclaturas tenho preferido aproximar o termo DESIGN do português DESIGNIO, seguindo o exemplo do dicionário: de.sign (dizáin) (ingl) sm 1 Concepção de um projeto ou modelo; planejamento. 2 O produto deste planejamento. 3 Desenho Industrial. de.sig.na.ção sf Ação ou efeito de designar. de.sig.na.do adj Que se designou; apontado, indicado, assinalado, denominado. de.sig.nar vtd 1 Apontar, indicar, nomear. 2Assinalar, marcar. 3 ser o símbolo de; significar. 4 Denominar, qualificar. Vtdi 5 Escolher, nomear. 6 determinar, fixar. de.si.gner (dizáiner) (ingl) s m+f Profissional que planeja ou concebe um projeto ou modelo. de.síg.nio sm 1 Plano, projeto. 2 intenção, propósito. 3 destino. até a ordem alfabética e pragmática da hierarquia coloca a designação, o designado e o designar entre o design e o designer, como etapas entre a concepção e o idealizador, e após ele, aparece o desígnio, ou o destino intrínseco do que começou lá no design. Tenho pensado o design como o modo, o plano que alguém se propoe a fazer para, como falou o jota, juntar forma e funçao com o objetivo de chegar a um destino.
  • Oi Calma! Então, o problema de criarmos novos termos é que nos distanciamos cada vez mais das outras áreas de conhecimento correlatas; engenharias, administração, marketing, publicidade... Vejo que nos comunicando segundo padrões já estabelecidos é uma boa saída!